Repórter deixa Copa América por suposto conflito de interesses em entrevista de Cuéllar

Compartilhe esta notícia

O que deveria ser uma entrevista se transformou em apuração sobre de falta de ética no jornalismo esportivo. O volante do Flamengo Cuéllar, atualmente com a Seleção da Colômbia que disputará a Copa América no Brasil, recebeu, em seu apartamento a repórter da Rede Globo, Ana Helena Goebel. Como tema, o desejo do jogador em atuar na Europa.

“Jogar na Europa é um sonho, sim. Para todo jogador sul-americano é. O Flamengo é sempre um clube que vou levar no coração, gratidão eterna”, afirmou o camisa 8 em determinado momento da entrevista, que foi ao ar na segunda-feira (03), no programa ‘Globo Esporte’. Enquanto as imagens mostravam o jogador sendo ovacionado pela torcida ao ser substituído no jogo contra o Fortaleza, no último sábado (01), a repórter informava que “Esta imagem pode ser a última do Cuéllar com a camisa do Flamengo. Ele foi convocado pela Colômbia para a Copa América e pode não voltar. Clubes europeus estão de olho no volante. O contrato dele termina apenas em junho de 2022, mas com 26 anos, e no auge de sua carreira, a próxima janela se tornou uma ameaça pro Flamengo.”

FOTO: REPRODUÇÃO

Casada com Gianfranco Petruzziello, proprietário da ‘Forza Carreira Esportiva’, que representa Cuéllar, a jornalista foi afastada pela emissora da cobertura da Copa América em função do suposto conflito de interesses, na medida em que sugeriu que o jogador não atuaria mais pelo time da Gávea e estaria sendo negociado, sem que haja propostas oficiais recebidas pelo Flamengo referentes à próxima janela europeia.

Em nota, a Globo se pronunciou: “A repórter Ana Helena Goebel deixará a cobertura da Copa América até que tudo seja esclarecido.”  A fim de preservar a ética e manter a isenção em suas coberturas esportivas, a emissora retirou a profissional da cobertura da competição, pois de acordo com os ‘Princípios Editoriais’ da empresa “É possível também que haja relação de amizade entre jornalistas e personalidades públicas ou personagens que estejam em destaque no noticiário ou que venham a estar. Em casos dessa natureza ou assemelhados, os jornalistas nessa situação devem comunicar o fato a seus superiores, que deverão encontrar meios de superar o conflito.”

Por: Coluna do Fla

COMENTÁRIOS:

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here