domingo, setembro 20, 2020
Início Notícias O meio sem Mancuello.

O meio sem Mancuello.

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

BUTECO
DO FLAMENGO
: Salve, Buteco! Após a exigência feita ao Flamengo para que
utilizasse os titulares no Campeonato Estadual/2016, modificando totalmente seu
planejamento inicial para o primeiro semestre da temporada, o Departamento de
Futebol, demonstrando que vive novos e eficientes tempos, vem trabalhando de
forma integrada com todos os setores envolvidos na preparação e recuperação dos
atletas, inclusive o Departamento Médico. O resultado é que o treinador Muricy
Ramalho tem conseguido “rodar” o elenco e a estratégia de não perder
atletas por contusões musculares vem sendo muito bem sucedida até aqui.
Todavia, infelizmente, em um “lance de jogo”, o nosso volante/meia
Mancuello se contundiu no primeiro tempo da partida contra o Resende, em Volta
Redonda, no domingo retrasado. A expectativa inicial é de ausência dos gramados
por cerca de 30 (trinta) dias.

Ver um
atleta contundido é sempre muito triste, mas no caso de Mancuello a frustração
aumenta porque o argentino parece ter encontrado sua posição no esquema tático
de Muricy Ramalho ao mesmo tempo em que o próprio time evoluía e começava a dar
as primeiras demonstrações do que poderá apresentar em alto padrão para a
torcida durante o Campeonato Brasileiro. As características do argentino também
mostram que será um jogador de difícil reposição: forma a segunda linha de quatro
internamente, pela esquerda, ajudando efetivamente na marcação, porém
movimenta-se pelo ataque com desenvoltura e agilidade; dá bons passes ou
lançamentos, penetra na área para finalizar a gol e, para completar, suas
cobranças de falta e escanteio trouxeram de volta para o Flamengo, depois de
muitos anos, a bola aérea ofensiva como efetiva arma para o time. A contusão
veio quando todas essas qualidades começaram a ser exibidas em sintonia com a
evolução tática da equipe.
Falando
em substitutos, encontro dois nomes possíveis: Ederson e Alan Patrick. Ederson,
que voltou de longo período de inatividade no sábado, contra o Bangu, também em
Volta Redonda, em princípio larga na frente porque, oriundo do futebol europeu,
onde jogou por vários anos, tem características bem mais afins com o esquema
tático que Muricy Ramalho deseja implantar do que Alan Patrick. Ederson, que já
jogou em várias posições do meio pra frente no Lyon, da França, tanto pode
jogar pelas pontas como pelo meio, e nos poucos jogos que atuou pelo Flamengo
já demonstrou que tem boa presença dentro da grande área, características que
facilitariam sua escalação tanto como substituto de Mancuello, como opção para
a ponta esquerda, quando Mancuello voltar, disputando posição com Emerson
Sheik, nosso importante veterano que, pela idade, não suportará a titularidade
em todos os jogos da temporada.
Não
quero desprezar a opção Alan Patrick, o qual, ano passado, quando jogou bem,
foi um dos principais, senão o principal fator a levar o Flamengo à sequência
de seis vitórias consecutivas no campeonato brasileiro e mesmo às poucas que
conseguiu na sequência. Alan Patrick, como Mancuello, é muito bom na bola
parada, ótimo passador e também bom finalizador. A dificuldade que enxergo é no
recuo para a composição defensiva na segunda linha de quatro, algo do que o
esquema tático não pode prescindir. Para ser justo, a dúvida também existe em
relação a Ederson, porém restritas ao quanto levará para entrar em forma e
ritmo de jogo.
***
É
claro que ainda temos os jovens como Lucas Paquetá e Ronaldo, porém penso que é
preciso ter bastante prudência, dado o histórico de jogadores que “se
