segunda-feira, setembro 21, 2020
Início Notícias Roubar o Flamengo virou esporte nacional.

Roubar o Flamengo virou esporte nacional.

República
Paz e Amor – Ainda bem que existe a Copa do Brasil pra não ficarmos pensando
besteiras. Foi muito bom pro Flamengo sair do Rio, cidade partida onde o
futebol, assim como as suas comunidades, estão divididas entre a poliça, a
miliça e o movimento. Como o Flamengo não está no arrego nada melhor que dar um
rolê e respirar novos ares pra levantar o astral. O jogo com o Salgueiro,
supostamente um simpatico clube sertanejo, foi perfeito pro Flamengo esquecer
as baixarias locais e voltar a praticar o futebol vencedor com o qual está
comprometido desde 1912.
Depois
de quase 300 minutos sem balançar o filó o Mengão voltou a marcar gol. Sai,
inhaca! É brincadeira um time desses ficar tanto tempo na seca, ainda mais
sabendo que bastava ter mandado uma mísera bola pro saco nos ultimos 3 jogos do
carioqueta para que hoje a história do futebol carioca estivesse sendo escrita
pelos grandes cronistas no livro de ouro do esporte nacional e não por
escrivões da polícia em boletins de ocorrência como agora.
O
Flamengo começou o jogo se impondo sobre o adversário e tomando conta da
cancha. Atacou um porradão de vezes e sempre concluiu mal à beça. Já tava todo
mundo começando a ficar bolado. Quando Arthur Maia meteu a nêga lá dentro pra
delírio do Cornélião e da Nação e acabou o tabu. Ufa! Demorou! Cozinhamos a
maricota mais um poquinho até acabar o primeiro tempo e partiu vestiário. O
Brasil inteiro comemorava.
Comemorar
o gol do Arthur Maia é ok. Mas bom mesmo foi comemorar 45 minutos com
Moreilândia em campo sem levar gol dele. Bem verdade que no time do Salgueiro
tinha um Caicó, um Mossoró, um China e ainda meteram um Kanu, mas a nossa
patrulha onomástica, sempre na atividade, marcou os suspeitos de perto e não
deixou espaço pra nenhuma palhaçadinha.
No
segundo tempo continuou a mesma musica, o Mengão na pressão e Salgueiro,
fraquíssimo, na base da bicuda. Marcelo Cirino fez o dele, terminando com
qualquer possibilidade dos salgueirenses darem um rolé no Rio. E foi isso o
jogo. Peladinha inofensiva. O time agora tem 18 dias pra se preparar pra jogar
em Bambyland na estreia do Brasileiro. Tempo mais que suficiente pra Luxemburgo
e sua rapaziada apresentarem algo que preste em termos táticos e técnicos. Não
basta ganhar delas, queremos brilhar!
Na
saída do Cornélião os locais perderam a linha e tentaram dar uma calça-arriada
no Flamengo na hora de dividir a bufunfa. A treta se armou na sala de
arrecadação e o Flamengo, que não apoia a violência em nenhuma esfera, preferiu
nem levar sua parte e resolver a parada direto com o Don, digo, com a CBF. O
futebol brasileiro clama por uma Lava-Jato. Roubar o Flamengo virou esporte
nacional.
Mengão
Sempre
Arthur
Muhlenberg

MAIS LIDOS

Mauro Cezar comenta casos de Covid no Flamengo

A viagem do Flamengo ao Equador pela Libertadores da América está sendo terrível. Enquanto o Rubro-negro foi simplesmente atropelado pelo Del Valle, vários casos de Covid...

Flamengo poderá usar atletas contaminados contra o Del Valle

O Flamengo entra em campo pela Libertadores da América nesta terça-feira, em jogo que pode ser de vida ou morte para o técnico Dome Torrent....

Conmebol: Por que o jogo Barcelona SC x Flamengo não será adiado

Após a confirmação de seis jogadores diagnosticados com Covid-19, os torcedores do Flamengo se questionaram nas redes sociais sobre a possibilidade de a Conmebol...

Fla pode ter até onze desfalques para duelo da Libertadores

A situação do Fla não é das melhores. Após a goleada por 5 a 0 diante do Independiente Del Valle, na última semana, o...