Flamengo perde do Bauru, e torcida cobra vitória contra o Vasco.

Por: Fla hoje

Foto: Matheus Palmieri

GLOBO
ESPORTE
: Finalistas das duas últimas edições do Novo Basquete Brasil, em 2015 e
2016, Flamengo e Bauru voltaram a se encontrar na noite desta terça-feira. Em
jogo válido pelo returno do NBB, o time do interior de São Paulo levou a melhor
e saiu vitorioso por 72 a 63, apesar de estar na casa de seu adversário e da
pressão da torcida rival. Diferentemente das finais dos NBBs 7 e 8, onde o
clube da Gávea levou a melhor, os comandados de Demétrius Ferracciús superaram
os atletas de José Neto. No primeiro turno, mais precisamente no dia 5 de
novembro, o Rubro-Negro tinha vencido por 100 a 95. Apesar do revés, o
histórico do confronto ainda é positivo para o Fla. Em 33 jogos, foram 23
vitórias.

Apesar
da primeira colocação na tabela, o Flamengo não vive seu melhor momento no NBB.
Contando o revés desta terça-feira, o time chega a três derrotas nos quatro
últimos jogos. No final do jogo desta terça-feira, a torcida demonstrou
irritação com o revés, e muitos flamenguistas ameaçaram os jogadores de
protestos em caso de derrota no próximo jogo, o clássico contra o Vasco da
Gama, no sábado, às 14h (de Brasília), marcado para a Arena da Barra. Já o
Bauru, que vinha se mostrando inconstante e tinha três quedas nos últimos cinco
jogos, agora se consolida na quarta colocação, deixando Vasco, Pinheiros,
Paulistano e Mogi das Cruzes, que tinham o mesmo aproveitamento, para trás.
O
cestinha do jogo foi Jefferson, muito bem em quadra, com 21 pontos, sendo
quatro cestas de três, fora uma assistência, uma roubada de bola e um toco.
Ainda pelo Bauru, destaque para Alex, com 18 pontos, Shilton, com nove, e Gui
Deodato, com sete. Gegê, ex-Flamengo, fez quatro e ajudou com três assistências
e três roubadas de bola. Já pelo Rubro-Negro o maior pontuador foi Lelê, com 14
pontos. Olivinha conseguiu sete rebotes e marcou nove pontos. O técnico José
Neto fez críticas à postura do seu time em quadra.
– Hoje
a gente jogou para acontecer isso mesmo, né? Achar uma situação pontual é
difícil. Foram várias. É um time bastante consciente de que hoje jogou para
terminar o jogo dessa forma e agora é pensar no próximo. Acho que a gente
precisa ter tranquilidade para pensar e ter coragem e dignidade para sair dessa
situação. Pela maneira como foi desde o início, como estava encaminhando,
poderia acontecer isso mesmo. É difícil falar: “Ah, foi por isso”.
Acho que foi pelos quarenta minutos que não jogamos para ganhar a partida.
Fomos muito aquém do que precisávamos fazer e não nos preparamos para fazer
isso – comentou José Neto, comandante do Flamengo.
O
Flamengo teve alguns desfalques. Foram eles: Marcelinho, com entorses nos dois
tornozelos; Fischer, que tem uma edema na musculatura da coxa direita; e
Humberto, operado em janeiro e em recuperação do quinto metatarso do pé
esquerdo. Já o Bauru não contou com Valtinho, com uma inflamação no púbis, e
Gui Santos, que passou por uma operação após sofrer uma ruptura do ligamento
cruzado anterior do joelho direito. O tempo de recuperação desse jogador está
previsto para seis a oito meses.
Agora,
o próximo desafio dos rubro-negros, que são comandados pelo técnico José Neto,
é justamente seu maior rival, o Vasco da Gama. No sábado, as duas equipes se
enfrentam a partir das 14h (de Brasília), na Arena da Barra, na Zona Oeste do
Rio de Janeiro. Já o Bauru vai encarar o Macaé fora de casa, no dia 26 de
janeiro, às 19h30.
O jogo:
Olivinha
abriu o placar e foi ovacionado pela torcida, que comparecia em bom número.
Jefferson respondeu de três, e JP recolocou os donos da casa na frente. O pivô
voltou a marcar, e Ronald Ramon acertou chute curto. Jefferson, mais uma vez,
mandou bem: enganou a marcação e fez dois pontos. Ramon fez a cesta, sofreu
falta e converteu o lance de bonificação. Shilton, ex-Fla, marcou duas vezes.
