quinta-feira, setembro 24, 2020
Início Notícias Chapa Vencer levanta argumentos sobre o Futebol do Fla.

Chapa Vencer levanta argumentos sobre o Futebol do Fla.

CHAPA
VENCER – Caro associado,
Nossa
conversa de hoje pretende levantar alguns questionamentos sobre a grande paixão
de todos nós: o futebol rubro-negro, que no último domingo, infelizmente,
alcançou a incrível marca de seis derrotas em sete jogos.
Este
ano vai chegando ao fim sem as conquistas que o futebol do Flamengo tanto se
acostumou a ter no passado. A atual diretoria, numa atitude passiva, prefere se
calar a vir a público se justificar sobre as péssimas campanhas, tanto no
Campeonato Carioca como agora neste Brasileiro.
O que
pode estar acontecendo? Por que, no lugar de evoluirmos em campo, estamos
passando a triste sina de ver nosso time ser derrotado e perder
sistematicamente para alguns fregueses históricos, além de ser o pior mandante
do Campeonato Brasileiro – com derrotas seguidas diante da imensa e apaixonada
Nação Rubro-Negra?
Qual a
razão de vermos que em 2013, mesmo tendo encontrado enormes dificuldades
financeiras e de elenco, nosso futebol, na época comandado pelo Wallim
Vasconcellos, tenha conseguido os únicos títulos desta administração (Copa do
Brasil de 2013, Taça Guanabara de 2014, Carioca de 2014 e a participação na
Copa Libertadores da América), e depois da saída dele da pasta, há mais de um
ano, os novos dirigentes, mesmo com condições extremamente mais favoráveis, não
tenham conseguido ganhar nada?
Infelizmente,
a nossa visão é clara. Hoje, se sobram ao presidente Eduardo Bandeira de Mello
e à atual diretoria dele apego ao cargo e soberba, faltam-lhes competência,
capacidade de gestão e pulso para o relacionamento com os jogadores. É
inadmissível que, com o orçamento que temos e com a arrecadação recebida, o
Flamengo se contente com campanhas tão pífias (16 derrotas, uma a cada dois
jogos). São muitos os erros que fazem com que todos nós, apaixonados pelo nosso
clube, reflitamos sobre o que queremos para o futebol.
> Por que não jogamos
com a mesma intensidade de outros times que jogam para ganhar em qualquer
estádio do Brasil?
> Por que, tendo a maior
arrecadação do Brasil e um orçamento no futebol cinco vezes maior do que o da
Ponte Preta, estamos atrás dela no Brasileiro e, depois da 32ª. rodada do
campeonato, em décimo lugar?
> Por que nossos
dirigentes só aparecem nas vitórias, não assumem a responsabilidade e não
mostram a cara também nas derrotas?
> Por que os atuais
dirigentes – a começar pelo presidente -, que frequentam os camarotes do clube
gratuitamente em nossos jogos no Maracanã, agora aparecem “vestindo
azul”, se o clube é rubro-negro?
> Por que os atuais
dirigentes fazem proselitismo político convidando sócios para camarotes extras
que são pagos pelo clube?
> Por que aceitaram
contratações como Bressan, Anderson Pico, Thallyson, Arthur Maia e Armero,
contrariando os estudos da área de inteligência?
> Por que, como se fala
no clube, quase todo o material de inteligência do clube foi embora com o
analista de desempenho Rafael Vieira, contratado pelo técnico Mano Menezes para
o Cruzeiro?
> Por que o presidente
Eduardo Bandeira de Melo, em entrevista ao jornal “O Globo”, disse que o
futebol na primeira metade da gestão dele era uma bagunça e que agora está tudo
muito bem, quando todos sabemos que foi exatamente nesta primeira metade que
conseguimos ganhar os únicos títulos desta gestão (Copa do Brasil de 2013, Taça
Guanabara de 2014 e Campeonato Carioca de 2014)? Seria uma jogada eleitoral
para tentar desmerecer o dificílimo trabalho do vice-presidente da época, o
candidato da Chapa Verde, Wallim Vasconcellos? Ou apenas mais uma ingratidão
com que ele presenteia aquele que o fez presidente do Flamengo?
> Por que conseguimos
perder para o Vasco, nosso freguês habitual, quatro vezes somente neste ano, a
ponto de Eurico Miranda brincar que torce muito pela vitória do Eduardo na
eleição de dezembro?
Apesar
de tantas questões, a atual diretoria prefere se calar, não se sabe se por
falta de competência ou apenas por falta de respeito com o torcedor.
