sexta-feira, setembro 25, 2020
Início Notícias Kleber Leite: "Marqueteiro Miranda."

Kleber Leite: “Marqueteiro Miranda.”

Foto: Divulgação

KLEBER
LEITE
: O que vou aqui colocar, com absoluta certeza, vai desagradar à maioria
esmagadora de quem acompanha este blog, mas por uma questão de justiça e, até
mesmo de homenagem à competência, não posso deixar de dizer o que penso.

Nos
comentários do último post, os companheiros e amigos, Helder, Nino e Daniel
Made, repetiram o que vem sendo uma tônica, não só neste blog, como na visão de
quase todos os rubro-negros.
No
nosso mundo vermelho e preto há uma conclusão lógica com relação ao ódio pelo
Flamengo, nutrido pelo presidente do Vasco da Gama, Eurico Miranda. Na verdade,
e venho acompanhando isto não é de hoje, Eurico Miranda talvez tenha criado e
desenvolvido a mais bem sucedida jogada de marketing na história do Clube da
Colina.
Na
época em que era vice-presidente de futebol, e nesta época era eu profissional
de rádio, Eurico Miranda conseguiu começar a transformar o mapa da paixão
envolvendo os clubes do Rio de Janeiro. Com sua postura agressiva de “ódio”
pelo Flamengo, a torcida rubro-negra – que tinha diferenças divididas por
Fluminense, Botafogo e Vasco – passou a canalizar todo o sentimento de
rivalidade em cima do Vasco da Gama, quase que polarizando e, reduzindo a
“guerra” para apenas dois clubes. Com isso, a importância do Vasco passou a ser
infinitamente maior, crescimento este alimentado pela própria torcida do
Flamengo.
Sempre
é bom lembrar, e em várias palestras fiz esta colocação, que a força do
Flamengo, a enorme popularidade do Flamengo, era construída por três clubes:
Botafogo, Fluminense e Vasco, que tinham o Flamengo como o maior rival. Ao
contrário, a torcida rubro-negra dividia a sua “bronca” entre três clubes.
Isto, até o surgimento do fato novo, qual seja a ação do marqueteiro Miranda
que, em última análise, fez com que o seu clube ocupasse o lugar anteriormente
habitado por três.
Esta
jogada de marketing, independentemente do que já foi aqui dito, fez com que o
Vasco da Gama, desde o finado Clube dos Treze até os dias de hoje, tivesse
comercialmente o mesmo, ou quase o mesmo, tratamento dado a Flamengo e
Corinthians.
Enquanto
dirigente fui, sabedor da estratégia marqueteira vascaína, sempre que me
perguntavam qual era o grande rival do Flamengo, dizia que não havia um grande
rival e que, o Flamengo sim, era o grande rival de todos.
Hoje,
quando o torcedor do Flamengo deixa escapar sua ira contra o presidente do
Vasco, até entendo. No fundo, não deixa de ser, de forma indireta, um
reconhecimento a uma inteligente jogada de marketing. Só fico triste quando
quem entra nessa é um dirigente do Flamengo, pois aí concluo que, por falta de
sensibilidade e, de conhecimento de causa, este dirigente deveria estar era na
arquibancada…
Resumo
da ópera: que nenhum torcedor do Flamengo leve tão a sério o “ódio” do
presidente do Vasco por tudo que seja vermelho e preto…

MAIS LIDOS

Conmebol nega pedido do Fla para inscrever mais dez atletas na Libertadores

O Flamengo sofre com o surto de contaminação pelo novo coronavírus instalado no clube. 16 jogadores pegaram Covid-19 nos últimos dias e a equipe...

Jair Ventura pede atacante do Flamengo pagando 100% do salário

O Flamengo possui um dos times mais qualificados do futebol sul-americano. Com tamanha qualidade técnica, é certo que muitos jovens atletas não terão a...

Cada um pensando em seu próprio umbigo

Muito do que tem acontecido nas últimas horas no futebol brasileiro serve para reforçar algo que já é histórico em relação a nossos dirigentes:...

Dirigente espera poder contar com atletas infectados na quarta

O Flamengo está passando por um surto de covid-19 em seu elenco. Ao todo, são 23 casos, inclusive entre comissão técnica e dirigentes. O...