• Início
  • Coluna
  • Para comentarista, Renato não inventa e consegue encontrar um time com padrão

Para comentarista, Renato não inventa e consegue encontrar um time com padrão

O Flamengo passou pelo Defensa y Justicia com grande propriedade, apesar de alguns sustos. A vitória por 4 a 1 no Mané Garrincha marcou a segunda goleada seguida do rubro negro, que no fim de semana passado havia feito 5 a 0 no Bahia, pelo Brasileirão.

Com a vitória na quarta, o Flamengo de Renato completa 3 vitórias em 3 jogos. O comentarista Mauro Cezar Pereira destacou o início de trabalho de Renato, e o fato do treinador não “inventar” neste início.

“Boa parte das análises está muito contaminada por uma distorção da realidade, que são essas falsas verdades, ‘o Everton Ribeiro não é substituído’. Era. ‘O trabalho do outro técnico era ruim’. Não era ruim, o trabalho do outro técnico era um trabalho bom com problemas e o Renato tem um mérito, ele não está inventando, porque ele encontrou um time que tem padrão de jogo, ele não encontrou terra arrasada”, o comentarista ainda completou:

“O Flamengo fez bons jogos esse ano, o time não era terra arrasada, isso é uma lenda que vão tentando repetir. Terra arrasada pegou o Jorge Jesus, que teve também 20 dias para treinar os jogadores, é bom lembrar. O Flamengo está numa situação agora em que o Renato está na crista da onda, todo mundo só elogiando, tudo maravilhoso. Agora, acho que o mérito dele é uma coisa que eu falei antes de ele chegar, qual o caminho para o Renato? É não inventar, é pegar o time e fazer alguns ajustes”

Mauro Cezar fez questão também de frear a empolgação passada por parte da imprensa. Para ele, o Flamengo passou por momentos muito ruins no duelo e que precisam de ajustes por parte de Renato Gaúcho.

“Renato foi super bem no jogo de quarta-feira, a entrada do Michael naquele era muito oportuna, porque era um momento em que o Defensa y Justicia tinha que fazer o segundo gol, começou a marcar mais no campo do Flamengo, aquele momento do jogo foi um momento de susto. Quando estava 1 a 1, o medo da flamengada bateu geral. A flamengada é aquilo, América do México, a torcida lembra as flamengas na Libertadores, são várias, Defensor do Uruguai, perder para times microscópicos”

“O Flamengo conseguiu ali, por conta de uma patacoada dos dois Diegos. Foi displicência dos dois, uma falha dos dois absurda e ali ficou 1 a 1, tanto que o Flamengo terminou o primeiro tempo meio com a bola queimando no pé, voltou para o segundo tempo e não estava jogando bem, o Defensa y Justicia não criou situação de gol, mas estava subindo a marcação, estava cedendo mais espaços depois que o Beccacece arrumou muito bem o time no primeiro tempo, mexendo com 20 minutos. O gol foi numa situação que deu alívio, havia ali o receio, foi o momento de uma certa tensão”, completou seu pensamento.

Veja também: Pedro brilha no treino e marca dois golaços


© Copyright 20 Fla Hoje. Todos os direitos reservados
Website desenvolvido por Azarod