O Flamengo venceu o Vasco da Gama neste sábado, em jogo válido pela 15ª rodadad o Campeonato Brasileiro. O Rubro-negro não conseguiu fazer um bom primeiro tempo, entretanto, jogou muito melhor na segunda etapa, fazendo dois gols e vencendo o jogo por 2 a 1.

Enquanto isso, o Vasco da Gama chegou ao gol de empate, entretanto, o tento estava claramente impedido. Com isso, o VAR foi chamado e o gol que daria o empate ao rival foi acertadamente anulado. Como já era esperado, os torcedores do Vasco não gostaram nada, reclamando muito da arbitragem.

Bruno Henrique- Vasco x Fla

Bruno Henrique-Flamengo

Todavia, além da torcida, o presidente Alexandre Campello, dirigente que não venceu o Flamengo no seu mandato, reclamou bastante do VAR e sugeriu até ir a CBF fazer uma reclamação.

É muito fácil dar um cartão para o Tenório, que é um menino. Não é usado o mesmo peso e a mesma medida com Filipe Luís e Diego. A gente viu isso durante a partida. Com cinco minutos, o juiz já amarelou o nosso lateral. O Diego fez uma jogada que seria para o segundo cartão amarelo, e ele não deu, porque é um jogador experiente. O árbitro pensa duas vezes (…) Talles fez uma jogada na lateral, em que ele conduzia a bola, e o jogador do Flamengo deu um carrinho perigoso. Ele tenta se livrar do adversário pulando por cima, atinge o jogador e toma o cartão amarelo”, declarou o presidente do Vasco em entrevista ao Sports Centes, da ESPN Brasil.

Nós estamos vivendo um momento em que se fala muito de transparência. Quero ver a CBF dar essa transparência que o mundo de hoje exige, abrindo os áudios para gente ouvir o que os caras estão falando lá fora. O Vasco está cansado de ser prejudicado pelo VAR e pela arbitragem’‘, completou.

Os torcedores do Vasco da Gama foram até as redes sociais para reclamar bastante da arbitragem. Na visão deles, o gol do Flamengo estava claramente impedido, sugerindo até um certo favorecimento do VAR ao Fla. Todavia, diversas imagens mostram que o lance realmente estava impedido, com o jogador vascaíno na frente da linha.