Ministério Público perde ação que pretendia penhorar R$ 100 milhões do Flamengo para vítimas do Ninho

Compartilhe esta notícia

A busca por uma solução para o caso Ninho do Urubu teve mais um capítulo nesta segunda-feira (21). Em sentença publicada pelo juiz do trabalho Ricardo Georges Affonso Miguel, o Flamengo teve ganho de causa em ação movida pelo Ministério Público do Trabalho pela penhora de R$ 100 milhões do clube.

O MPT pedia o bloqueio das contas do clube com o objetivo de pagar indenizações para famílias das vítimas do incêndio no CT, em fevereiro. Na sentença, o juiz afirmou indeferiu o pedido e extinguiu o processo. Ele amparou a decisão afirmando que o futebol de base tem caráter recreativo e, assim, o caso deve ser resolvido na área Cível, e não na trabalhista.

Atualmente, o clube negocia individualmente com cada uma das famílias e já fechou acordo com familiares de quatro das dez vítimas fatais. Segundo informações do repórter Diogo Dantas, do O Globo, os parentes de Áthila, Gedson e Vitor Isaias, além do pai de Rykelmo, já assinaram contrato com o Flamengo. A mãe deste último, porém, resolveu entrar na justiça contra o Rubro-Negro em busca de indenização maior.

A família de Bernardo negocia com o clube, mas há dificuldade no avanço das conversas. Os parentes de Arthur Vinicius, Christian, Jorge Eduardo e Pablo Henrique ainda não tomaram uma decisão, mas podem entrar com ação. os familiares de Samuel ainda não têm acordo.

Por: Coluna do Fla

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here