terça-feira, setembro 29, 2020
Início Notícias Omissa, diretoria e torcida entram em rota de colisão.

Omissa, diretoria e torcida entram em rota de colisão.

Foto: Reprodução / Facebook

EXTRA
GLOBO
: A diretoria do Flamengo e seus torcedores, não apenas de torcidas
organizadas, entraram em rota de colisão pelo segundo dia seguido. A Torcida
Jovem do Flamengo desclassificou a nota do clube chamando de invasão a entrada
no treino de segunda-feira sem autorização. Por sua vez, o diretor Rodrigo
Caetano reiterou que não permitiu a entrada e que facilitou uma reunião com
alguns jogadores para “minimizar o estrago”.

— Se
tentássemos tirar à força teríamos uma batalha campal — afirmou o dirigente.
Mais
detalhes do encontro vieram à tona. Os torcedores entraram no Centro de
Treinamento e foram em direção ao campo, quando seguranças intervieram, com
Caetano. O diretor tentou demovê-los, em vão. Aí, os jogadores vieram para
conversar.
No
papo, atletas e dirigente tentaram passar a ideia de que a má fase era
combustível para imprensa e fizeram um pacto de silêncio com os torcedores. Na
saída, os integrantes da organizada não falaram, mas no dia seguinte Caetano os
tratou como invasores em alto e bom som.

Entendemos que era a melhor forma desses supostos torcedores saírem daqui de
forma ordeira, sem violência, foi uma decisão conjunta, de colocarmos alguns
atletas para uma breve fala. Não houve qualquer tipo de imposição. Não foi uma
decisão nossa eles entrarem. E de permanecerem a intenção foi eles saíssem o
mais rápido possível dentro de uma tranquilidade — argumentou o dirigente.
Logo
após o protesto, o zagueiro Wallace já havia repudiado a conversa. No encontro,
os jogadores e o dirigente disseram que os torcedores estavam entrando na “casa
deles”. Um dos torcedores virou e disse que aquela era a casa da torcida.

“Vocês estão no Flamengo, não são Flamengo. O único é o Juan, que foi criado
aqui”, esbravejou.

No
embarque para Brasília, já em clima menos tenso, um representante de sócios do
clube entregou uma carta para os atletas reforçando o descontentamento, que
extrapola as torcidas organizadas. No treinamento da manhã, a segurança estava
levemente reforçada. Um carro escoltou o ônibus do time ao aeroporto, onde
policiais aguardavam para dar suporte a possíveis manifestações.
Rodrigo
Caetano fez um discurso pela manutenção do trabalho realizado.

Fizemos um investimento importante na estrutura, em atletas. Mas não posso
dissociar que há duas semanas atrás, muitos diziam que tínhamos um bom elenco e
boa estrutura. Futebol é resultado. Tivemos derrotas e cabe a nós por
experiência fazer as nossas reflexões. Mas não colocar como se estivessem
poucas coisas boas. Vamos buscar a melhoria, mas o objetivo era chegar na final
da Liga e a reação um pouco mais breve. Mas sem fazer terra arrasada e incorrer
nesse erro novamente — insistiu.

MAIS LIDOS

Grupo City fica perto de contratar Lincoln

O Fla hoje possui uma das bases mais promissoras do futebol sul-americano. Ao longo dos últimos anos, vários atletas de muita qualidade técnica foram negociados...

Agente se revolta e não descarta a saída de Lincoln

O Flamengo mediu forças diante do Palmeiras, na tarde deste domingo, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. O time Rubro-negro foi a campo com...

Segundo Fábio Sormani, Flamengo usou de “laranja” para se beneficiar

Na tarde desta segunda-feira, o grande e responsável jornalista Fábio Sormani soltou mais uma daqueles declarações complicadas de se ingerir numa rede de televisão....

Presidente do Sport admite interesse em contratar atacante do Flamengo

O Flamengo possui uma das bases mais qualificados do futebol sul-americano. O Rubro-negro se acostumou a fazer grandes negócios com o mercado da Europa,...