sexta-feira, setembro 25, 2020
Início Notícias Clube Social de Futebol e Poli-esportivo do Flamengo.

Clube Social de Futebol e Poli-esportivo do Flamengo.

Buteco
do Flamengo – Um clube multi-facetado. Claro que, normalmente, o torcedor pensa
no Flamengo como um clube de futebol, onde joga o seu time, o Flamengo. Mas não
é bem assim. O Flamengo não foi originalmente pensado como clube de futebol,
certo? Sabemos todos. Foi idealizado como um clube de remo do bairro do
Flamengo, por, dizem, jovens angustiados de assistirem outros jovens do bairro
vizinho de Botafogo conquistarem as meninas da região. Se organizaram, fizeram
vaquinha para comprar as embarcações (a primeira,  “Pherusa”, afundou na primeira
viagem) e formaram um clube de remo de fato e de direito. É assim que se faz, é
assim que se realiza. Da ideia se faz a ação. Mesmo que imperfeita, a realidade
é feita das ações. E com tantas ideias rondando o Flamengo, como vimos, desde
sua criação, hoje temos um clube que é uma “indústria” de serviços de
convivência social, esportivos, entretenimento, educacionais e, claro,
“religiosos”, considerando o Flamengo como um “ente
religioso” a ocupar a mente e alma de seus milhões de torcedores.

E o
mundo hoje é bem complexo. E caro. Dispendioso nos mínimos detalhes. Para fazer
esta roda girar com o mínimo de qualidade é preciso controle, processos,
cadeias de comando, disciplina, orçamento, equilíbrio financeiro, jurídico,
estabelecimento de hierarquias de responsabilidades e, vamos combinar, Direção
executiva altamente capacitada.
Não
cabe mais, nesta altura de campeonato, uma Direção formada na base do
“vamos lá”, “quem manda sou eu”, “não tenho plano nem
projeto mas eu sou foda”. Isto acabou. A Lei de Responsabilidade Fiscal
Rubro-Negra, espera-se, deu um basta neste tipo de aventureiro falastrão. Do
nome pomposo e ideias vazias. Hoje exija-se projetos com Organização e Métodos.
O Flamengo vai crescendo suas receitas e atingindo o equilíbrio financeiro. Em
poucos anos terá a receita do mesmo tamanho de sua dívida.
E tudo
isto o que temos? O multi-facetado. É toda área social para cuidar. Com seus
custos além da receita que a unidade social gera. Mas é demanda de seus
associados, ou pelo menos parte importante deles, que tem o convívio social
dentro da sede como parte essencial de suas vidas. E temos também todo o
segmento poli-Esportivo. Histórico e essencial do que o Flamengo é. E o
poli-esportivo exige hoje um profissionalismo bem maior. Comissões técnicas de
ponta, atletas e estruturas adequadas para o grau de competitividade necessária
para o Flamengo, que nasceu para estar sempre no topo. E tudo ficou muito caro.
Então precisa-se de projetos de incentivo para vir dinheiro. E para vir projetos
de incentivo o clube precisa estar economicamente equilibrado, pagando suas
dívidas e ter gente capacitada para inscrever projetos que possam ser aceitos e
remunerados. Atletas de competição não são mais amadores. Querem patrocínio, ou
bolsas, querem técnicos e equipamentos de treino à altura de seus competidores.
Para um clube, que não recebe ajuda do Governo Federal, é muito caro de se
manter. Exige-se também a contratação de…Diretor Executivo para estar à
frente de forma profissional, diariamente. E para contratar um Diretor
Executivo top de linha, é preciso que ele, além de estar satisfeito com a
remuneração, claro, precisa confiar na equipe dirigente que estará acima dele.
O VP é o Alexandre Póvoa? Fica muito mais fácil vir do que um qualquer aí, “indicado
político”.
Paralelo
a isto, a razão de ser, o futebol. Altamente turbinado e problemático. O que
era aposta vira solução. O que era solução até uns meses atrás, se torna
problema. Jogadores, geralmente com dificuldades cognitivas, péssima formação
cultural e educacional, muitas vezes vindo de lares desfeitos, rumam a grandes
centros de futebol na esperança e sorte de seu talento vingar. E alguns deles
chegam no Flamengo. Se o clube não tem um Centro de Inteligência adequado, vai
chegar qualquer um, não é mesmo? Flamengo vira apostador de risco. E, sabemos,
o rico mesmo é o cassino. Mas, o Flamengo, entre crises e contratações dúbias,
formou sim o seu Centro de Inteligência. Agora softwares, câmeras,
equipamentos, monitoram jogadores e estudam a viabilidade de contratação de
outros. As apostas serão mais certeiras com o tempo, diminuindo o risco. Assim
como qualquer treinador terá acesso a informações que poderão ser utilizadas
para solucionar deficiências observadas nos jogadores tanto em jogos como em
treinamentos.
E isto
é caro. É dispendioso. Precisa de…Diretor Executivo, controlando a situação
de forma profissional. Precisa também de projeto para o setor, para saber até
onde quer chegar com a Base, por exemplo, porque não vende ninguém, porque
pouquíssimos são aproveitados, porque tanta deficiência, em jogadores sub-20,
em finalizações, passes, dribles, marcação, cruzamentos. Algo está bastante
errado. É preciso rever os processos. E para isto, claro, exige-se outro enorme
investimento em tempo, profissionais, capacitação e…dinheiro. Tanto tempo
legado a amadores, que colocavam, talvez, jogadores de amigos e parentes, nos
quais passavam a mão no ambiente caótico sem disciplina, não tem mais vez.
O
Flamengo, portanto, não é só futebol. Não é só social. Nem só remo. Nem só
vôlei. Nem só basquete ou natação. O Flamengo é tudo isto aí. E não adianta
negarmos, quisermos priorizar um lado ou outro. O Flamengo não nasceu para
ficar limitado a um braço. Bem organizado e forte economicamente terá braços o
suficiente para abraçar o universo. Bem organizado e forte, este é o mantra.
Flavio
H Souza
Twitter:
@PedradaRN

MAIS LIDOS

Conmebol nega pedido do Fla para inscrever mais dez atletas na Libertadores

O Flamengo sofre com o surto de contaminação pelo novo coronavírus instalado no clube. 16 jogadores pegaram Covid-19 nos últimos dias e a equipe...

Jair Ventura pede atacante do Flamengo pagando 100% do salário

O Flamengo possui um dos times mais qualificados do futebol sul-americano. Com tamanha qualidade técnica, é certo que muitos jovens atletas não terão a...

Cada um pensando em seu próprio umbigo

Muito do que tem acontecido nas últimas horas no futebol brasileiro serve para reforçar algo que já é histórico em relação a nossos dirigentes:...

Dirigente espera poder contar com atletas infectados na quarta

O Flamengo está passando por um surto de covid-19 em seu elenco. Ao todo, são 23 casos, inclusive entre comissão técnica e dirigentes. O...