Maracanã ruiu: A 9ª Vara Pública do Rio determinou que o processo de licitação do estádio seja suspenso

Mais um capítulo coloca o futuro do Maracanã em xeque.

A 9ª Vara Pública do Rio determinou que o processo de licitação do estádio seja suspenso.

O juiz Marcello Alvarenga Leite apontou que o acordo “é lesivo aos cofres públicos do Estado do Rio de Janeiro e desnecessário para a viabilidade econômica da concessão”. O documento explica que a empresa IMX Holding S/A, um dos licitantes, teve acesso privilegiado à informação, o que provocou a suspensão do processo.

Palco do jogo decisivo da Copa do Mundo de 1950, da final de 2014 e da abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de 2016, além de incontáveis momentos históricos do nosso futebol, o Maracanã se tornou mais um símbolo melancólico de um Estado em frangalhos.

Além dos constantes embates entre os clubes e o Consórcio Maracanã, por conta das taxas aplicadas, a administradora mal consegue manter seu gramado em condições de uso – após o jogo de ontem entre Flamengo e Corinthians, ficará interditado até 9 de outubro para reparo.

Envolto em disputas judiciais, o estádio ainda corre o risco de, no futuro, perder seu principal locatário. Em maio, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, afirmou que o clube tem os recursos financeiros necessários para comprar um terreno e construir seu próprio estádio. Nunca é demais lembrar: a reforma do Maracanã para a Copa do Mundo de 2014 custou R$ 1,2 bilhão – R$ 495 milhões a mais que o previsto. E faltam elementos para acreditar que o Maior do Mundo de antes consiga resgatar minimamente sua identidade.

Salve, o Maraca!

Fonte: Espresso Lance!