Saber repor a bola é fundamental

Alex Muralha, goleiro do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

PERON
NA ARQUIBANCADA:
por Humberto Luiz Peron

Respeito
o goleiro que sabe o que fazer com a bola, após realizar uma intervenção. É
muito bom, por exemplo, quando o nosso time está sendo atacado, o goleiro
praticar uma boa defesa e rapidamente achar um companheiro livre para iniciar
um contra-ataque, aproveitando que o time adversário estava no ataque e com a
defesa desguarnecida.
Uma
pena que no nosso futebol atualmente pouco vemos os goleiros repondo a bola
para iniciar uma jogada de ataque e nas poucas tentativas não há precisão nos
lançamentos. Gostaria de, em cada rodada, nomear o arqueiro que foi responsável
pelo o início do lance de gol do seu time.
Não
podemos esquecer que o goleiro tem uma visão privilegiada do campo e da posição
dos jogadores no gramado, por isso, ao fazer uma defesa, ele já precisa
identificar para quais jogadores ele poderá fazer o passe. Isso também deve ser
treinado, com os jogadores de linha já sabendo sua localização no campo quando
o goleiro se levantar para devolver a bola para o jogo.
Muitos
não percebem, mas a devolução de bola de um arqueiro é muito importante em um
jogo e não apenas na já citada armação de contra-ataques. Muitos times tomam
gols em erros de saídas de bola dos goleiros. É muito desagradável para um
arqueiro fazer uma bela defesa monstruosa e, menos de uns 40 segundos depois,
levar um tento porque errou em uma simples devolução de bola.
Prefiro
sempre que os goleiros usem os braços para repor a bola em jogo. Os passes são
mais precisos. Para não criar problemas é obrigatório que o passe seja dado
para um companheiro livre e com espaço, de preferência sempre para as laterais,
nunca para a frente da área.
Também
é fundamental que a devolução não dificulte o domínio do companheiro – como
jogar uma bola para que ela quique muito perto do jogador em um gramado molhado
-, pois uma bola fogueira, quando perdida, pode gerar um contra-ataque do
adversário.
Quando
usa os pés, o goleiro não pode quebrar a bola sem mirar um companheiro. Um
chutão para o alto, de qualquer maneira, sempre vai cair nos pés do adversário
– tudo que um arqueiro não quer é que o adversário não fique com a bola logo
depois de intervenção. Por tudo isso, o goleiro precisa treinar lançamentos
longos com os braços exaustivamente e aprimorar a pontaria de seus chutes.
Lógico
que o goleiro não tem que sair jogando rápido em todos os lances. Em alguns
momentos é partida é preciso segurar a bola para que o time possa respirar,
sair do campo de defesa ou diminuir a pressão do adversário. Mas é importante
que todo o goleiro saiba que hoje ele não é apenas o último defensor de um
time. Quando for preciso, ele pode ser também o homem que inicia um ataque
perigoso de um time.
Por: FlaHoje

MAIS LIDOS

Balbuena é especulado no Fla; veja os seus melhores momentos na Europa

O Flamengo está melhorando o seu desempenho desde da saída do técnico Dome Torrent. Entretanto, um dos pontos que ainda precisa melhorar é o...

Rodrigo Caio trabalha com bola e anima Rubro-negros

O Flamengo vive um dos piores momentos defensivamente falando. Desde da saída de Pablo Mari para o Arsenal, o Rubro-negro não consegue encontrar um...

Thiago Silva manda recado para jogador do Flamengo

Não é todo dia que um dos zagueiros mais respeitados do mundo, Thiago Silva, manda uma mensagem para um jovem promissor jogador. O zagueiro...

O mundo dá voltas: Veja onde vai jogar Gabriel, ex-Flamengo

Por conta do trabalho da diretoria, o Flamengo melhorou a sua gestão financeira e se tornou o time mais rico do Brasil. Porém, o...