Público de jogo feminino do Flamengo supera Botafogo e Vasco.

Foto: Divulgação

GLOBO
ESPORTE
: O Iranduba-AM escreveu história na noite desta quarta, na Arena da
Amazônia. A equipe amazonense empatou em 1 a 1 com o Flamengo, atual campeão, e
avançou pela primeira vez para as semifinais do Campeonato Brasileiro feminino.
E teve mais: foi estabelecido o recorde de público de todas as edições da
competição, com 15.107 pessoas. O número é maior, por exemplo, ao público
presente do clássico Botago x Vasco, que foi de 15.048.

A ocupação
no estádio foi superior, inclusive, a de outros dois jogos disputados na
quarta-feira, da 9ª rodada do Brasileiro, Vitória x Santos e Avaí x Fluminense,
que tiveram 8.179 e 5.342, respectivamente. A prova da demonstração do
interesse do torcedor amazonense pelo futebol femininino fica evidente com os
jogos da final do estadual masculino deste ano. No jogo de ida, entre Manaus e
Nacional, o público presente foi de 1.398 pessoas, e na volta de 3.079.
Mas o
amor do torcedor amazonense não é de hoje. Ano passado, por exemplo, no jogo
entre Iranduba e Corinthians, pela segunda fase também da etapa nacional, tinha
registrado o recorde até então, com mais de 8 mil pessoas. Neste ano, o
amistoso da seleção comandada por Emily Lima contra a Bolívia arrastou mais de
16 mil.
A
marca de maior público entre clubes do futebol feminino do Brasil também é do
Iranduba. Em 2016, no duelo contra o Adeco-SP, pela final da Liga Nacional de
Futebol Feminino Sub-20, registrou 17.322 pessoas na Arena da Amazônia, e
superou o público de Saad-MT x Cresspom-DF, de 12.300, em 2007, que até então
tinha a maior marca. Na ocasião, o time amazonense perdeu por 1 a 0 e ficou com
o vice-campeonato.
O
Iranduba foi fundado em 2011 e leva o nome de um município amazonense, que fica
a 20 quilômetros de Manaus. A equipe passou a disputar o Brasileiro Feminino
desde sua primeira edição, em 2013. Porém, desde o ano passado, conta com
jogadoras que tiveram passagem pelas seleções brasileiras de base. O clube
contratou Lauro Tentardini, que tinha comando a diretoria do Kindermann-SC,
antes do time pedir licença após morte do treinador Josué Henrique Kaercher
(campeão da Copa do Brasil de 2015 com o time) e que foi assassinado por um ex-técnico
do time, Carlos Correa.
Lauro
trouxe várias jogadoras que trabalharam com ele e o time ganhou força. E o time
conseguiu a inédita classificação para a segunda fase e foi eliminado
justamente para o Flamengo, que depois viria a ser campeão. Mas o projeto foi
mantido, inclusive o treinador Sérgio Duarte e, neste ano, os frutos estão
sendo colhidos. Na primeira fase do Brasileiro feminino, a equipe venceu 12 das
14 partidas que disputou e ficou com a seagunda melhor campanha no geral, com
36 pontos, um a menos que o Corinthians.
Na
próxima fase, o Iranduba terá pela frente o Santos, que passou pelo Audax-SP,
após vitória por 3 a 0 na Arena Barueri e empate sem gols na Vila Belmiro. As
datas dos jogos, ida e volta, ainda serão divulgados pela CBF. Em princípio,
estava marcado para o dia 28 deste mês e dia 5 de julho.
Convocações para a seleção
E o
sucesso do Iranduba é tanto, que a treinadora da seleção feminina, Emily Lima,
viu o time com outros olhos e o resultado foram convocações para amistosos. A
equipe teve a volante Djenifer Becker e a atacante Kamilla chamadas para o
Amistoso contra a Alemanha, no dia 4 de julho, na cidade de Sandhausen. Antes
deste jogo, Djenifer já havia sido convocada e participou de outros dois jogos
da equipe principal, contra Espanha e Islândia.

Compartilhe

O FlaHoje é um portal eletrônico de notícias voltado exclusivamente os torcedores do Flamengo. Nosso objetivo é mostrar as principais notícias com qualidade, rapidez e imparcialidade, focando notícias do nosso time favorito, o Rubro-Negro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.