Dirigente do Atlético-MG ataca Flamengo por posição na CBF

O dirigente do Atlético-MG, Lásaro Cândido, usou de suas redes sociais para reclamar (mais uma vez), de arbitragem. E mesmo que seu clube já tenha sido favorecido por um erro esdrúxulo diante do São Paulo, algumas pessoas que envolvem o Atlético cismam em colocar em cheque arbitragem, sendo que hoje, o VAR conseguiu consideravelmente diminuir os erros de arbitragem. Mas nada que faça o “jogo político” de jogar para o povão mudar.

Leonardo Gaciba foi o primeiro “alvo” do mandatário. Mas logo depois, quase que por obrigação, Lásaro se lembrou do Flamengo, claro. O dirigente condenou a postura do Flamengo de negar o aumento do número de inscritos para o Campeonato Brasileiro.

“Vou dar um exemplo: na última reunião dos clubes do conselho técnico, a CBF apresentou uma proposta de aumentar de 40 para 50 inscritos no campeonato. Você acredita que o Flamengo votou contra? Tiveram 6 votos contra. O Flamengo veio com a seguinte tese: nossos jogadores já tiveram COVID-19, então para nós não foi atendido na época, o pedido para adiar o jogo, então não concordamos”, comentou o dirigente, que completou:

“Eu falei assim para o presidente do Flamengo: ‘Deixa eu lhe falar. Sequer tem a prova de que não se pode ter reinfecção. Já têm casos, o vírus é praticamente mutante, a gente tem que conhecer muitas coisas dele. Numa situação de pandemia, a gente não pode aumentar para 50?’. Não, o Flamengo votou contra com mais alguns clubes, mas nós ganhamos a discussão. Coisas básicas”

Onde está o bom senso?

A fala do dirigente atleticano é “bonita”. Realmente, o bom senso é uma coisa básica na vida. Porém, Landim não está errado. Quando o Flamengo mais precisou de bom senso de seus “pares”, obteve negativas atrás de negativas. O Flamengo precisou em dois dias retirar jogadores do sub-20 para viajar e jogar uma partida pelo Brasileirão profissional. Onde estava o bom senso naquela época? Para onde ele foi? Não era possível adiar o jogo?

Notícias relacionadas

Pelo contrário, dirigentes do próprio Atlético ameaçaram até cancelar campeonato por conta de algo tão “básico”, não é mesmo? O bom senso do dirigente brasileiro é quando lhe favorece. O Flamengo quando precisou não contou com o bom senso de ninguém, e agora não tem obrigação alguma de oferecer o oposto do que lhe foi oferecido.

E vale lembrar, além do Flamengo, outros cinco clubes vetaram a mudança de inscritos. O citado? Claro, apenas o Flamengo.

Leia também: Presidente do Inter detona escala do VAR no duelo contra o Fla

Veja também: Sesc RJ Flamengo estreia com vitória no Carioca 2020

Aloizio Pita de Castro Jr: Um grande amante do futebol e principalmente do Flamengo. Redator com grande experiência e trabalhos em outros grandes portais. Hoje estou no Fla hoje.

Este site usa cookies!