terça-feira, setembro 29, 2020
Início Notícias Fla x Vasco: Juiz dá pênalti discutível e poupa Gilberto.

Fla x Vasco: Juiz dá pênalti discutível e poupa Gilberto.

Globo
Esporte – Rodrigo Nunes de Sá nem precisava estar de camisa e meião cor caneta
marca texto para chamar a atenção no Maracanã. Árbitro da partida decisiva
entre Flamengo e Vasco, neste domingo, pela semifinal do Carioca, atraiu tantos
olhares quanto o rubro-negro Alecsandro ou o vascaíno Gilberto. Muito por culpa
de João Batista de Arruda. Uma semana antes, no jogo de ida, ele teve sua
arbitragem muito questionada por conta da questão disciplinar.
Rodrigo
entrou em campo com semblante tranquilo, acompanhado dos auxiliares Rodrigo
Figueiredo Henrique Corrêa e Rodrigo Pereira Joia. O Rodrigo do apito foi alvo
de queixas dos torcedores dos dois lados, mas os rubro-negros reclamaram mais,
principalmente no segundo tempo, quando um pênalti polêmico de Wallace sobre
Gilberto foi marcado, aos 15. O lance definiu a vitória do Cruz-Maltino por 1 a
0 e garantiu a passagem da equipe para a final contra o Botafogo. Na sequência,
um erro. Na comemoração do gol, o atacante Gilberto, que já tinha amarelo, foi
festejar com a torcida e subiu as escadas. Deveria ter sido expulso, mas não
foi.
Primeiro tempo ok
Qualquer
marcação do juiz merecia palavrões em série. Pobre da mãe dele, “homenageada”
sem dó. No geral, foi uma atuação firme na primeira etapa, segura e sem grandes
erros, com exceção de algumas inversões de falta.
O
árbitro tentou mostrar comando desde o início da partida. O cartão amarelo para
o lateral-direito Pará, do Flamengo, saiu aos nove minutos e serviu como aviso.
Antes que os vascaínos chegassem para reclamar, já havia sido aplicado.
– A
entrada do Pará foi forte, talvez em outras circunstâncias passasse, mas diante
do que aconteceu, ele quer mostrar que está com o comando do jogo – avaliou
Renato Marsiglia, comentarista de arbitragem da TV Globo.
Com
a vantagem do empate era do Flamengo, o árbitro também deu um recado ao goleiro
rubro-negro Paulo Victor. A demora para cobrar tiros de meta não seria
tolerada. As reclamações não ficaram restritas aos torcedores. Pará,
Alecsandro, Márcio Araújo e Vanderlei Luxemburgo chiaram muito. Do lado do
Vasco, Guiñazu e Marcinho trataram de pressionar Rodrigo Nunes de Sá:

Foi a terceira, foi a terceira! – alertou Marcinho, ao reclamar da recorrência
de faltas sobre ele.
O
árbitro também falou grosso. Quando Luiz Antonio cometeu uma falta no campo de
ataque, chegou perto e enquadrou o camisa 15. Da área técnica, Luxemburgo não
gostou da atitude. Veio o tempo técnico, aos 20 minutos, e a arbitragem se
reuniu assim como os dois times. Havia pouco a debater naquele momento. O
rápido encontro não passou de cinco minutos.
A
pausa esquentou o clima no gramado do Maracanã. E os vascaínos foram punidos
com amarelo três vezes seguidas. Todas as marcações corretas. Aos 24, Gilberto
entrou forte em Anderson Pico. Aos 29, Guiñazu fez falta por trás em Everton.
Riu, questionou, mas não escapou da advertência.

Houve a falta, mas eu não daria cartão. Existe o toque, mas não precisava
cartão – analisou Marsiglia.
Aos
31, Christiano acertou as costas de Pico em jogada pelo alto e também foi
amarelado. Lance no estilo kung fu que lembrou o chute de Jonas no rosto de
Gilberto no jogo da semana passada.
Entrou ou não entrou? E foi pênalti?
O
jogo que já prometia tensão na volta do intervalo ainda ganhou polêmica. Aos
sete minutos, a discussão começou. Entrou ou não entrou? Após falta cobrada
para a área do Flamengo, Rodrigo cabeceou, e Paulo Victor faz a defesa de forma
estabanada. Ele caiu em cima da bola e ficou a dúvida se ela cruzou ou não a
linha. Rodrigo Nunes de Sá logo sumiu entre os vascaínos desesperados, mas
manteve a tranquilidade e indicou a marcação seguinte.
Mas
polêmica chama polêmica. Aos 15, em rápido contra-ataque do Vasco, Rodrigo
Nunes de Sá se complicou. O volante Serginho invadiu a área em velocidade, e
Wallace chegou para dividir. O volante caiu, e o árbitro marcou a penalidade,
sem nem pensar duas vezes. Dedo apontado para a marca da cal, vascaínos em
festa, e rubro-negros enlouquecidos. O zagueiro Bressan foi o primeiro a levar
amarelo por reclamação.

Exagero, um erro. Eu não marcaria a penalidade – disse o comentarista Renato
Marsiglia sobre o lance polêmico. 
Gilberto
foi, bateu, fez 1 a 0 no placar e partiu na direção da torcida do Vasco para
comemorar. Subiu as escadas que levam às cadeiras e foi abraçado pelos
torcedores. Imediatamente, os jogadores do Flamengo pediram o segundo cartão
para o atacante, que havia recebido o primeiro na etapa inicial. Rodrigo Nunes
de Sá não deu, mas os jogadores que festejam dessa forma costumam ser punidos.
Um erro.     
Pouco
antes da parada técnica, mais um amarelado no Flamengo. O capitão Wallace,
muito irritado com a arbitragem, chutou a bola e também foi punido. Vanderlei
Luxemburgo aproveitou a passagem do árbitro por sua área técnica e disparou.

Não foi pênalti, não foi pênalti.

O
número de cartões aumentou no segundo tempo. Passou de quatro para 10 (quatro
para o Flamengo e seis do Vasco). Número idêntico ao do jogo da semana passada,
sendo seis para o Flamengo e quatro para o Vasco. Depois do lance crucial do
jogo, Rodrigo Nunes de Sá até ficou mais discreto, mas o assunto vai render.
Uma coisa é certa: vai ter polêmica.

MAIS LIDOS

Grupo City fica perto de contratar Lincoln

O Fla hoje possui uma das bases mais promissoras do futebol sul-americano. Ao longo dos últimos anos, vários atletas de muita qualidade técnica foram negociados...

Agente se revolta e não descarta a saída de Lincoln

O Flamengo mediu forças diante do Palmeiras, na tarde deste domingo, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. O time Rubro-negro foi a campo com...

Segundo Fábio Sormani, Flamengo usou de “laranja” para se beneficiar

Na tarde desta segunda-feira, o grande e responsável jornalista Fábio Sormani soltou mais uma daqueles declarações complicadas de se ingerir numa rede de televisão....

Presidente do Sport admite interesse em contratar atacante do Flamengo

O Flamengo possui uma das bases mais qualificados do futebol sul-americano. O Rubro-negro se acostumou a fazer grandes negócios com o mercado da Europa,...