• Início
  • Notícias
  • Flamengo irá recorrer ao STJD para ter torcida rubro-negra contra o Palmeiras
Publicidade

Flamengo irá recorrer ao STJD para ter torcida rubro-negra contra o Palmeiras

Publicidade

Um pedido do Ministério Público e da Polícia Militar de São Paulo, mudou os rumos da partida entre Palmeiras x Flamengo, que será disputada neste domingo, no Allianz Parque. As autoridades solicitaram jogo com torcida única e a CBF acatou o pedido: rubro-negros não poderão frequentar o estádio. O Mais Querido se pronunciou sobre a decisão e vai entrar com uma ação junto ao STJD, solicitando a participação da Maior Torcida do Mundo no duelo.

Segundo o jornalista Rodrigo Mattos, a Confederação Brasileira de Futebol afirmou não concordar com a medida, mas disse que “em caráter excepcional, sente-se compelida a acolher a recomendação”. O Flamengo considera a decisão como uma desobediência das regras e princípios da competição e, por este motivo, afirmou que irá encaminhar o pedido do Ministério Público para a procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, para que as medidas cabíveis sejam tomadas.

Em seus argumentos, o Rubro-Negro definiu a não comercialização de ingressos para a torcida visitante como violação de direitos aos seus torcedores e citou o artigo 86 do campeonato, que determina a venda de 10% dos bilhetes para a torcida de outro time. Confira, na íntegra, o pronunciamento oficial do Clube de Regatas do Flamengo.

Posicionamento acerca da decisão por torcida única no Palmeiras x Flamengo:

O Clube de Regatas do Flamengo vem a público lamentar a decisão da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de acatar a recomendação do Ministério Público de Estado de São Paulo (MP-SP). O órgão indicou à Federação Paulista de Futebol (FPF) que realizasse a partida entre Flamengo e Palmeiras, no Allianz Parque, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, com torcida única, proibindo venda de ingressos para a torcida rubro-negra.

FOTO: DIVULGAÇÃO

O acate desta decisão representa uma desobediência das regras e princípios da competição, além de um benefício ao infrator – que jogará na presença única da torcida alviverde, podendo assim obter vantagem esportiva – e a criação de precedentes catastróficos para a organização do futebol brasileiro. A não permissão da convivência de rubro-negros e alviverdes decreta a falência da segurança pública e a morte da cultura de arquibancada do futebol brasileiro.

O Clube de Regatas do Flamengo traz à tona os seguintes argumentos:

– O artigo 86 do Regimento Geral das Competições de 2019 prevê ao clube visitante direito de adquirir a quantidade máxima de 10% da capacidade permitida ao estádio. A não permissão deste direito seria uma grave violação dos direitos dos torcedores e clubes, indo contra a natureza do espetáculo e da competição;

– Não foi respeitado o princípio da reciprocidade: no primeiro turno, o Flamengo garantiu à Sociedade Esportiva Palmeiras a carga de 10% dos ingressos para o jogo no estádio do Maracanã, tendo a Polícia Militar garantido completamente a segurança e integridade física de todas as pessoas envolvidas no evento;

– O MP-SP ou qualquer outro Ministério Público não tem legitimidade para fazer recomendações a entidades privadas. O mesmo deveria ter pleiteado tal cenário junto ao Poder Judiciário.

Considerando os fatos supracitados, o Clube irá encaminhar o pedido do MP para a Procuradoria do STJD, para que o órgão adote as medidas cabíveis. Se a Polícia Militar não se sente em condições de dar segurança a todos os envolvidos na partida, esta deveria ser realizada em outro local ou com portões fechados.

O Clube de Regatas do Flamengo reitera seu total repúdio à violência e rechaça qualquer tipo de manifestação contrária à cultura do futebol.

Conselho Diretor

Por: Coluna do Fla

Publicidade
Publicidade

© Copyright 20 Fla Hoje. Todos os direitos reservados
Website desenvolvido por Azarod