sexta-feira, setembro 25, 2020
Início Notícias Dr. Claudio Cardone fala sobre lesionados do Flamengo.

Dr. Claudio Cardone fala sobre lesionados do Flamengo.

Foto: Rafael Rezende/GRN

GARRAFÃO
RUBRO-NEGRO
: Neste início de temporada, José Neto ainda não conseguiu contar
com o elenco completo. Lesionados anteriormente, Rafael Mineiro e Ricardo
Fischer se recuperaram e estão disponíveis. Por outro lado, Pedrinho Rava, que
se machucou na LDB, segue fora de combate. Para piorar, Humberto e Lelê, que
vinham jogando regularmente, sofreram lesões e terão que ficar em tratamento.
Visando esclarecer todas essas questões, o Garrafão Rubro-Negro entrevistou o
Dr. Claudio Cardone, médico do clube.

Claudio
explicou a lesão sofrida por Mineiro, afirmou que ela está cicatrizada e
definiu os próximos passos:
“Primeiro,
durante as férias, o Rafael Mineiro teve uma lesão muscular grave. Já chegou
com cinco ou seis semanas de recuperação, mas é uma caso que leva, no mínimo,
de oito a nove semanas para cicatrizar. E, agora, está com dez semanas. Nós
realizamos dois treinos e o liberamos antes da partida contra o Botafogo. A
expectativa é de uma evolução passo a passo, porque ele ainda vai ter
dificuldade em relação a força da perna. Mas a lesão mostrou que está
cicatrizada, então, não preocupa mais. A partir de agora, vamos ter uma dosagem
específica de treinos e ele deverá participar normalmente dos jogos.”
Indagado
sobre Ricardo Fischer, o chefe do Departamento Médico abordou o retorno
gradativo do armador e citou perspectivas futuras:
“Quando
contratamos o Ricardo Fischer, já sabíamos que seria uma volta gradual. Não
existe cirurgia de cruzado anterior que volte 100% mesmo após seis meses. Nossa
perspectiva é que seja um ano de recuperação, pelo menos até o nono mês de
cirurgia, que vai ser lá para janeiro. Esperamos que altos e baixos aconteçam,
mas sem forçar demais. Ele jogou um tempo maior em Macaé e teve um desconforto.
A gente optou por poupar e fazer um treino específico. Ele joga sexta-feira.
Depois, vamos seguir nessa sequência de trabalho, poupando quando for
necessário. Vai depender muito do retorno. Nossa preocupação é que o Fischer
tenha a melhor recuperação possível, pois se trata de um jogador de muito
futuro não só para o Flamengo, mas para o Brasil. Não podemos atropelar as etapas
e nem pensar que o nível vai ser o mesmo por agora.”
No
encerramento do papo, o doutor elucidou as situações de Humberto, Lelê e
Pedrinho Rava:
  
“O
Pedrinho não se machucou de novo. Fomos testá-lo para tentar evoluir no
treinamento e ele sentiu, então, nem evoluímos. Mantivemos o tratamento.
Esperamos o retorno dele nas próximas duas semanas para, quem sabe, participar
das finais do Estadual, caso o Flamengo chegue lá. Humberto e Lelê estão fora
da competição por fratura: o primeiro com uma no pé e o segundo com uma pequena
no joelho. A gente espera que o Lelê volte a jogar num prazo de seis a oito
semanas, mas vai ficar ficar um mês sem fazer nenhum tipo de trabalho. Em
relação ao Humberto, esperamos ele só em janeiro.”

MAIS LIDOS

Conmebol nega pedido do Fla para inscrever mais dez atletas na Libertadores

O Flamengo sofre com o surto de contaminação pelo novo coronavírus instalado no clube. 16 jogadores pegaram Covid-19 nos últimos dias e a equipe...

Jair Ventura pede atacante do Flamengo pagando 100% do salário

O Flamengo possui um dos times mais qualificados do futebol sul-americano. Com tamanha qualidade técnica, é certo que muitos jovens atletas não terão a...

Cada um pensando em seu próprio umbigo

Muito do que tem acontecido nas últimas horas no futebol brasileiro serve para reforçar algo que já é histórico em relação a nossos dirigentes:...

Dirigente espera poder contar com atletas infectados na quarta

O Flamengo está passando por um surto de covid-19 em seu elenco. Ao todo, são 23 casos, inclusive entre comissão técnica e dirigentes. O...