O Flamengo deu o primeiro passo na busca pelo título do Mundial de Clubes nesta terça-feira (17). Comandada por Diego e Bruno Henrique, a equipe carioca venceu de virada o Al-Hilal, por 3 a 1, e agora espera a definição do adversário da grande final do torneio, que será definida no jogo entre Monterrey, do México, e Liverpool, da Inglaterra.

O JOGO

O Flamengo foi quem teve a primeira chance de abrir o placar em Doha. Após cobrança de escanteio, aos 14 minutos, o goleiro Al-Muaiouf conseguiu afastar de soco, mas Gerson pegou o rebote na entrada da área, finalizou de primeira e por pouco não marcou o gol rubro-negro.

O Al-Hilal deu resposta aos 15, já dando indícios de melhora na partida. Em boa troca de passes pelo meio, Al-Dawsari saiu na cara do gol, chutou colocado, mas Diego Alves fez grande defesa. Na sobra, a bola ficou a caráter para Gomis na marca do pênalti, porém o atacante bateu mal e desperdiçou a chance.

Diferente de outros jogos, o Fla cedia muitos espaços para a equipe saudita, que tentava se aproveitar com a técnica dos jogadores Gomis e Giovinco. Dessa forma, a equipe carioca levou duro golpe aos 17.

Giovinco recebeu no meio e abriu ótima bola para Al-Buryak na direita, que recebeu e cruzou rasteiro para a área. Al-Dawsari apareceu quase na marca do pênalti, bateu colocado e abriu o placar em Doha. A bola ainda desviou em Marí, tirando qualquer possibilidade de defesa para Diego Alves.

FOTO: REPRODUÇÃO / TWITTER

O Flamengo acordou após o gol do Al-Hilal, mas encontrava muitas dificuldades para fechar os espaços e contava com atuação até então apagada de seus principais jogadores de frente: Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol. A recomposição defensiva também foi outro problema para o Rubro-Negro no primeiro tempo, proporcionando contra-ataques perigosos para os sauditas.

O clube da Gávea voltou outro para o segundo tempo. Marcava forte a saída de bola do Al-Hilal, e procurava se movimentar mais em seu campo de ataque. Foi desta forma que chegou ao gol de empate, e da maneira “à Flamengo”, expressão que Jorge Jesus gosta de utilizar.

Logo aos 03 minutos, o Rubro-Negro trabalhou a bola de pé em pé, com paciência, até Gabigol descolar grande passe na área para Bruno Henrique. O camisa 27, por sua vez, apenas rolou para Arrascaeta completar para o fundo da rede.

Jorge Jesus promoveu a entrada de Diego Ribas na etapa complementar, e foi do camisa 10 a jogada para a virada da equipe carioca, aos 32 minutos. O meia abriu para Rafinha na direita, que cruzou na cabeça de Bruno Henrique. O atacante apenas teve o trabalho de completar para o gol.

Decisivo, Bruno Henrique também protagonizou o lance do terceiro gol do Fla, que “fechou o caixão” e selou a classificação da equipe, aos 36. Diego recebeu na entrada da área e achou Bruno, que fez ótima jogada na esquerda, invadiu a área e tentou o cruzamento para Gabigol. A bola, no entanto, foi desviada por Al-Bulayhi e acabou entrando.

Por: Coluna do Fla