Flamengo muda estratégia e freia gastos na janela de transferência do início de 2020

O Flamengo deu início ao ano de 2020 com apenas um reforço anunciado para o profissional. Pedro Rocha, do Spartak Moscou, da Rússia, chegou por empréstimo. Gustavo Henrique, do Santos, já está acertado, mas aguarda o término do contrato com a equipe paulista para ser anunciado pelo Rubro-Negro. Os indícios são de mudanças ao comparar o início de 2019 com o deste ano.

Isso porque, em 2019, o Flamengo já havia comprado Rodrigo Caio, por algo em torno de R$ 23 milhões. Além disso, o Rubro-Negro demonstrava interesse em pagar para contar com Bruno Henrique e De Arrascaeta, o que de fato aconteceu. Dessa vez, as tratativas do Fla são todas, ou quase todas, por empréstimo. A exceção é Gabriel Barbosa, que pertence à Inter de Milão, da Itália, e foi um dos grandes destaques rubro-negros em 2019. Com isso, a diretoria carioca está disposta a arcar com algo em torno de R$ 72 milhões (16 milhões de euros).

FOTO: DIVULGAÇÃO

Após temporada irregular pelo Cruzeiro, Pedro Rocha chegou ao Flamengo por empréstimo. Em fim de contrato, Gustavo Henrique não irá desfalcar os cofres do clube. O atacante Pedro, da Fiorentina (ITA), e o volante Thiago Maia, do Lille (FRA), estão na mira do Rubro-Negro. O Fla tenta o empréstimo de ambos. Com isso, o Mais Querido não iria ter grandes gastos com os reforços do início deste ano.

Entretanto, a intenção dos dirigentes é de gastar o menos possível na atual janela, para que possa investir, caso necessário, no meio do ano, quando fica mais fácil de contratar atletas que estão atuando na Europa. Não à toa, em 2019, o Fla se reforçou com Rafinha, ex-Bayern de Munique (ALE), Filipe Luís, ex-Atlético de Madrid (ESP), Gerson, ex-Roma (ITA), e Pablo Marí, que pertencia ao Manchester City (ING), todos no período da janela do meio do ano.

Por: Coluna do Fla

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here