01

Grupo pede afastamento do Rodolfo Landim do Flamengo

O grupo político “Tradição Fla e Juventude” apresentou um pedido de destituição preventiva de Rodolfo Landim da presidência do Flamengo. Uma vez que os representantes vermelhos e negros são os investigadores da Operação Greenfield, a ala vermelha e preta alegou que há uma brecha legal. O pedido foi encaminhado a Antônio Alcides, Presidente do Comitê de Revisão, o CODE.

Em seu pedido, Siro Darlan, assistente que representa a organização, destacou alguns dos regulamentos que estipulam punições e destacou “se na condição de administrador da coisa pública, está sendo acusado de agir de forma fraudulenta, seria uma temeridade deixa-lo continuar gerindo a administração do Clube de Regatas do Flamengo”.

Foto: Pedro Ladeira

O Ministério Público Federal, o MPF, condenou o presidente por gestão fraudulenta e distribuição indevida de recursos. Nelson José Guitti Guimarães, Demian Fiocca, Geoffrey David Cleaver e Gustavo Henrique Lins Peixoto também foram alvos da Operação Greenfield.

O Rubro-negro e outras pessoas vinculadas, a saber, representantes das empresas Mare e Mantiq, foram acusadas de prejudicar os fundos de pensão Funcef, Petros e Previ. A denúncia aponta que o fundo FIP Brasil Petróleo 1, fundos administrados por executivos transferem recursos para o exterior, o que é proibido pela regulamentação do FIP.

O MPF alegou que a norte-americana Deepflex foi usada na operação. O dinheiro era enviado para o exterior de tempos em tempos, a empresa fechou e todo o dinheiro recebido foi embora. A estratégia para viabilizar as supostas violações é a criação da Brasil Petróleo e Participações SA, e da Deepflex do Brasil.

São utilizados como fachadas com a finalidade de aplicá-los à Deepflex. O recurso é enviado para empresas brasileiras, e essas empresas enviam para o exterior. O MPF estimou que o valor das infrações ultrapassou 100 milhões de reais e exigiu que a ré pagasse o triplo desse valor, que deve ser corrigido com base na taxa Selic.


© Copyright 20 Fla Hoje. Todos os direitos reservados
Website desenvolvido por Azarod