Deivid e Erazo já planejam futuro sem o Futebol.

Por: Fla hoje

Lancenet
– Com salários muitas vezes na casa das centenas de milhares de reais,
jogadores de futebol se acostumam a viver num padrão de vida considerado alto.
Não são poucos os exemplos de craques do mundo da bola que ostentam, em mídias
sociais, carros, jóias, jantares, roupas, etc. De olho no montante dos
boleiros, aparecem no mercado empresas especializadas em administrar o
patrimônio de atletas, sejam eles aposentados ou não.

Deivid,
atual auxiliar-técnico do Flamengo, é cliente de uma destas empresas. Em
entrevista ao LANCE!, o ex-atacante de 35 anos fala sobre as vantagens de ser
orientado fora de campo. O veterano, que acumulou passagens por Santos,
Corinthians, Cruzeiro, Bordeaux (FRA), Sporting (POR), Fenerbahçe (TUR) e
Coritiba, além do próprio Fla, se gaba de agora deter conhecimento para
investir no mercado financeiro.

Minha preocupação desde quando comecei a carreira no Santos, com 18 anos, era o
pós-carreira, o que eu iria fazer, como iria administrar meus ganhos. Eu sempre
me preocupei com isso. Vim do subúrbio do Rio de Janeiro, ganhava R$ 50, sabe.
Aí de uma hora para outra comecei a ganhar dinheiro, sem pai, com minha mãe
analfabeta. No meio em que vivo, é difícil encontrar alguém de confiança, de
credibilidade – comentou.

Quando você se aposenta no futebol, para entre 35 e 38 anos. Mas você tem mais
40 anos para viver. Então você acha que ganha dinheiro suficiente para
sobreviver, mas na verdade dura mais uns dez anos. Isso às vezes o jogadores
não param para pensar, pensam só no momento. Agora eu sei se é hora de investir
em imóveis, em salas comerciais. A empresa me dá suporte para eu aumentar meu
patrimônio – completou.
Felipe
Carrilho, sócio-diretor da Viguer, uma das empresas que atuam na área de
suporte financeiro a jogadores e ex-jogadores de futebol, falou sobre a
importância de os atletas administrarem bem seu patrimônio. Deivid, por
exemplo, se aposentou há um ano, em abril de 2014, e é cliente desta empresa
desde 2006, quando ainda jogava no futebol português.
– O
maior orgulho da Viguer é poder proporcionar aos atletas como o Deivid o poder
de decisão. De oferecer a eles o direito da escolha de se aposentar ou não
precocemente, sem se preocupar com a questão financeira, com o sustento da
família e com o padrão de vida já alcançado. Esse é o maior exemplo que
planejamento financeiro importa e faz toda a diferença na vida pessoal e
profissional de um atleta – explicou Carrilho.
Frickson
Erazo é outro exemplo de jogador auxiliado por este tipo de empresa.  O zagueiro equatoriano, atualmente no Grêmio,
chegou ao Brasil em 2014. Na época, ele havia sido emprestado ao Flamengo pelo
Barcelona de Guayaquil (EQU). Novo no Brasil, ele precisou de ajuda para fazer
movimentações financeiras e administrar seu montante no País.
– A
minha primeira dúvida era entender o funcionamento das minhas operações
financeiras no Brasil. A Angel Sports me esclareceu e me senti seguro nas
minhas decisões. Também tinha dúvidas de como mandaria meu dinheiro de uma
maneira legal e rentável par ao exterior. Eles foram atenciosos e atenderam
minhas expectativas – disse Erazo ao L!.
Marcio
Santos, sócio-diretor da Angel Sports, outra consultoria de finanças de
boleiros, comparou a função dessas empresas à de “anjos”. O objetivo
é dar liberdade para os atletas focarem em seus assuntos profissionais e se
preocuparem o mínimo necessário com questões envolvendo dinheiro.

Trabalhei muitos anos em banco e vi o quanto os jogadores pagavam taxas e
adquiriam produtos que não precisavam. Daí nasceu a ideia de ser uma espécie de
anjo desses atletas. É importante porque muitos são vulneráveis, e procuramos
fazer as coisas da melhor forma para os clientes. Essas empresas deixam os
jogadores seguros para focar no lado profissional, sem se preocupar com nenhum
problema burocrático e os orientando nos investimentos certos e no momento
oportuno – avaliou Santos.
NOVO PERFIL DE JOGADOR
Seja
atualmente, na condição de auxiliar-técnico, ou há alguns anos, quando ainda
era jogador, Deivid garante: sempre foi abordado por colegas de trabalho acerca
da administração de seus bens. E o próprio veterano dá um palpite: os jogadores
de futebol vão, cada vez mais, se interessar por investimentos financeiros e
negócios extracampo. Na mesma linha, o equatoriano Erazo aconselha demais
boleiros a procurarem esse tipo de empresa.
– Acho
que a tendência é essa. Até porque hoje não existem jogadores como antigamente,
qualquer jogador hoje sabe ler, ver mercado financeiro. Acho que a tendência é
essa, jogadores se interessando cada vez mais por esse mercado financeiro,
aumentando seu patrimônio. Muitos jogadores com quem tenho contato perguntam
sobre. Isso é instinto, né? Desde os 18 anos minha preocupação era aumentar meu
patrimônio – ponderou Deivid.

Indicaria, com prazer, da mesma forma que me indicaram. Afinal, eu aprovei o
serviço que me foi oferecido – acrescentou Erazo.

MAIS LIDOS

Após vexame, Renato Gaúcho volta a falar do Flamengo e revolta torcedores

O Grêmio jogou na noite deste domingo diante do Palmeiras, em jogo válido pela final da Copa do Brasil. O time gaúcho não conseguiu...

Rei do Vexame: Renato Gaúcho vira alvo da torcida do Fla após vexame

O Palmeiras jogou na noite deste domingo diante do Grêmio, em jogo válido pela final da Copa do Brasil. O time paulista já tinha...

Abel Braga ainda reclama da arbitragem no jogo contra o Fla

Após vários trabalhos ruins seguidos, o técnico Abel Braga chegou sem muita expectativa no Internacional. Entretanto, ele conseguiu fazer um bom trabalho a seu...

Torcida se encanta com Ramon e mandam recado para Renê

O Flamengo jogou na noite deste sábado, diante do Macaé, em jogo válido pela 2ª rodada do Campeonato Carioca. O Rubro-negro conseguiu vencer com...