Flamengo anuncia independência dos esportes olímpicos.

Globo Esporte – A vice-presidência de Esportes
Olímpicos do Flamengo anunciou nesta sexta-feira, 20, uma notícia importante
para modalidades como o judô, a natação, a ginástica e o basquete rubro-negros.
Desde o último dia 4, todos os esportes subordinados à pasta conquistaram sua
autossuficiência, ou seja, podem ser mantidas sem prejuízo ao clube através de
patrocínios e parceiros.
A nova fase do esporte olímpico do time da
Gávea foi possível graças a readequação, em Brasília, de projeto de Lei de
Incentivo através do Imposto de Renda de pessoas físicas, pelo projeto Anjo da
Guarda, e também entre várias empresas. O clube começou sua “missão”
em janeiro de 2013 e conseguiu arrecadar financiamentos de R$ 1,5 milhão.
Em nota oficial, o Conselho Diretor rubro-negro
anunciou que a equipe adulta de basquete é autossustentável até julho de 2015,
com patrocínios diretos através de empresas da Lei de Incentivo de ICMS,
bilheterias e cotas de partidas. O basquete de base está garantido com receitas
próprias até fevereiro de 2016. O vôlei, a natação, o polo aquático e o nado
sincronizado também têm recursos garantidos até esta data. A ginástica
artística e o judô, até abril de 2015, enquanto o futsal é autossustentável até
dezembro desse ano.
Até dezembro de 2015, o Flamengo pretende
entregar algumas obras, todas com fontes oriundas de parcerias e financiamento
dos esportes olímpicos. O Ginásio Hélio Maurício, reformado, foi o primeiro a
ser inaugurado. O Centro de Treinamento de Força e Condicionamento dos Esportes
Olímpicos também já foi entregue. O Ginásio Togo Renan Soares será reformado,
com vestiários e programação visual, e será entregue através de parceria com o
Comitê Olímpico dos EUA. A Arena de Judô e Lutas terá será totalmente nova
depois de ficar décadas com o mesmo espaço. Ela também será refeita através de
parceria com o Comitê americano e recursos da Lei Pelé.
O Ginásio Cláudio Coutinho será entregue
totalmente reformado – ele está inutilizado desde o incêndio de 2012.  O ginásio será feito com recursos da Lei
Pelé, Comitê EUA e Comitê Olímpico Brasileiro. A piscina olímpica também será
inaugurada até o final do ano, com recursos de empresas através de Lei de
Incentivo do ICMS e CBC e da Lei Pelé. A vice-presidência de remo ganhou uma
academia moderna e 21 ergômetros, além da compra de uma flotilha com 45 barcos
novos, que ainda vão chegar e vieram de projetos aprovados da CBC – Lei Pelé.
– Esse é apenas o começo. Recuperar a dignidade
dos esportes olímpicos do C.R. Flamengo, com sua independência financeira, era
o mínimo que qualquer gestor poderia almejar em um clube multiesportivo de
nossa dimensão. Reafirmamos que os atletas e os profissionais não querem o
favor de ninguém, apenas serem respeitados pela enorme agregação de valor que
historicamente proveram ao Flamengo – diz o comunicado.
O rubro-negro encerra o comunicado dizendo que
agora terá que passar por outro caminho espinhoso, que será consolidar esse
processo autossustentável. O Flamengo fala em aproveitar o ciclo olímpico das
Olimpíadas do Rio 2016 para mudar o panorama estrutural dos esportes olímpicos
do clube. Em janeiro de 2013, de acordo com o Flamengo, as receitas eram de R$
2 milhões e as despesas de R$ 19 milhões. Hoje, foram somados R$ 38 milhões de
receitas e despesas contratadas no mesmo valor.

O Flamengo também fala em planejar o novo ciclo
do time de basquete, que é autossustentável até julho de 2015, quando se
encerra a temporada vigente. O clube espera usar o modelo vencedor do basquete,
campeão das Américas, com três títulos do NBB e o Mundial, para fazer o mesmo
com equipes de ponta nas demais modalidades. Atualmente, o rubro-negro tem 750
atletas olímpicos, 110 profissionais de direção e comissões técnicas, além de
2.500 alunos na Escola de Esportes Sempre Flamengo.
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.