Fla e Globo se reúnem; proposta atual da emissora é divulgada

O clima entre Flamengo e Globo está pesado nesse início de ano. O ápice do atrito entre ambos talvez se deu nessa semana, com troca de notas oficiais cheia de alfinetadas. Tudo graças a uma fala do apresentador Faustão em seu programa, comentado sobre o incêndio no Ninho. Mas a escalada de atrito deu uma pausa nessa quinta.

Como mostrou Rodrigo Mattos, no seu blog no UOL Esporte, dirigentes do rubro-negro e representantes da emissora se reuniram para tentar  chegar a um acordo, sem sucesso. Landim estava presente na reunião que marcou a aproximação entre as partes. Porém a Globo não moveu nenhum esforço em aumentar o valor a ser pago. Enquanto o Flamengo continuou a almejar 80 milhões de reais pelo Carioca, a Globo segue com a proposta de 18 milhões de reais. Uma diferença de mais de R$60 milhões.

A postura da direção é de não aceitar negociar uma partida pontual com a emissora. A Globo porém em nenhum momento chegou com proposta oficial para isso. Mas poderia ver com bons olhos.

Recentemente, foi especulado que a Globo poderia pagar algo em torno de R$ 10 milhões por jogo nas fases decisivas do Campeonato. Porém, parece que a Globo não está disposta a ceder.

Público seguirá sem TV

Sendo assim, a tendência é que os torcedores do Flamengo, principalmente de fora do Estado, seguirão sem assistir a equipe no estadual. Praticamente toda a Taça Guanabara já se foi sem nenhuma partida do rubro-negro televisionada, e se as negociações continuarem como estão, nada irá mudar.

Nem mesmo a possibilidade de ficar sem a transmissão da final da competição parece fazer a Globo mover o pé em relação a isso. Talvez pela emissora entender que o campeonato estadual não vale muito mais do que se propõe a pagar hoje.

Assim chegamos a um ponto de total complexidade nas negociações. O Flamengo como um clube que vem de várias conquistas e de números muito expressivos em audiência, quer receber mais. Já a Globo como empresa não pretende desembolsar um valor tão grande por um produto que entende não valer muito.

A situação pode, inclusive, se estender a outros estaduais com outras equipes, caso tenham condições econômicas para barganhar.