Eduardo Bandeira percebeu que o Flamengo não é um banco.

Eduardo Bandeira comemorando título da Copa do Brasil 2013 pelo Flamengo – Foto: Alexandre Vidal

COSME
RIMOLI
: Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Trauco; Márcio Araujo, Willian
Arão e Gabriel (Matheus Sávio); Berrío (Rômulo), Éverton e Guerrero.

Esta
foi a equipe que o Flamengo colocou em campo diante do San Lorenzo, no estádio
Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires. O time de Zé Ricardo sofreu o gol de
Belluschi, aos 47 minutos do segundo tempo. Perdeu a partida por 2 a 1. E foi
eliminado da Libertadores da América de 2017. Ainda na fase de grupos.
Foram
vários os desfalques.
Os
reservas não estiveram à altura.
O que
fez a diretoria?
Decidiu
salvar 2017.
A
conquista do Carioca nunca foi levada em consideração.
A
pressão era enorme para a demissão de Zé Ricardo.
A
campanha do time carioca foi bipolar.
Três
vitórias no Rio de Janeiro e três derrotas fora de casa.
O
executivo Rodrigo Caetano foi decisivo.
Ele é
o homem que explica os detalhes do futebol para o presidente Eduardo Bandeira
de Mello. E Rodrigo não só defendeu a permanência de Zé Ricardo e foi muito
claro. O Flamengo não tinha elenco forte o suficiente para vencer a
Libertadores.
E
montaria o time mais forte do país.
Simples
assim.
Em
2013, o Flamengo devia R$ 750 milhões. Depois de uma reestruturação séria e
gestão responsável, o clube anunciou seu balanço de 2016. A dívida caiu para R$
390 milhões. Em pleno período de recessão. E sem o uso constante do Maracanã. O
desejo é chegar no final deste ano com R$ 270 milhões negativos.
No ano
passado, o clube da Gávea chegou a R$ 483,49 milhões em receitas líquidas.
As
luvas de R$ 100,3 milhões pela assinatura de contrato com a Globo foram um
inesperado reforço. Fruto da concorrência com o Esporte Interativo. Segundo o
clube, R$ 70 milhões já foram recebidos, e o restante será pago em duas
parcelas, em 2019 e 2021.
Até
por isso, os direitos de transmissão respondem pela maior parte do ganho
rubro-negro, com R$ 297,19 milhões. Entre as demais receitas do futebol, que
totalizaram R$ 429,34 milhões, R$ 39,33 milhões vieram de bilheteria; R$ 66,33
milhões de patrocínio; e R$ 26,47 milhões do programa de sócio-torcedor.
Outros
dados significativos. Os gastos com o futebol. R$ 74,14 milhões foram
investidos na aquisição dos direitos federativos e de imagem de jogadores. R$
158,75 milhões em ativos imobilizados: sede social, centro de treinamento e
outros.
Em
salários, foram gastos R$ 114,5 milhões, sendo R$ 97,79 milhões apenas com o
futebol.
Demorou,
mas Bandeira de Mello percebeu que o Flamengo não é um banco. E sim o clube
mais popular do Brasil. E precisa de uma equipe fortíssima, capaz de brigar por
todos os títulos possíveis. Não é luxo. E sim investimento com retorno
garantido.
Por
isso, mesmo com a equipe eliminada da Libertadores, os investimentos não
pararam. Muito pelo contrário. O clube carioca tem assegurado a contratação de
três grandes reforços. Everton Ribeiro, que acaba de ser anunciado
oficialmente. O zagueiro Rodholfo. E Geuvânio.
Com o
estúpido regulamento da Copa do Brasil só aceitando inscrições até abril, antes
da janela do meio do ano, que deixaria a competição muito mais interessante, o
clube carioca vai utilizar o trio na busca do Brasileiro, na Sul-Americana e,
sim, na Primeira Liga. O torneio que revolucionaria o futebol deste país virou
fantasma. Começou em janeiro e será decidido outubro.
A diretoria
flamenguista tem a certeza que a contratação do trio, o time ficará muito
forte. E o reflexo chegará na arrecadação ainda este ano. Com mais esses três
jogadores de alto nível.
E
utilização do Maracanã.
