segunda-feira, setembro 28, 2020
Início Notícias Agora sim! O Maraca é nosso!

Agora sim! O Maraca é nosso!

Falando
de Flamengo – Ontem teve jogo de time argentino na televisão e, como sempre, a
visão da torcida argentina trouxe, pelo menos nas minhas redes sociais, de
volta o debate entre o novo e o velho Maraca. Domingo passado eu tive a
oportunidade de ir ao estádio acompanhado do meu pai (um senhor de 65 anos) e
da minha mulher, ele de Superior Leste e nós de Norte, sem problema algum, e
lembrei de como era a aventura de prestigiar ao vivo o nosso Mengão no velho
gigante.

Comprar
ingresso era uma aventura, lei do mais forte! Você tinha que tirar o dinheiro
que estava escondido em algum ponto sem esquecer de jogar o tronco para trás,
na tentativa de respirar e de não ser amassado entre a multidão ensandecida e o
guichê de pagamento, essa operação de guerra 
era repetida nas poucas roletas de entrada e na saída do estádio, já que
só havia duas rampas de acesso.
Uma
vez dentro do estádio, os dois banheiros mais usados (e eram muito usados;
porque se vendia cerveja) eram as pilastras do corredor de acesso e os copos
vazios de cerveja; que muitas vezes eram simplesmente arremessados nas pessoas
que estavam em fileiras inferiores. Acessibilidade era uma palavra que ainda
não existia naquela época.
Quem
já esteve em partidas com mais de 120.000 pessoas, sabe que nunca coube 200.000
por lá! Torcedores sentavam entre os degraus e, em uma situação extrema, o
empurra-empurra da superlotação  causou a
queda e morte de pessoas na final do Brasileiro de 1992. Então, o estádio se
tornou um ambiente onde os fracos não têm vez! Terra para pessoas fortes! E
você sabe, onde todos são fortes, o que não pode faltar é briga. E elas se
proliferaram no Maraca. Era briga entre torcidas rivais, entre torcidas
organizadas do mesmo time, entre pessoas contrariadas com alguma coisa que
aquele ambiente hostil poderia causar. E para resolver tudo isso, lá estava a
PM com seus cacetetes…
Com
isso, em nome de pertencer ao povo, o estádio expulsou o povo do Maracanã.
Mulheres, velhos, crianças e portadores de necessidades especiais  não tinham vez, a ponto de qualquer mulher
que saísse da boca do túnel de entrada ser saudada com coros desabonadores, de
tão incomum que era. E aí? O Maraca era nosso? Quem somos nós?
O
velho estádio ainda existe nas paradas de ônibus e trens lotados, só o mais
forte embarca. Ainda existe na cabeça de um idiota que pensa em dar uma lição
no Sheik para ele não fazer com o time dele o que o ex goleiro Manga cansou de
fazer com o nosso na década de 60 (e entrou para o anedotário do futebol;
apenas).
Perdura
lá na sede da FFERJ e na cadeira presidencial de um clube à beira do abismo que
se dedica a brigar pelo lado no estádio.
Está
tudo lá! E nós queremos distância do passado! Como disse Djavan, “ainda bem que
eu sou Flamengo!”
P.S.
Mesmo na época do estádio medieval, esse debate sobre as diferenças entre as
torcidas no Brasil e na Argentina sempre existiu. E eles sempre foram alvo da
nossa inveja. Freud explica!
Cadu
Silva

MAIS LIDOS

Denilson critica Palmeiras x Flamengo: ”Vergonhoso”

Na tarde deste domingo, o Flamengo enfrentou o Palmeiras, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. O confronto só foi confirmado 10 minutos antes da...

Neto detona o Flamengo após tentativa de adiar a partida contra o Palmeiras

Conhecido por suas furtes e polêmicas declarações, Neto, apresentador do 'Os Donos da Bola", da TV Bandeirantes, fez duras críticas a conduta do Flamengo...

Mauro critica Felipe Melo no empate com o Fla

Na tarde deste domingo, o Flamengo mediu forças diante do Palmeiras, empatando o jogo em 1 a 1, em um jogo onde os torcedores...

Presidente do Atlético-MG afirma que vai pedir a exclusão do Fla do Brasileirão

Após muita polêmica, a partida entre Palmeiras e Flamengo foi realizada. O ocorrido gerou muitas reclamações de outros clubes pelo fato de o time...