terça-feira, setembro 29, 2020
Início Notícias Flamengo tenta corrigir erros contra reações dos adversários.

Flamengo tenta corrigir erros contra reações dos adversários.

GLOBO
ESPORTE
: Com 36 vitórias em 47 partidas, o saldo do Flamengo na atual temporada
é mais do que positivo. No entanto, das 11 derrotas sofridas, oito pelo NBB e
três pela Liga das Américas, cinco delas vieram depois de os rubro-negros
estarem vencendo por uma boa diferença de pontos. No jogo 3 das finais, sábado
passado na Arena Carioca 2, os atuais tricampeões venceram por 89 a 84 e
fizeram 2 a 1 na série melhor de cinco das finais, mas por muito pouco a
história não se repete. Assim como já havia acontecido na vitória por 93 a 91
sobre o Mogi, pelas semifinais, a equipe carioca permitiu que os adversários
tirassem uma grande vantagem pontos e quase virassem o placar nos segundos
finais. Se os constantes apagões não chegam a tirar o sono do técnico José
Neto, servem para ligar o alerta na Gávea antes do jogo 4 da decisão, no
próximo sábado, às 14h10, no ginásio Neusa Galletti, em Marília. Se vencer, o
Flamengo levanta a taça. O SporTV 2 transmite ao vivo, e o GloboEsporte.com
acompanha ponto a ponto, em Tempo Real. 
– Vou
ser bem sincero, não é uma coisa que tira meu sono, mas é claro que incomoda
como incomodaria qualquer técnico que estivesse vencendo por uma diferença
grande de pontos e tomasse uma virada. Mas prefiro pensar que numa quantidade
grande de jogos que fizemos perdemos apenas seis dessa forma. Inclusive não me
lembro se em alguma dessas vezes nós perdemos por mais de 10 pontos. Como
coloco muito o foco sempre no próximo jogo e procuro ver os elementos que temos
que podem nos levar à vitória, isso não é uma coisa que me preocupa. Mas é
claro que tenho que estar preparado para que isso não aconteça, porque, se
acontece e você não se prepara, também é um descaso e que nessa hora não
podemos ter – afirmou Neto após o treino da última quarta-feira na Gávea.

Imagem: GloboEsporte.com
Se as
primeiras duas bobeadas, nas derrotas por 67 a 60 para o Paulistano, em São
Paulo, e por 83 a 79 para o Pinheiros, na Gávea, ambas pelo NBB 8, não chamaram
tanto a atenção assim, a eliminação no Final Four da Liga das Américas dia 11
de março foi traumática. Depois de estar vencendo o Bauru por 17 pontos no
último quarto, a equipe carioca simplesmente travou, sofreu a virada a 30
segundos do estouro do cronômetro numa bola de três de Léo Meindl e viu a
chance do bicampeonato da competição escorrer pelos dedos. Neste jogo, o placar
do período final foi 28 a 15 para Bauru.
A
história não se repetiu no último sábado por detalhes. Depois de iniciar o
quarto período com 17 pontos de vantagem, o time carioca permitiu a reação de
Bauru, que encostou em 84 a 85 e poderia ter virado o jogo 3 das finais se não
fosse um grave erro da arbitragem a 35 segundos do fim. O placar da última
parcial foi de 27 a 15 para os visitantes.
Mas o
fato é que essas não foram as únicas vezes que o experiente elenco rubro-negro
caiu muito de rendimento no último quarto. Nas derrotas para o Basquete
Cearense por 67 a 66, quando os cariocas chegaram a ter seis pontos de frente a
1m20 do fim, e para Brasília por 75 a 73, depois de abrir oito pontos no último
período, ambas no ginásio do Tijuca, o time também vacilou e permitiu a virada
dos rivais nos segundos decisivos.
– Eu
vou sempre preferir estar do lado do time que abre 20 pontos, independentemente
do resultado final da partida. Até porque quando isso acontece é sinal de que
seu time está dominando o jogo. São circunstâncias diferentes em cada partida e
como a equipe que está atrás reage a isso. Algumas começam a jogar de uma forma
muito mais arriscada e por certos momentos isso pode dar certo, mas a tendência
é que não dê certo até porque é um jogo mais arriscado, mais rápido. Não tem
uma fórmula para se evitar isso. Cada jogo tem uma característica, uma maneira
de ser jogado e não dá para fazer uma análise em cima de apenas oito partidas
onde aconteceram coisas parecidas. Se pegarmos especificamente, cada um desses
jogos terá uma história diferente – analisou o experiente Marcelinho Machado
Um dos
jogadores mais extrovertidos do elenco do Flamengo, Olivinha discorda do
técnico José Neto e do capitão Marcelinho. Preocupado e sem rodeios, o ala-pivô
acredita que os apagões que o Flamengo sofreu durante a temporada são
consequência de um relaxamento natural de uma equipe que abre uma grande uma
diferença em um determinado momento do jogo e faz um alerta.
– Isso
preocupa sempre, até porque não foi só uma vez que aconteceu esse tipo de
coisa. Na Liga das Américas nós sofremos a mesma coisa e contra o mesmo time de
Bauru. Naquela ocasião fomos eliminados em uma partida que não esperávamos
perder e agora aconteceu novamente. Começamos o último quarto ganhando de 17
pontos, sofremos outro apagão, e Bauru encostou no minuto final até que teve
aquela polêmica toda. Acho que perdemos o foco, principalmente quando abrimos
uma vantagem muito grande de 17 pontos e a perdemos em seis, sete minutos. Acho
que é natural uma equipe estar muitos pontos à frente e acabar relaxando. Isso
infelizmente aconteceu conosco em boa parte da temporada. Temos que nos
concentrar bastante os 40 minutos e trabalhar o lado psicológico para não deixar
que isso aconteça outra vez. Se isso se repetir em Bauru, pode nos complicar –
disse Olivinha.
Mais
do que trabalhar o lado psicológico, o técnico José Neto tem insistido nas
muitas sessões de vídeos após cada partida para evitar que a história volte a
se repetir. 
– A
primeira coisa que nós procuramos fazer é analisar os vídeos e ver os motivos
do que aconteceu. Depois, procuramos treinar algumas situações. Por exemplo,
nós vimos como eles defenderam no último jogo e discutimos algumas coisas que
podemos fazer ofensivamente para que isso não se repita no sábado. Não só em
termos táticos, mas também de atitude. De sentir o momento do jogo, até porque
com certeza as situações em todos esses jogos não foram iguais, foram
diferentes. Então não é só a vantagem e essa queda de produção, mas de que
maneira isso aconteceu – destacou o comandante rubro-negro.

MAIS LIDOS

Vitinho e Marcos Braz testam negativo para Covid-19

Nesta terça-feira (29), o atacante Vitinho testou negativo para o Covid-19. O resultado já foi enviado à Conmebol e o jogador pode ficar à...

Flamengo é a aposta do SBT para bater recorde de audiência

Após a rescisão de contrato da Rede Globo com a Conmebol, o SBT é a opção para transmissão de jogos em tv aberta. Nesta...

De volta? Diego Alves treina com bola no Ninho do Urubu

Diego Alves sofreu lesão no ombro na partida contra o Santos pelo Campeonato Brasileiro - onde a equipe acabou com um empate em 1...

Zico faz duras críticas a CBF por realização de Palmeiras x Flamengo

Em seu canal do YouTube, Zico, considerado o maior jogador da história do Flamengo, deu seu ponto de vista sobre tudo que envolveu os...