sábado, setembro 26, 2020
Início Notícias Com nova regra, clubes e agentes vivem fase de adaptação.

Com nova regra, clubes e agentes vivem fase de adaptação.

SporTV
– Desde o dia 1º de maio, a nova regulamentação da Fifa que proíbe a
participação de terceiros em direitos econômicos de jogadores entrou em vigor.
A decisão da entidade máxima, anunciada no fim de 2014 e que viveu transição
nos primeiros meses do ano, tem como objetivo diminuir a participação de
agentes e fundos de investimento no esporte. Empresário que administra a
carreira de 58 jogadores que jogarão a Série A neste ano, Eduardo Uram explicou
a mudança.


Sempre digo que o direito econômico era o glúten que unia os interesses de
clubes, jogadores e empresários. A gente vai vivenciar um mercado agora sem
glúten. Ninguém pode ter (direito) que não seja o clube detentor do contrato e
o clube anterior, que ainda pode manter um percentual – disse.
Presidente
do Santos, Modesto Roma Júnior apoia a medida por acreditar que os clubes
ficarão mais fortalecidos, já que poderão negociar jogadores e receber 100% do
lucro. Por outro lado, não é mais possível obter empréstimos de agentes e fundos
negociando em troca parte dos percentuais de jovens jogadores.
– Até
o momento que as melancias se ajustarem na carroça, vai haver problema. Mas com
o andar da carroça, as melancias se assentam. (A preocupação) É pelo fato de
ainda acharem que empresário tem que financiar clube. O clube precisa ter uma
gestão responsável e não ser financiado por empresário – afirmou.
Uma
corrente de clubes, porém, acredita que essa medida foi feita apenas para
beneficiar os grandes clubes da Europa. Sem a ajuda de grupos financeiros, os
sul-americanos venderão seus jogadores por preços menores, uma vez que busca
por recursos aumentará. Mário Celso Petraglia, presidente do Atlético-PR,
demonstra preocupação com o futuro.

Somos dos países que faturam menos, dos clubes que arrecadam menos e não
teremos o ingresso de capital de terceiros. Realmente, vamos continuar ainda
mais na pobreza – afirmou.
Na
Europa, onde muitos clubes são empresas, existem ações nas cortes europeias
pedindo a suspensão da medida, considerada ilegal. Os clubes contrários alegam
que a Fifa está intervindo na economia das instituições.

MAIS LIDOS

Flamengo pode ganhar até 8 reforços contra o Del Valle

O foco do Flamengo no momento é na disputa do próximo jogo pelo Campeonato Brasileiro, onde o Rubro-negro irá medir forças diante do Palmeiras....

Fla hoje: Zagueiro se aproxima de deixar o Flamengo

É de conhecimento de todos a excelente categoria de base que o Fla hoje possui. Nos últimos anos, Vinicius Junior, Reinier e Paquetá foram...

Demissão de funcionário revolta torcida do Fla; veja os comentários

O torcedor flamenguista ver mais notícias sobre o extra campo do Fla do que dentro de campo. Na noite desta sexta-feira, foi notificado que...

Vice-Presidente do Fla crítica CBF por manter partida

O Flamengo tem 16 casos de covid confirmados dentro de seu plantel, fato que não parece significar muito para a CBF. Isso sem contar...