quinta-feira, outubro 1, 2020
Início Notícias "Continuamos evoluindo".

“Continuamos evoluindo”.

Boteco
do Fla – Voando, pousando, chegando.
Esse
foi um resumo da ida até Campinas. Assim mesmo. Cheio das desgraças dos
gerúndios, já que a gente tem mesmo que acostumar com essa porr*. O campeonato
já na metade, a gente fazendo (olha o gerúndio aí) merda uma atrás da outra,
com uns breves intervalos entre elas, e o técnico e os jogadores só sabem falar
do tal do “evoluindo”. Arrisca a gente chegar em dezembro melhor que
o Barcelona de tanta evolução que anda sendo apregoada.
Chegada
ao estádio quase tranquila. O quase fica por conta do taxista e uma colocação
(zeeentcheee!!!) infeliz. Largou a gente perto do Moisés e proferiu frase de
todo estranha, dada a fama da cidade. “Essa ladeira de grama aí dá pra
sentar e escorregar”. Vá entender. Pagamos (sem duplo sentido) a corrida e
fomos para o portão de entrada dos visitantes.
Imagem
bonita na entrada. Los Inchas da Nação 12 conseguiram a proeza de, na fase
atual do Flamengo fazendo morada no meio da tabela, encher um ônibus para essa
partida de não muito apelo. Esparramados junto ao portão ainda fechado,
portavam no olhar o brilho de “eu fiz isso”, que só os mochileiros de
campanhas de vacas magras do time podem exibir, posto que na boa e na podre
tudo é mais fácil e com sentido. Em desempenhos mequetrefes que não levam a
lugar nenhum, nem para o bem e nem para o mal, é bem mais complicado justificar
a viagem para a parte do cérebro que (ainda) funciona de forma razoável.
Começa
o jogo. O Flamengo domina, domina e domina. Jogadas pelas laterais, chutes para
o gol, bolas explodindo na trave, e tudo mais fazendo crer que outra vitória
fora de casa estava encaminhada. Patrick, que já havia trabalhado com Lula
Molusco, nosso técnico, em outro ramo de atividade, parecia querer provar
cientificamente que alguém que cria no meio-campo geralmente é mais útil que
alguém que não o faz. Apesar do domínio, o primeiro tempo encerra sem gols,
dando a sensação de que a vitória era uma questão de tempo assim que a bola
voltasse a rolar. Enquanto aguardamos a segunda etapa, apreciamos a batalha
justa mas acirrada dos rubro-negros presentes para conseguir comprar um pastel
de queijo e/ou de carne. O pastel no estádio da Macaca é um campeão de sabor e
audiência. E o principal, não sofreu influência do raio fifatizador e tem
preços acessíveis.
Saciada
a fome da torcida, o time pareceu também saciado da vontade de fazer gols. Cristóvão,
talvez achando que o caminho para o gol da Ponte deveria ser trilhado por meios
legais e não desportivos, sacou o Alan e botou o rapaz dos processos pra tentar
dar andamento ao caso. Fora isso…. Fora isso… O Gabriel entrou também.
Impressionante. O rapaz põe por terra toda aquela teoria de que a oportunidade
só bate na porta uma vez. Mais uma vez o garoto não deu no couro, errando tudo
que tentou. Tá arriscado entrar no lugar do Guerrero na quarta, já que o mesmo
tomou outro cartão por faniquito desnecessário. Ou talvez até no lugar do PV.
Há de entrar em algum lugar.
Não
foi pavoroso, mas o time caiu de produção e de tanto não marcar, regra básica
do futebol, acabou levando um gol da Ponte, que andava sem ganhar por um longo
período. Nós e nossa flazarês nata ressuscitando os mortos.
Ao
fim do jogo o de sempre. Os presentes à arquibancada rendendo muitas homenagens
ao técnico, e o mesmo e os atletas constatando pela milésima vez que nós
estamos evoluindo. Pode ser. Os dinossauros, por exemplo, levaram um porrilhão
de tempo pra ficar daquele tamanhão todo. Pra sorte deles o período jurássico
soube esperar e não durou apenas 38 rodadas.
Saída
tranquila, posto que as duas torcidas não se estranham. A volta foi de busão.
Eu e meu filho pudemos então comemorar o Dia dos Pais desfrutando de toda a
hospitalidade da rodoviária campineira. Inclusos um cachorro quente todo
desmontado e impossível de se comer de forma civilizada, um
feijão-arroz-purê-bife intragável, e o requinte de tomar banho e depois se
humilhar rastejando por baixo da porta do banheiro, “caudique” o
carinha lá responsável “Ih é… Esqueci de vocês trancados lá”.
Amo
muito tudo isso.
O
respeito voltou. Ponto.
Instagram
e Facebook: Mercio Querido
Twitter:
@sorinmercio

MAIS LIDOS

Lincoln brilha em partida que poderá ter sido a última pelo Fla

Diante de tantos desfalques, surgiu para Lincoln algumas novas oportunidades de aparecer no elenco. O jogador ainda possui 19 anos, é um jovem em...

Grata surpresa: Flamengo tem elenco maior do que imaginava

O cenário nos últimos dias era caótico, o Flamengo simplesmente não tinha time para entrar em campo. Ou será que tinha? Bem, a realidade...

Jordi Guerrero recebe eleogios da torcida: ”Fica”

A vitória do Flamengo por 4 a 0 foi muito comemorada pelos torcedores nas redes sociais. Com o resultado, o Fla se garantiu nas...

Libertadores: Gerson cutuca o Del Valle após goleada

O Flamengo jogou na noite desta quarta-feira diante do Independiente del Valle, em confronto válido pela Libertadores da América. O Rubro-negro não tomou conhecimento do rival, vencendo...