• Início
  • Notícias
  • Língua afiada: Edmundo ironiza artilharia de Gabigol no Maracanã
Publicidade

Língua afiada: Edmundo ironiza artilharia de Gabigol no Maracanã

Publicidade

O Flamengo começou a Taça Rio assim como terminou a Taça Guanabara, vencendo. Mesmo com time bastante alternativo, Gabigol brilhou mais uma vez, marcando três gols. Porém não foi apenas o camisa 9 que se destacou na noite de hoje, algumas atuações individuais chamaram muito a atenção.

O atacante demonstrou um grande futebol novamente. Contra o Cabofriense, o camisa 9 do Rubro-negro chegou a 33 gols marcados, se isolando na artilharia do novo Maracanã. Com os três tentos deste sábado, o jogador ultrapassou Fred, ficando sozinho na artilharia.

Porém, colocar Gabigol na lista dos maiores artilheiros da história do estádio do Maracanã não certo. O ex-jogador disse essas palavras durante o Expediente Futebol, antes mesmo de Gabigol fazer três gols contra o Cabofriense.

Vou fazer uma reforma lá na minha casa também. Aí vai chamar ‘nova minha casa’ e eu vou esquecer IPTU, conta de luz, conta de água. Só vai valer da reforma em diante. O que o Zico fez, o que o Roberto Dinamite fez no Maracanã não vale nada. Só existe ‘novo Maracanã’. Eu nunca fiz gol no Allianz Parque. Nem no novo Maracanã. No Maracanã que eu fiz não existe. Acabou o Maracanã”, declarou.

Vitinho mais uma vez “comeu a bola”, e em uma posição até distante do ataque, fazendo a função de meia pela esquerda em vários momentos. O jogador distribuiu caneta, chapéu e alguns ótimos passes em profundidade. Colocou uma bomba no travessão do goleiro da Cabofriense e foi bastante participativo durante todo jogo.

Outro da frente que chamou a atenção foi Michael, talvez até mais que Vitinho. Seus dribles rápidos conseguiram desarmar a defesa adversária em vários momentos, além de um passe de qualidade em velocidade. Michael conseguiu na noite de hoje marcar o seu primeiro gol, após troca de passes, Gabigol rolou para ele balançar as redes. Esse foi o primeiro gol do Flamengo no jogo.

Pedro Rocha talvez tenha sido o mais apagado do sistema ofensivo, apesar de também ter jogado bem. É fácil imaginar que com tempo em campo e entrosamento, ele irá evoluir. O sistema defensivo do Flamengo todo trocado penou com as bolas lançadas. Em vários momentos a Cabofriense encaixar bolas nas costas dos marcadores, e assim surgiu o gol de empate.

 

 

 

Publicidade
Publicidade

© Copyright 20 Fla Hoje. Todos os direitos reservados
Website desenvolvido por Azarod