Gerente de Futebol de Base do Fla revela método empregado para sucesso dos Garotos do Ninho

Por: Fla hoje

As categorias de base do Flamengo apresentaram uma temporada de destaque em 2018. Afinal, foram 15 títulos conquistados pelo sub-14 até o sub-20. Eduardo Freeland, Gerente de Futebol de Base do Rubro-Negro, explicou o sucesso dos Garotos do Ninho, citando os processos empregados pelo clube.

– O clube tem as suas diretrizes muito claras, na forma e estilo de jogar. Todas as categorias seguem esse modelo. Claro, existem as particularidades de cada treinador e suas competências, mas o jogar do Flamengo tem um estilo próprio, pela identidade, história e cultura do clube. Esse jogar é baseado em princípios que direcionam a questão aplicada nas categorias e isso facilita muito a subida e a descida dos jogadores. Quando o atleta está em uma categoria e sobe à outra, ou retorna, ele tem muito claro que suas funções estão encaixadas dentro desse modelo de jogar do Flamengo -, disse o Gerente de Futebol de Base, em conversa concedida ao site oficial do clube da Gávea.

Freeland também fez questão de exaltar as permanentes reuniões marcadas para abordar questões metodológicas que serão empregadas nas categorias, além da comunicação realizada entre as comissões técnicas das diversas sub-divisões da base, de modo a facilitar a adaptação dos jovens.

– O fato de o Flamengo ter um estilo de jogo claro facilita muito. Além disso, é muito fácil destacar que a equipe técnica do clube tem um ambiente de trabalho formidável, reuniões permanentes onde estamos discutindo as questões metodológicas. As categorias que se aproximam estão sempre em sinergia discutindo os atletas. Os coordenadores cuidam para que a comunicação seja ainda mais presente entre as Comissões Técnicas, o que facilita muito a adaptação dos atletas para atuar nas categorias de cima ou de baixo -, ressaltou.

Por fim, o Gerente de Futebol da Base entrou em detalhes sobre a nova estrutura, antes utilizada pelos profissionais, que será cedida à base em 2019. Freeland se mostrou otimista com a mudança, mas declarou que a nova etapa trará uma maior cobrança por resultados.

– A gente acredita que a parte estrutural é muito importante para desenvolver os jogadores. Não podemos dar um conforto desproporcional à fase de idade que ele tá vivendo para que não perca a motivação para ganhar novos desafios no seu desenvolvimento. A gente sabe que o módulo do profissional é de nível altíssimo. Teremos que ter cuidado com essa adequação. A expectativa é altíssima também. Estamos indo para uma nova etapa e seremos mais exigidos pelos resultados, mas sabemos da qualidade dos profissionais que vão herdar essa estrutura física. Teremos o melhor hardware para trabalhar o altíssimo nível de software que temos hoje -, completou Eduardo Freeland.

Fonte: Coluna do Flamengo

MAIS LIDOS

Chances do Flamengo quase dobram com grande vitória

O Flamengo mediu forças na noite desta segunda-feira diante do Goiás. O confronto mostrou uma recuperação do time de Ceni, equipe que vinha de...

Gabigol minimiza a pressão no clube, porém admite se incomodar na reserva

Gabigol ficou um longo tempo sem dar entrevistas coletivas. Porém na manhã desta sexta, o atacante mudou o "protocolo" recente e decidiu conversar com...

Flamengo já pensa em reformulação com saída de até nove jogadores

A temporada de 2020 é decepcionante. O time não consegue dentro de campo desempenhar nada do que se esperava, precisando ver hoje, de casa,...

Flamengo da atual temporada tem segunda pior defesa da década

O Flamengo vive uma temporada em 2020 para se esquecer. Não que a equipe não tenha conquistado algo, porém o desempenho em campo foi...