segunda-feira, setembro 21, 2020
Início Basquete Flamengo perde o jogo 3 para o Pinheiros no NBB.

Flamengo perde o jogo 3 para o Pinheiros no NBB.

Foto: João Neto/LNB

GLOBO
ESPORTE
: Vamos ao jogo 4! Aguerrido, o Pinheiros não ligou para a casa cheia e
para os gritos de incentivo da torcida do Flamengo. Frio e certeiro, o time
paulista calou o Ginásio do Tijuca, venceu por 90 a 79 e ganhou sobrevida no
playoff de quartas de final do Novo Basquete Brasil. Mais uma vez, os
americanos Bennett e Holloway foram os donos da quadra, com 16 e 20 pontos. Com
o placar em 2 a 1, as equipes se reencontram na próxima segunda-feira, às 19h,
com transmissão ao vivo do SporTV, direto do Ginásio Henrique Villaboim, em São
Paulo. Se vencer, o Pinheiros obriga o Rubro-Negro ao quinto confronto, esse no
Rio de Janeiro. Do contrário, o atual tetracampeão garante lugar nas semifinais
contra Bauru ou Brasília.

A
vitória pinheirense foi construída principalmente nos quartos 1 e 3, com 27 a
19 no primeiro quarto e 25 a 17 no terceiro. Do lado do Flamengo, as bolas de
três que sempre impulsionaram o time não caíram, com aproveitamento final de
29%. O cestinha do jogo foi o próprio Holloway, com 20 pontos e três rebotes.
Bennett fez 16, com oito rebotes e seis assistências. Renan foi importante com
15 pontos e quatro rebotes. No Flamengo, Marquinhos fez 19 pontos, com sete
rebotes e quatro assistências. Marcelinho fez 16.
– Nós
sabíamos que estávamos enfrentando a eliminação e não nos entregamos. Entramos
com intensidade, conseguimos controlar o Flamengo e vamos tentar fazer o mesmo
na próxima partida dentro de casa. Esse é o espírito – disse o americano
Bennett ao fim do jogo.
Ao
contrário do jogo 2, o Flamengo começou o duelo usando mais os seus pivôs. A
movimentação no garrafão surtiu efeito e o Rubro-Negro abriu 6 a 2 pelas mãos
de Olivinha e JP. Do outro lado, o Pinheiros mexeu em sua estrutura para tentar
surpreender, e Renan começou no lugar de Ansaloni. Com o jogo no mesmo dia do
duelo do time de futebol pela Libertadores, o público foi menor no Tijuca, mas
não menos barulhento. Na metade do quarto, os paulistas venciam por 13 a 11,
justamente após bola de três de Renan. Amassando o aro nas bolas de três, com
apenas 14% de aproveitamento, o Flamengo via o Pinheiros fazer exatamente o
contrário e abrir 25 a 17 no minuto final. Colocando o banco em quadra, José
Neto ao menos conseguiu fazer o ataque rival parar: 27 a 19 para os visitantes.
Com
apenas Marquinhos de titular, o Flamengo conseguiu um minuto espetacular com
roubadas de bola de Mineiro e após duas bolas de três, de Lelê e do camisa 11,
levantou a torcida no esquenta para o futebol, encostando em 29 a 27.
Descansando a rotação principal, José Neto trocou Marquinhos por Marcelinho,
mas na metade do período o Pinheiros ainda vencia: 37 a 30. A vantagem rival
fez a torcida acordar e jogar junto, e o Flamengo controlou por três minutos,
diminuindo para 38 a 37 com sete pontos do seu capitão. No último minuto,
Fischer infiltrou, anotou os dois pontos e levou ao desespero o técnico rival
César Guidetti ao virar para 42 a 41 após longo período do Rubro-Negro atrás do
marcador. Mesmo assim, o Pinheiros ainda terminou à frente com 47 a 45.
Aguerrido,
o Pinheiros voltou mostrando que não se entregaria. Teichmann cravou e calou a
torcida do Flamengo. Duas faltas duras, de Teichmanm em Marcelinho e de
Ansaloni em Olivinha, esquentaram os ânimos em quadra. Sentindo que o time não
se encontrava, os flamenguistas passaram a vaiar as posses dos paulistas,
tentando desestabilizar Bennett e cia. O barulho não surtiu efeito e ainda
apostando em bolas de três que não caíam, o Rubro-Negro deixou o Pinheiros
escapar de novo: 65 a 57. Em silêncio, o ginásio viu o Flamengo ficar três
minutos sem pontuar, dando margem de 70 a 60 ao rival no minuto final do
período. No rebite dado por Rollins, Mathias jumpeou para dois e colocou 72 a
62 antes do último quarto.
Disposto
a resolver a parada no jogo 3, o Flamengo começou o período decisivo com tudo e
apostando em dois armadores em quadra: Ramón e Fischer. Em quatro minutos,
diminuiu para 75 a 71 com Mineiro bem na defesa e no ataque e deixou o
Pinheiros pontuar em apenas um ataque, levantando a arquibancada. Vencendo, os
paulistas passaram a jogar em cima de Holloway e Bennett, em jogadas de
infiltrações ou faltas para o lance livre. Surtiu efeito e o Rubro-Negro não
conseguia colar, com o jogo em 82 a 72. Em uma última tentativa, o time da casa
meteu bola de três com Marquinhos e antes havia recuperado uma posse com
Fischer, mas a defesa paulista funcionou bem e conseguiu seguir com dez de
frente: 89 a 79. Faltando um minuto, a torcida do Flamengo começou a deixar o
Ginásio do Tijuca, aceitando a derrota que veio por 90 a 79.

MAIS LIDOS

Conmebol: Por que o jogo Barcelona SC x Flamengo não será adiado

Após a confirmação de seis jogadores diagnosticados com Covid-19, os torcedores do Flamengo se questionaram nas redes sociais sobre a possibilidade de a Conmebol...

Fla pode ter até onze desfalques para duelo da Libertadores

A situação do Fla não é das melhores. Após a goleada por 5 a 0 diante do Independiente Del Valle, na última semana, o...

Willian Arão é criticado por Mauro Cezar Pereira

Com a saída de Jorge Jesus e chegada de Dome Torrent, os torcedores já esperavam que alguns atletas iriam ter uma queda de dempenho,...

Quatro jogadores do Flamengo testam positivo para covid-19

A onda de notícias ruins não acabam no rubro-negro. Segundo o repórter Vene Casangrande, quatro jogadores do Flamengo testaram positivo para covid-19. E todos...