São José Basketball e Flamengo voltam a se enfrentar após mais de dois anos

São José e Flamengo voltam a se enfrentar pelo NBB após mais de dois anos — Foto: Danilo Sardinha/GloboEsporte.com

Rivais em quatro playoffs do NBB, sendo dois de semifinal, São José e Flamengo fazem um dos principais clássicos do torneio. O confronto é recheado de histórias, mas há mais de dois anos não tem um capítulo escrito. O jejum chega ao fim nesta quarta-feira, quando as equipes se enfrentam às 19h, no ginásio Linneu de Moura, em São José dos Campos. A entrada para assistir ao jogo é gratuita, e o GloboEsporte.com acompanha o jogo em tempo real.

O último confronto entre São José e Flamengo foi em 23 de março de 2016, no Linneu de Moura. O rubro-negro venceu o embate por 88 a 80. Esse foi o 34º jogo entre os times no NBB, e o Flamengo tem ampla vantagem neste retrospecto. São 25 vitórias cariocas contra apenas nove joseenses. Em playoffs, foram duas quartas de final (2010 e 2015) e duas semifinais (2012 e 2013). O Fla ganhou três playoffs (2010, 2013 e 2015), enquanto o São José levou a semi de 2012.

A fase atual é semelhante ao retrospecto. O Flamengo, que vem embalado por uma vitória por 90 a 70 no clássico contra o Vasco, está na segunda colocação do NBB, com sete vitórias e duas derrotas (77,8% de aproveitamento). O São José, que ficou duas temporadas com o time adulto desativado, voltou ao nacional neste ano e está na décima colocação, com 40% de aproveitamento (duas vitórias e três derrotas). Na última rodada, os joseenses venceram Bauru, fora de casa, por 75 a 63.

O São José está animado ao confronto após a vitória sobre Bauru, mas prega respeito diante do Flamengo.

– Sabemos que será um jogo difícil. O Flamengo é um time que foi montado para buscar o título, mas vem oscilando no campeonato, assim como muitas equipes. Temos que ter uma defesa consistente e tirar o volume de rebotes ofensivo deles. O Flamengo tem o melhor aproveitamento de rebotes de ataque. Temos que parar isso. Fazer o Flamengo jogar no cinco contra cinco, sem o jogo de transição, de rebotes ofensivos – disse o técnico Paulo Cezar Jaú.

Fonte: Globo Esporte