sábado, setembro 26, 2020
Início Notícias CBF rebate críticas do Flamengo e cita Regulamento.

CBF rebate críticas do Flamengo e cita Regulamento.

Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem

GLOBO ESPORTE: A questão envolvendo o direito de um clube
exercer o mando de campo e jogar onde lhe for mais conveniente de acordo com os
seus interesses, bem como ter mais liberdade para ajustar as datas das suas
partidas, continua gerando uma série de discussões. Na última sexta-feira, o
presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, criticou a Confederação
Brasileira de Futebol (CBF) por ter vetado Brasília, local escolhido pela
diretoria, como palco das partidas do Rubro-Negro durante o Campeonato
Brasileiro enquanto o Maracanã estiver fechado por causa das Olimpíadas.
Segundo o dirigente, tal decisão é resultado de pressão da Ferj. No mesmo dia,
o presidente do Bahia, Marcelo Sant´Ana, usou uma rede social para mostrar o
seu apoio ao clube carioca e discordar da posição da entidade máxima do futebol
brasileiro por deixar o Bahia atuar duas vezes no próximo dia 9 de março –
contra o Galícia, pelo estadual, às 21h45, na Fonte Nova, e contra o
Juazeirense, pela Copa do Nordeste, no mesmo horário, em Juazeiro – em função
do amistoso que o Tricolor baiano fará neste sábado, contra o Orlando City, na
Flórida.

Ciente dos contratempos que teria ao longo de 2016 por
conta da interdição do Maracanã, o Flamengo consultou a CBF ano passado para
que fosse colocado numa condição excepcional e assim pudesse escolher outra
praça para jogar. No entanto, a entidade se manifestou contrária ao pedido para
não abrir precedente e dar privilégio ao Rubro-Negro. Em nota publicada no seu
site oficial, a CBF esclarece que “em relação à possibilidade de se
estabelecer sedes alternativas para a temporada 2016, em regra, o direito de
escolha de estádios para exercer o mando de jogo deverá recair no limite
territorial do estado em que a agremiação tem sede. Casos excepcionais devem
contar com a aprovação de todos os envolvidos, aí incluídas as federações local
e anfitriã e o clube visitante.”
Nesse caso, a intenção de o Rubro-Negro jogar em Brasília
ou em qualquer outro estado fica prejudicada, pois é preciso pedir jogo a jogo,
pagar 10% para a Ferj, além da taxa da federação local. O time visitante ainda
terá que ser consultado, sendo que poderá cobrar também. Apesar da insatisfação
por parte da diretoria do Flamengo, o secretário-geral da CBF, Walter Feldman,
não concorda que a decisão tenha sido um veto. Segundo ele, a divergência
ocorreu, pois na época em que o clube procurou a entidade, o período para
discussão e apresentação de sugestões para o Regulamento Geral das Competições
de 2016 já tinha terminado.
– A CBF não tem poder de veto. Muito se fala que a entidade
vetou a Copa Sul-Minas-Rio, o que não é verdade. A princípio, ela simplesmente
não aprovou por causa do conflito de datas. A CBF é uma instituição dos clubes
e das federações. Sempre que um clube joga fora do seu estado tem que ter
autorização da federação local, da federação onde a partida será realizada e do
clube adversário. Isso é feito jogo a jogo. Como estamos num ano olímpico, o
Flamengo achou que poderia ter direito a um estádio alternativo oficial. Quando
o Flamengo consultou a CBF, no fim do ano passado, o período para discussão e
apresentação de sugestões para o Regulamento Geral das Competições de 2016 já
tinha terminado. Sendo assim, não podemos institucionalizar uma coisa que não
está prevista nele. O Regulamento Geral das Competições é debatido de maneira
aberta para que todas as partes interessadas possam dar sugestões, e todos os
envolvidos sejam contemplados. O problema é que ano passado não houve a
discussão dessa excepcionalidade antes da sua publicação.   
Artigo 23 do Regulamento Geral das Competições não deixa que amistosos
adiem jogos de torneios oficiais (Foto: Editoria de arte)

No caso do Bahia, o diretor de competições da CBF, Manoel
Flores, confirma que foi procurado no fim de janeiro pela Federação Baiana a
pedido do presidente do clube, Marcelo Sant´Ana, para uma mudança na data do
jogo contra o Juazeirense, programado para o dia 9 de março pela Copa do
Nordeste, mesmo dia do confronto contra o Galícia pelo estadual, em função do
amistoso contra o Orlando City. Apesar de compreender a situação do time
baiano, Manoel explicou que não poderia fazer qualquer alteração, pois de
acordo com o artigo 23 do Regulamento Geral das Competições “durante a
realização das competições não será concedida licença aos clubes para possíveis
excursões ou amistosos que venham a provocar modificações na tabela da
competição.” Nesse caso, só a Federação Baiana, que é autônoma e é
responsável pela organização do estadual, pode alterar a data do jogo.