Além
destas perguntas, listamos abaixo um bloco do sim ou do não. Vale a sua
reflexão:
BLOCO DO SIM
> Você acredita que
existem profissionais em outros clubes mais comprometidos do que os nossos?
> Você concorda que o
Flamengo deva liderar as mudanças e ser protagonista no futebol brasileiro?
> Você pensa que o nosso
time tem a cara, o comportamento e a postura de nosso presidente?
> Você acredita que
devemos buscar profissionais mais identificados com a nossa mística?
BLOCO DO NÃO
> Você está feliz com o
futebol do Flamengo?
> Você sente em todos os
profissionais do futebol e em nossos dirigentes atuais que eles têm a cara do
Flamengo?
> Você acredita que
todos os que trabalham hoje no futebol são 100% comprometidos com a grandeza do
nosso clube e que eles entendem o que representa vestir esta camisa e defender
esta Nação?
> Você aceita que, com o
maior faturamento do país, sejamos o pior mandante neste campeonato?
> Você percebeu ao longo
do campeonato alguma evolução consistente do nosso time?
> Você aceita que um
time de dimensão nacional como o Flamengo possa justificar ser derrotado pelo
Coritiba (que briga para não cair) por que jogamos em Brasília e por que os 67
mil torcedores que nos apoiaram “não sabem torcer”?
> Você acredita que
outros elencos são muito superiores aos nossos?
> Você acredita que
somos azarados e que aqui os jogadores se contundem, semana sim e a outra
também, por mero acaso?
> Você acredita que a
recuperação de quem joga pelo Flamengo deve ser mesmo muito mais longa do que a
dos demais atletas do país?
> Você acredita que
treinamos com afinco para corrigir os erros e que utilizamos bem o tempo quando
ficamos uma semana sem jogar?
> Você concorda que o
Flamengo seja coadjuvante na criação, na formatação e na organização da Liga
Sul-Minas-Rio?
> Você acredita que o
senhor Alexandre Kalil, ex-presidente do Atlético Mineiro, vai realmente
representar bem os interesses do Flamengo numa Liga de Futebol?
> Você passaria a
responsabilidade de negociar cotas de TV do Flamengo para Alexandre Kalil, o
mesmo que declarou numa entrevista que “o dinheiro que a TV Globo paga para o
Flamengo é um escândalo”?
> Você acredita que com
Gerson Biscotto (que quase levou nosso time à Segunda Divisão quando foi
vice-presidente de Futebol no passado), Flavio Godinho e Plínio Serpa Pinto
(vice de Futebol de Kleber Leite), os atuais gestores do nosso futebol, as
coisas vão melhorar?
Se
você tem vontade de fazer as mesmas perguntas ao atual presidente do Flamengo;
respondeu SIM às perguntas do BLOCO DO SIM e respondeu NÃO às perguntas do
BLOCO DO NÃO; certamente está do nosso lado. Do lado do grupo de empresários e
grandes rubro-negros que não coadunam com a velhas práticas do passado, do lado
daqueles que viraram o jogo do Flamengo na eleição de 2012 e que agora fazem,
em sua maioria absoluta, parte da Chapa Verde. Do lado de quem deseja um futuro
vencedor para o Flamengo, sem que as velhas práticas nefastas do passado voltem
a assombrar o clube.
Compare
as chapas nome a nome e venha construir, junto com Zico e a Chapa Verde, o
Flamengo dos nossos sonhos. Um Flamengo campeão de tudo.
No dia
7 de dezembro, vote Verde. Em você, no Flamengo e em Wallim e Landim.
Agora
é Verde! De Mengo para Mengão!

MAIS LIDOS

Governo do Rio libera público nos estádios; Fla era a favor

O surto recente de casos de covid no Flamengo parece não ter impressionado dirigentes do clube e políticos do Rio de Janeiro. Na manhã...

Fla hoje: Fábio Sormani critica o Palmeiras

O comentarista Fábio Sormani, dos Fox Sports, não perdeu a oportunidade de criticar o Fla hoje e o Palmeiras. O comentarista detonou o Palmeiras, já que o time...

Campeão de infecção: Fla é o time com mais contaminados pela Covid-19 na série A

Antes da retomada do futebol no Brasil, o Flamengo foi o principal apoiador da ideia da volta do esporte durante o auge da pandemia...

Flamengo se movimentou para completar elenco

A partida do Flamengo diante do Palmeiras segue inalterada pela CBF, diante de tal cenário, a diretoria rubro negra se movimentou para completar o...