queimaram” oriundos da base. A verdade é que a transição é muito difícil.
Muito embora o clube viva outros tempos em nível de profissionalismo e
modernidade no Departamento de Futebol, sempre terá uma torcida exigente,
apaixonada (atenção para o significado da palavra “paixão”) e
absolutamente intolerante com qualquer fracasso, inclusive em amistosos ou
naquele torneio que todo mundo fala que não deveria mais existir, mas que,
apesar de excessivamente longo e inchado, além de completamente obsoleto,
continua repleto de rivalidade quando os clássicos são disputados…
Foi
muito bacana ver Felipe Vizeu e Thiago Santos fazerem uma boa partida contra o
Bangu. Léo Duarte foi seguro na zaga contra um ataque que se resumiu ao arisco
Willian Amendoim, egresso de nossa base, por sinal. Em princípio pode parecer
pouca coisa, mas se compararmos sua atuação com a de César Martins é fácil
perceber que mostrou qualidade. Ronaldo entrou no final e no pouco tempo que
jogou demonstrou personalidade e categoria. Lucas Paquetá me pareceu nervoso, o
que é absolutamente normal e compreensível. Aliás, a imprensa noticia que
acabou de renovar contrato até 2020. Acho que foi uma medida acertada da
Diretoria, eis que se trata de uma das maiores promessas dos últimos anos
vindas da base. Mas percebam que há muito a ser trabalhado no jovem que, visualmente,
durante a Copa São Paulo de Juniores/2016 parecia ser mais alto e forte do que
sábado, quando enfrentou a zaga titular profissional do Bangu.
***
O
imprensa dá conta de movimentação da Diretoria para contratar um zagueiro
central (lado direito). Tenho para mim que Wallace e César Martins não deveriam
compor o elenco a médio prazo, o primeiro porque, limitado, ocupa uma posição
no elenco, em nível de titularidade e suposta liderança, muito acima de sua
real capacidade, o que é um potencial problema para a planejada saída do time
titular. O segundo, porque depois de tantas oportunidades o máximo que
conseguiu foi demonstrar que consegue ser mediano, e mesmo assim somente com
alto nível de concentração.
Outro
problema é que o único zagueiro que pode substituir Juan, quarto-zagueiro (lado
esquerdo) veterano e que, por isso mesmo, não pode ser exigido a ponto de
disputar todas as partidas, é Wallace, eis que Léo Duarte e César Martins são
zagueiros centrais. Portanto, o Flamengo provavelmente busca uma solução para o
lado direito da zaga, o que é correto, porém sem ainda ter um quarto zagueiro
reserva em quem realmente possa confiar. A tendência é que, após a esperada
contratação, tenha-se uma zaga titular muito melhor do que em anos anteriores,
porém sem opções para reposição a altura no banco de reservas.
***
E
vocês? Quem escalariam no lugar de Mancuello durante o período de recuperação
do argentino?  O que acham da zaga?
Mandem sugestões para a escalação do jogo contra o Figueirense.
Bom
dia e SRN a [email protected]
Gustavo
Brasília

MAIS LIDOS

Renato Gaúcho fala da goleada sofrida pelo Flamengo

O Flamengo está vivendo o seu pior momento na temporada. Após a saída de Jorge Jesus, o Rubro-negro investiu em Dome Torrent, entretanto, o...

Zagueiro do Del Valle revela pedido dos jogadors do Flamengo

O Flamengo foi humilhado pelo Del Valle na quinta-feira passada, em jogo da Libertadores da América. O Rubro-negro não viu a cor da bola e, por...

Entrevista de Marcos Braz não responde muita coisa

Marcos Braz deu sua entrevista coletiva neste sábado para falar sobre a derrota do Flamengo na quinta-feira e quais seriam as consequências dela. Mas...

Em coletiva, Braz banca permanência de Domenec

A tão aguardada coletiva de imprensa online de Marcos Braz na tarde deste sábado ocorreu a pouco, o tema principal, Domenec. Braz aproveitou a...