Rafinha fala de responsabilidade para jogar após lesão: “Foi tudo bem pensado, bem planejado”

O Flamengo conquistou o direito de viver o maior momento dos seus últimos 38 anos de história. O Rubro-Negro viveu uma noite de sonhos no Maracanã e goleou o Grêmio em plena semifinal de Libertadores. O jogo foi rodeado de tensão e finalizado com alegria após o resultado. Nos dias anteriores ao confronto, a Nação não sabia se poderia contar com alguns dos titulares mais importantes do time. Entre eles, o lateral Rafinha, que se recuperava de uma lesão na face.

O craque fraturou um osso do rosto em choque na partida contra o Athletico, no dia 13. Em apenas dez dias, ele se recuperou da cirurgia feita no local e exibiu seu futebol no jogo decisivo. Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (25), Rafinha explicou que o retorno foi rápido, mas com responsabilidade.

FOTO: ISABELLE XAVIER/COLUNA DO FLA

– Foi tudo bem pensado, bem planejado, jamais entraria em uma partida dessa dimensão com algum risco. Eu não podia tomar uma pancada em cima, mas os doutores Tannure e Augusto, que me operou, fizeram a logística para que eu pudesse jogar tranquilo. Na hora do jogo a gente esquece e nem pensa nisso, mas graças a Deus ocorreu tudo bem. Foi tranquilo. Vou continuar jogando com a máscara até ser liberado pelo departamento médico -, contou.

O lateral não foi o único “recuperado” a entrar em campo. Além dele, o Flamengo contou com outros três atletas que tinham lesões sérias e com prazos longos. Diego voltou a atuar após três meses tratando uma fratura no tornozelo; Filipe Luís se recuperou de trauma no joelho e De Arrascaeta se mostrou pronto após operar o joelho. Rafinha aproveitou o papo com a imprensa para exaltar a importância de todo o elenco – e contou de uma brincadeira com o camisa 10 do Flamengo.

– Todo mundo está com o mesmo pensamento e entendeu que não são só 11 que conquistam algo. Todos os jogadores têm a mesma importância, isso tem que ser frisado. Precisamos de todos. E ficamos felizes pelo Diego, ele merecia. Até brinquei com ele depois do jogo, falei: “você tem sorte, hein? A bola sobrou e o goleiro pegou só a sua (risos)”. Foi um lance com uma reação imediata do Paulo Victor. O importante é tê-lo em campo, nosso capitão -, disse.

Por: Coluna do Fla

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.