quarta-feira, setembro 30, 2020
Início Notícias Júnior revela emoção de conduzir tocha olímpica em João Pessoa.

Júnior revela emoção de conduzir tocha olímpica em João Pessoa.

Foto: Reprodução / TV Cabo Branco

GLOBO
ESPORTE
: O revezamento da tocha olímpica em João Pessoa teve como um dos
momentos marcantes o acendimento da pira no Busto de Tamandaré pelo ex-jogador
Júnior. Emocionado, ele revelou que pediu à organização do Rio-2016 para
conduzir a chama na cidade onde nasceu.

– Já
tinha participado do revezamento da Tocha do Pan, em 2007, no Rio de Janeiro. E
quando me chamaram dessa vez, a única exigência que fiz foi justamente o fato
de ser em João Pessoa, na cidade onde nasci e vivi até os cinco anos. Só tenho
que agradecer o carinho que recebi aqui nesses quatro dias, com familiares e
amigos – disse Júnior, muito emocionado.
O
ex-jogador do Flamengo e da Seleção Brasileira foi o 144º e último condutor da
Tocha em João Pessoa. Júnior levou a chama por 200 metros e depois acendeu a
pira numa emocionante contagem regressiva.
– Hoje
foi inesquecível, principalmente, na minha terra, com meus conterrâneos, a
gente vê o clima na hora do desfile ali. Realmente é uma coisa que eu vou
guardar com muito carinho. Acho que é o reconhecimento do trabalho que eu faço.
Já estou nessa vida, já tem 40 anos. Acho que isso na verdade é que te
impulsiona ainda mais pra fazer as coisas direito. Hoje numa outra função,
comentando os jogos. Mas só esse carinho que recebi aqui nesses últimos dias
são a recompensa por qualquer sacrifício que eu tenha feito na minha vida –
emendou Júnior.
Atual
comentarista esportivo da Rede Globo, Júnior lembrou ainda o fato de ser um
atleta olímpico, e como tal, tratou de valorizar o espírito dos Jogos.

Pouca gente sabe, mas eu já disputei uma Olimpíada. Foi em 1976, em Montreal. A
gente, que está ligado ao futebol, fala muito em Copa do Mundo. Mas as
Olimpíadas têm um espírito diferente. No Canadá, estava ao lado da (ginasta
romena) Nadya Comaneti, por exemplo. Estava almoçando ao lado dela…
Ainda
no Busto de Tamandaré, atendeu aos fãs e fez um pedido especial: para que todo
o país torça junto pelos atletas brasileiros.

Agora não temos um time para torcer. Temos que torcer juntos pelo Brasil, para
ganharmos o maior número de medalhas possíveis, independente da cor. Estou mais
uma vez otimista em relação ao sucesso dos Jogos. Precisamos apoiar os nossos
atletas. Não importa a cor da medalha. Acho que o mais importante é a gente
medalhar – completou o Maestro.
De
João Pessoa a Tocha seguiu neste sábado para Mamanguape, a sétima cidade
paraibana a receber a chama olímpica. De lá, foi para São João do Mipibu, no
Rio Grande do Norte.

MAIS LIDOS

Vitinho e Marcos Braz testam negativo para Covid-19

Nesta terça-feira (29), o atacante Vitinho testou negativo para o Covid-19. O resultado já foi enviado à Conmebol e o jogador pode ficar à...

Flamengo é a aposta do SBT para bater recorde de audiência

Após a rescisão de contrato da Rede Globo com a Conmebol, o SBT é a opção para transmissão de jogos em tv aberta. Nesta...

De volta? Diego Alves treina com bola no Ninho do Urubu

Diego Alves sofreu lesão no ombro na partida contra o Santos pelo Campeonato Brasileiro - onde a equipe acabou com um empate em 1...

Zico faz duras críticas a CBF por realização de Palmeiras x Flamengo

Em seu canal do YouTube, Zico, considerado o maior jogador da história do Flamengo, deu seu ponto de vista sobre tudo que envolveu os...