Em lance de técnica, Jefferson voltou a deixar sua marca, e o time do interior
de SP virou com Alex. JP botou o Fla na liderança de novo girando para cima do
marcador e fazendo de bandeja. Lelê acertou de fora do garrafão. Gegê deu o
troco na mesma moeda, e os visitantes encostaram, mas o toco de Lelê fez o
Rubro-Negro ir em vantagem para a segunda parcial: 20 a 18.
O
Bauru virou logo no início do segundo quarto e se manteve melhor na primeira
metade.  Com uma defesa firme, o time de
Demétrius conseguiu conter o ataque do Flamengo, que só anotou seis pontos em
cinco minutos. Valorizando a posse da bola, os visitantes conseguiam, em troca
de passes, anotar seus pontos. Além da atuação de Bauru, o Flamengo se irritava
com a arbitragem. No meio do quarto, José Neto parou o jogo para passar
orientações.  A defesa do Fla animava a
torcida nas arquibancadas, mas o ataque não conseguia ter um bom aproveitamento
nos arremessos. Até que Lelê, em chute de três, e Pedinho Rava, de bandeja,
recolocaram o Flamengo na frente, forçando Demétrius a parar o jogo. No fim, um
tapinha do jovem Lelê deu a vantagem maior para o Rubro-negro: 37 a 34.
Com o
quinteto titular, o terceiro quarto começou logo com quatro pontos de Olivinha
para abrir vantagem para os donos da casa. Com erros ofensivos, o Bauru não
conseguia converter seus chutes e viu o Fla abrir nove pontos logo com dois
minutos de período. Após erros dos dois lados, Alex apareceu na partida. Com um
cinco pontos seguidos, o “brabo” diminuiu a vantagem do Rubro-Negro
em apenas um ponto. Coube a Shilton, hostilizado pela torcida durante todo o
jogo, acertar a cesta da virada, o que fez Neto parar a partida mais uma vez.
Lelê chegou a recolocar o Flamengo a frente no placar, mas as duas cestas de
três deram a ponta novamente para o time do interior de SP. O garrafão
rubro-negro apareceu na parte final para incendiar a torcida. Rollins, com
cinco pontos, e Olivinha, com dois, empataram a partida, mas Léo Meindl deixou
Bauru na frente: 57 a 55.
Nervoso,
o Flamengo não conseguiu pontuar nos quatro primeiros minutos do último quarto,
com inclusive erros de passe. Do outro lado, Bauru seguia aumentando sua
vantagem, com bolas de dois e lances livres. Com o apoio da torcida apoiando
durante o momento ruim, JP Batista anotou os primeiros pontos do Rubro-negro já
na segunda metade do período final. Nem mesmo falta ofensiva de Shilton, a
quarta de Bauru, resultou em pontos para os donos da casa. Faltando pouco menos
de três minutos para o fim da partida, Demétrius pediu tempo, visto que o
Flamengo estava nervoso em quadra, e acertou apenas dois dos seus 33
arremessos. Logo em seguida, Jefferson acertou de três. A partir dali, nada
mais funcionava para o Flamengo, que saiu derrotado por 72 a 63.
Escalações:
Flamengo: Lelê, Ramon,
Marquinhos, JP Batista e Olivinha. Reservas: Rollins, Pedrinho, Mineiro,
Amorim, Danilo, Heitor e João Vitor. Técnico: José Neto.
Bauru: Shilton, Alex,
Jefferson, Gegê e Léo Meindl. Reservas: Gui Deodato, Stefano, Henrique, Michael
e Jaú. Técnico: Demétrius Ferracciú.

MAIS LIDOS

Após vexame, Renato Gaúcho volta a falar do Flamengo e revolta torcedores

O Grêmio jogou na noite deste domingo diante do Palmeiras, em jogo válido pela final da Copa do Brasil. O time gaúcho não conseguiu...

Rei do Vexame: Renato Gaúcho vira alvo da torcida do Fla após vexame

O Palmeiras jogou na noite deste domingo diante do Grêmio, em jogo válido pela final da Copa do Brasil. O time paulista já tinha...

Abel Braga ainda reclama da arbitragem no jogo contra o Fla

Após vários trabalhos ruins seguidos, o técnico Abel Braga chegou sem muita expectativa no Internacional. Entretanto, ele conseguiu fazer um bom trabalho a seu...

Torcida se encanta com Ramon e mandam recado para Renê

O Flamengo jogou na noite deste sábado, diante do Macaé, em jogo válido pela 2ª rodada do Campeonato Carioca. O Rubro-negro conseguiu vencer com...