– Não podemos mudar a data de qualquer campeonato
organizado pela CBF em decorrência da realização de amistosos. Num passado
recente, esse tipo de situação já causou uma série de problemas, como
quantidade elevada de jogos e espaço inferior a 60 horas entre as partidas. Em
2013, alguns clubes foram excursionar na Europa e na volta reclamaram por terem
que jogar terça, quinta e domingo. Por isso foi criado o Artigo 23 no
Regulamento Geral das Competições. Além disso, o período da pré-temporada foi
esticado justamente para a realização desses amistosos.
Manoel Flores lembra ainda que ao formalizar por escrito o
pedido de adiamento da partida contra o Galícia na Federação Baiana –
inicialmente o confronto estava marcado para esse fim de semana –  o Bahia estava ciente do risco de o jogo ser
remarcado para uma data em que já houvesse outro partida. Mesmo assim, o clube
garantiu reunir condições de disputar dois jogos de competições diferentes na
mesma data, pois possui mais de 40 atletas com idade superior a 18 anos e os
mesmos têm contrato como atletas profissionais, podendo atuar em curto espaço
de tempo para conciliar as adequações necessárias da tabela, conforme revela
ofício publicado pela Federação Baiana.
Walter Feldman, por sua vez, lembra que a Diretoria de
Competições é muito consciente e com uma larga experiência acumulada. É um
setor da CBF que se baseia no Regulamento Geral de Competições da entidade, que
é o sistema de organização jurídica do futebol brasileiro. Apesar de ser muito
complexo, a Diretoria de Competições costuma ser muito rigorosa na sua
aplicação para que a gestão do futebol brasileiro ocorra sem desvios da
normalidade. Ele lembra que o mesmo conflito de datas do Bahia vai acontecer
com o Flamengo também no dia 9 de março, quando estão marcadas partidas válidas
pelo estadual e pela Primeira Liga. No entanto, como a Copa Sul-Minas-Rio tem
caráter amistoso, encontrar uma solução é teoricamente mais fácil. Para isso,
Feldman acredita na força do diálogo.
– Como os jogos da Primeira Liga têm caráter amistoso, eles
terão que encontrar uma nova data para o jogo do Flamengo marcado para o dia 9
de março. Devemos sempre evitar o conflito. O diálogo é a melhor alternativa. A
situação da Copa Sul-Minas-Rio foi acertada entre o próprio presidente do
Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, e o presidente da Ferj, Rubens Lopes, aqui
na CBF. Os dois vieram, apertaram as mãos e resolveram a questão no diálogo.
Sendo assim, temos que insistir no diálogo para que qualquer questão envolvendo
o mando de campo dos clubes cariocas durante as Olimpíadas possa ser resolvida
sem nenhum tipo de conflito

MAIS LIDOS

UFC 253 ao vivo: Adesanya x Borrachinha

O fim de semana terá muitos eventos esportivos ao vivo. Um dos mais esperados é o UFC 253 ao vivo, onde envolve o brasileiro Paulo...

Palmeiras x Flamengo é suspenso

O jogo entre Palmeiras x Flamengo, que iria acontecer neste domingo, está suspenso. O Sindiclubes, sindicato que representa os atletas do Rio, entrou na...

Surto na dupla Fla-Flu escancara realidade da CBF

Após o Flamengo apresentar um surto de covid-19, é a vez do Fluminense passar pela mesma situação. Na noite de ontem, nove jogadores testaram...

Escalação do Flamengo contra o Palmeiras

Mesmo com todas as tentativas do Flamengo, o Rubro-negro irá entrar em campo na tarde deste domingo, no jogo contra o Palmeiras. O confronto é histórico porque o...