quarta-feira, setembro 23, 2020
Início Notícias Outro olhar sobre o 'mapa das torcidas do Facebook'.

Outro olhar sobre o ‘mapa das torcidas do Facebook’.

Blog
Teoria dos Jogos – Quem acompanha o Blog Teoria dos Jogos em seus diversos
canais de Facebook e Twitter (tanto o particular quanto o novo perfil institucional – curtam!) o faz por certos motivos. Admiram as temáticas aqui
abordadas: receitas, precificação, televisionamento, audiências… e pesquisas de
torcida. O mundo destas pessoas se viu sacudido na manhã de hoje, quando o
Globoesporte.com levou ao ar a ferramenta mais avançada jamais desenvolvida
nesta área. Trata-se do “Mapa das Curtidas” do Facebook.
É
preciso separar o joio do trigo. Na opinião particular deste blogueiro, a
ferramenta é absolutamente extraordinária – uma “ode à improdutividade”. Tanto
que na noite de ontem, o editor chefe do Globoesporte, Gustavo Poli, me
adiantou (sem detalhes) que aquilo que levariam ao ar me faria gastar horas do
meu dia, deixando de lado todos os afazeres. Estava coberto de razão.
Entretanto,
sempre coube ao Blog analisar técnica e desapaixonadamente todas as pesquisas
de torcida – ou o que se assemelha a tal. Assim, apesar de toda admiração
nutrida pela ferramenta, se faz necessário esclarecer por que o “Mapa das
Curtidas do Facebook” não é e nem deve ser encarado como uma pesquisa. Freando
a euforia de milhares de partidários do “eu já sabia”, os que acham que a
questão das torcidas se encerrou por completo neste 25 de setembro de 2015.
O
Blog Teoria dos jogos tem por hábito ser critico ferino quando se depara com
“más pesquisas”. Sem papas na língua, atingimos nada menos que os dois maiores
institutos do Brasil – Ibope e Datafolha, simplesmente por considerar que
fizeram um mau trabalho (relembre aqui e aqui). Por adotar esta postura, não
podemos ignorar quando o posicionamento é elogiável, caso do Globoesporte.com.
Em nenhum momento o portal propagou o “Mapa” como “pesquisa de torcidas” – pelo contrário. Vem dele mesmo muitas das fundamentações adiante exploradas.
O
“Mapa” não é uma pesquisa por não possuir cientificidade – o que inicia e
encerra a questão. Além de não haver números nacionais ou estaduais, inexistem
estratificações (gênero, idade, renda ou escolaridade) e a própria amostra,
ainda que robusta, é enviesada. Tratam-se das 50 milhões de curtidas que
receberam as páginas de Facebook de 43 agremiações. Embora represente 25% da
população do país, o grosso das curtidas se concentra entre populações jovens e
incluídas digitalmente. As consequências são claras: benefício aos clubes que
mais crescem entre jovens (Corinthians, Flamengo e São Paulo), aos das regiões
mais ricas (Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos) e das regiões
metropolitanas. Na própria rede social, o líder em curtidas é o Corinthians e
não o Flamengo – um descompasso quanto ao verificado nas ruas.
Isto
fica claro quando fazemos cruzamento do “Mapa” com pesquisas científicas.
Pegando Brasília como exemplo, eis o que dizem as curtidas:

A
segunda maior torcida da capital federal seria a do Corinthians, atrás apenas
do Flamengo e à frente de São Paulo, Vasco, Botafogo e Palmeiras. Ordenamento
que não condiz com a pesquisa elaborada pela Companhia de Planejamento do
Distrito Federal (Codeplan), exposta ainda na semana passada. Com uma amostra
também robusta – mas visitando regiões desassistidas onde ter Facebook não é
exatamente uma prioridade – verifica-se uma alteração no ordenamento em favor
do Vasco, agora bem à frente de São Paulo e Corinthians. O Fla também sobe.
Esta
foi apenas uma entre tantas outras limitações. O “Mapa” (assim como a Codeplan,
diga-se) não contempla o universo de pessoas “sem clube”, apenas quem curtiu
alguma página. Isto majora percentuais e inviabiliza por completo a projeção
dos números sobre o universo populacional de cada cidade. Mais: cada torcedor
pode curtir quantas páginas quiser, tornando explosiva a supervalorização das
simpatias. Algum pequeno que derrote um clube por quem o torcedor nutra
antipatia “angaria votos” fictícios – explicando a Ponte Preta presente em nada
menos que 5.187 municípios (93,2% do país).
Diversas
outras questões acabam não levadas em conta, como o nível de engajamento das
torcidas – mais captável em pesquisas qualitativas de propensão ao consumo. Ou
a tendência a se acompanhar mais quando se vive distante do clube do coração.
Em casos como este, a internet é a única forma de driblar o foco da mídia local
sobre outras agremiações. Por fim, existem centenas de times excluídos, muitos
dos quais relevantes em suas regiões de influência – casos do Londrina,
Pelotas, Brasil (RS), Juventude, Caxias, Botafogo (SP), Comercial (SP), Moto
Clube (MA) e tantos outros.
Diante
do exposto, conclui-se aquilo que o Globoesporte em nenhum momento busca
ocultar. O que não significa que o “Mapa das Curtidas” não esclareça muito
sobre o perfil das torcidas brasileiras. Primeiro porque é única forma de 100%
dos municípios serem pesquisados de alguma maneira (além do próprio censo
populacional). E segundo por conta de um mantra do Blog Teoria dos Jogos:
pesquisas refletem com precisão o perfil da amostra. Se a amostra se enviesa em
favor de jovens ou engajados virtuais, ao menos nestes meios o “Mapa” é de uma
fidedignidade absoluta.
Ele
é bom mesmo. Basta acompanhar nosso histórico de pesquisas de torcida, tanto na
era da independência (clique aqui) quanto no próprio Globoesporte.com (aqui e
aqui) para perceber. Tudo o que sempre dissemos se vê confirmado: Importância
de times locais se esvaindo à medida com que nos afastamos das capitais.
Influência de cariocas em partes de Minas e Santa Catarina, além do Norte,
Nordeste e Centro Oeste. Maioria paulista em todas as regiões limítrofes com
estados que circundam São Paulo. A primazia do Flamengo. O crescimento do
Corinthians.
Por
tudo isto, e pelas próximas semanas, o Blog Teoria dos Jogos vai se dedicar à
análise do “Mapa das Curtidas”, região por região, estado por estado.
Imaginamos que, mediante quantidade tão brutal de informações em nossa área de
especialidade, seja exatamente isto que espera e demanda nossa audiência. Não
tirem o olho. A viagem está apenas começando…
Um
grande abraço e saudações!

MAIS LIDOS

As notas da vitória do Flamengo em Guayaquil

Em partida complicada pela Libertadores o Flamengo conseguiu uma vitória super importante. Com gols de Pedro e Arrascaeta, o rubro-negro bateu o Barcelona de...

César é criticado pela torcida mesmo após vitória

Na noite desta terça-feira, o Flamengo jogou diante do Barcelona de Guayaquil, no Equador. O Rubror-negro foi a campo com diversos desfalques, inclusive no...

Primeiro tempo do Flamengo encanta Rubro-negros; veja os comentários

Se baseando na última atuação do Flamengo, onde o Rubro-negro simplesmente foi atropelado pelo Independiente del Valle, poucos flamenguistas acreditavam que o primeiro tempo...

Saiu a escalação do Flamengo contra o Barcelona SC

O Flamengo joga nesta terça-feira, em jogo válido pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores da América. O Rubro-negro carioca não poderá...