“Alô,
Nação Rubro-Negra, aqui é Everton Ribeiro. Estou muito feliz de realizar meu
sonho e vestir esse manto sagrado. Não vejo a hora de estar com meus
companheiros, entrar em campo, dando muita raça, conseguir muitas vitórias e
sermos campeões juntos. Um abraço. É ‘nóis’.”
Esta
foi a empolgada declaração de Everton Ribeiro ao site do Flamengo. Sua
contratação foi confirmada ontem. Foi comprado por 6 milhões de euros, R$ 22,2
milhões. O meia de 28 anos assinou contrato até 2021.
A
postura firme do time carioca surpreendeu a direção do São Paulo, do Palmeiras
e do Grêmio. Os clubes paulistas e o gaúcho acreditavam que se aproveitariam da
eliminação dos cariocas da Libertadores. E conseguiriam contratar Everton
Ribeiro, desejo tanto de Rogério Ceni, Cuca e Renato Gaúcho. Até mesmo o
empresário do jogador, Robson Ferreira, ficou surpreso com a firmeza
flamenguista.
A
direção rubro-negra manteve sua palavra com Everton Ribeiro.
E o
comprou do Al Ahli. A transação foi difícil, já que ele era o maior ídolo do
clube.
Everton
retorna ao país para matar dois sonhos. O primeiro era jogar pelo Flamengo e o
segundo, retornar à Seleção Brasileira, a tempo de disputar a Copa do Mundo de
2018. Quando foi jogar nos Emirados Árabes fazia parte da lista do então
treinador Dunga. Agora, tem a certeza que a força popular flamenguista
convencerá Tite a dar uma nova chance.
Não
foi por acaso que Conca discutiu com Zé Ricardo ao não ser relacionado para o
clássico contra o Botafogo. O meia argentino, cujo empréstimo termina em
dezembro, e sequer estreou, sabe que a concorrência ficará pesada. Já não
bastavam Diego, Ederson, Mancuello, Matheus Sávio e Lucas Paquetá, agora chega
Everton Ribeiro.
A zaga
flamenguista, motivo de inúmeras reclamações, terá o reforço de Rodholfo. O
jogador foi comprado por R$ 4 milhões do Besiktas. O contrato do firme zagueiro
de 30 anos irá até o final de 2019.
Os
dirigentes do Flamengo também têm a certeza que anunciarão Geuvânio. O jogador
está em férias no Brasil. Ele foi levado para o Tianjin Quanjian, da China, por
Vanderlei Luxemburgo, em 2016. Se tornou reserva e pouco utilizado até mesmo no
banco. Quer recuperar seu prestígio. Já conversou com dirigentes flamenguistas.
E acertou seus salários até dezembro de 2018.
A
proposta do time carioca é o empréstimo de um ano e meio, dividindo o salário
com os chineses. E com uma cláusula no contrato que o obrigaria a liberar o
jogador imediatamente, caso surgisse o interesse de um clube europeu. O
Flamengo teria a prioridade, caso conseguisse, e quisesse, igualar essa
eventual futura proposta.
O
Santos também quer Geuvânio.
Mas o
jogador prefere a Gávea.
Com,
pelo menos esses três, reforços, os dirigentes flamenguistas têm a certeza. Vão
brigar pelos títulos do do Brasileiro e da Sul-Americana. A Primeira Liga não
interessa tanto. Mas a vaga para a Libertadores de 2018 é obrigação.
Demorou
mais Bandeira de Mello entendeu a importância do futebol para o Flamengo se
livrar de suas dívidas. Por ano, são R$ 50 milhões só de juros.
Por
isso, Everton Ribeiro, Rodholfo, Geuvânio se juntam a Guerrero, Diego, Conca,
Rômulo, Réver, Trauco, Mancuello, Ederson, Everton, Muralha, Leandro Damião,
Bérrio, Willian Arão e a grande promessa Vinícius Júnior.
Agora
a cobrança será forte.

Ricardo que se vire.
Com os
reforços, o Flamengo terá o melhor elenco do país.
Acabaram
as desculpas…

Compartilhe

O FlaHoje é um portal eletrônico de notícias voltado exclusivamente os torcedores do Flamengo. Nosso objetivo é mostrar as principais notícias com qualidade, rapidez e imparcialidade, focando notícias do nosso time favorito, o Rubro-Negro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.