quinta-feira, outubro 1, 2020
Início Notícias Paolo Guerrero: uma dependência a ser combatida.

Paolo Guerrero: uma dependência a ser combatida.

Meia
Encarnada – A grande desgraça de se acreditar em exércitos de um homem é que às
vezes o herói solitário perde o toque da corneta, e daí o campo de batalha fica
vazio. Porque mesmo os mais abnegados mártires ocasionalmente estão sujeitos
aos encantos do travesseiro. Por mais que o resultado diante do Santos tenha
trazido certa amargura aos flamenguistas, ao menos ficou claro que o time não
depende exclusivamente do empenho de Guerrero, para o bem ou para o mal.

O
desempenho do Flamengo mostrou-se bipolar diante dos mais de 60 mil
psicanalistas entusiasmados que estiveram no Maracanã: de uma atuação
avassaladora no primeiro tempo para a súbita letargia do começo da etapa final.
Em nenhum destes recortes de tempo tão antagônicos Paolo Guerrero esteve à
altura de sua capacidade, que sabemos ser monstruosa.
Tal
conjuntura, pasmem, é positiva para o Flamengo. Porque ficou nítido que
Cristóvão Borges pode – mais do que isso, DEVE – montar uma equipe tenha
condições de superar jornadas apagadas de seu principal jogador. Talvez o
treinador já esteja tentando (e conseguindo) diminuir esta dependência ainda em
estado emergente, e isso pareceu claro no primeiro tempo, jogado pela esquadra
rubro-negra com velocidade e disposição impressionantes, mesmo que o
centroavante não estivesse nos seus dias mais iluminados.
Guerrero
é um dos principais jogadores do futebol brasileiro. Certamente, é o atacante
mais mortal. E não demorou a comprovar isso em sua chegada ao Flamengo. Mal
havia amarrado as chuteiras e chapado o cabelo com BRILHANTINA e saiu
empilhando gols e assistências. Mas é inegável que seu período ainda é de
adaptação, e até que Guerrero ache o time em seu entorno e a própria equipe se
acostume a encontrá-lo em campo, é normal que aconteça alguma instabilidade.
Se não
é um primor, o elenco do Flamengo pode ser transformado em um time competitivo
que, conforme as melancias se ajeitarem, pode até bater às portas do G4. Será
importante, no entanto, que não se entregue à ilusão de que um astro será capaz
de iluminar a madrugada inteira. Mesmo em seu auge, no Corinthians, o peruano
precisava de uma equipe competitiva, que ORBITAVA em torno de seu apurado faro
de gols. Até porque, apesar de toda a poesia, geralmente os exércitos de um
homem só costumam morrer dentro da própria trincheira.
Douglas
Ceconello

MAIS LIDOS

Jogador do Del Valle vê resultado injusto

A vitória do Flamengo sobre o Independiente del Valle, por 4 a 0, nesta quarta-feira, fez com que o Rubro-negro desse um salto na...

Lincoln brilha em partida que poderá ter sido a última pelo Fla

Diante de tantos desfalques, surgiu para Lincoln algumas novas oportunidades de aparecer no elenco. O jogador ainda possui 19 anos, é um jovem em...

Grata surpresa: Flamengo tem elenco maior do que imaginava

O cenário nos últimos dias era caótico, o Flamengo simplesmente não tinha time para entrar em campo. Ou será que tinha? Bem, a realidade...

Jordi Guerrero recebe eleogios da torcida: ”Fica”

A vitória do Flamengo por 4 a 0 foi muito comemorada pelos torcedores nas redes sociais. Com o resultado, o Fla se garantiu nas...