Técnico do Flamengo estranha ligação entre Vasco e FERJ.

Globo Esporte – O Clássico entre Flamengo e
Vasco já começou, e bem longe do Maracanã. Se a bola só vai rolar domingo, às
18h30m (de Brasília), pela 11ª rodada do Campeonato Carioca, nos bastidores a
rivalidade ferve. No último domingo, o presidente da Ferj, Rubens Lopes,
acompanhou a vitória vascaína sobre o Nova Iguaçu, em São Januário, no camarote
de Eurico Miranda. A proximidade entre os dirigentes não repercutiu bem no
Ninho do Urubu, e, nesta sexta-feira, Vanderlei Luxemburgo aproveitou uma
descontraída entrevista coletiva para demonstrar sua insatisfação com a
situação.

Depois de confirmar a escalação sem mudanças em
relação ao time que venceu o Brasil de Pelotas, pela Copa do Brasil, e brincar
com a maioria dos jornalistas, o treinador abordou o tema no meio de uma
pergunta sobre a rivalidade entre vascaínos e rubro-negros. Antes mesmo que a
polêmica da decisão do ano passado, quando o Fla foi campeão com um gol
irregular de Márcio Araújo, entrasse em pauta, Luxa tratou como anormal a
relação entre Rubinho e Eurico.
– Tudo o que está sendo falado faz parte de uma
rivalidade muito grande de Vasco e Flamengo. A única coisa que não faz parte é
saber que o presidente da Ferj está frequentando o camarote do presidente do
Vasco. O que não faz parte é o presidente do Vasco estar sentado na cadeira do
presidente da Federação em algum momento. Isso tudo é que não faz parte do jogo
do futebol. Eu não tenho nenhuma preocupação quanto ao árbitro. Eu reclamo,
gesticulo. Antigamente, eu ofendia, agora não. O que me preocupa mesmo é essa
relação.
Outro tema que não poderia passar batido na
entrevista de Vanderlei Luxemburgo era o indiciamento de Luiz Antonio pela
polícia por estelionato. Ao contrário do ano passado, quando o caso veio à
tona, o volante não foi preservado, treinou normalmente no centro de
treinamento e será relacionado para o clássico. O treinador tratou o episódio
com naturalidade.
– Não é mais um fato novo. É algo que já tinha
acontecido lá atrás e está trabalhada. Sabíamos que podia chegar ao
indiciamento ou não. O Flamengo está dando toda assistência, toda atenção na
parte jurídica e veio treinar normalmente. O assunto está sendo tratado com
naturalidade. Da outra vez, era um fato novo. Agora, não tem motivo para
preservá-lo. Tem nosso apoio. O que aconteceu lá atrás está repercutindo e vai
continuar.
O confronto com o Vasco, no entanto, não passou
batido. Luxa admitiu que ainda sente frio na barriga em partidas deste quilate
e resumiu como o confronto mais importante do futebol carioca.
– O Vasco veio de um ano ruim. Subiu, mas ficou
aquela desconfiança. Agora, chega na liderança da competição. É um clássico que
mexe muito com as pessoas e com os torcedores. Estamos preparados para essa
rivalidade. Encontro o porteiro do prédio que fala que não pode perder para o
Vasco. O presidente do Vasco se envolve muito. É a maior rivalidade do Rio de
Janeiro.
Com 23 pontos, o Flamengo é o terceiro colocado
no Campeonato Carioca e ultrapassa o líder Vasco em caso de vitória. A
diferença entre os clubes no momento é de três pontos e somente um gol de
saldo: 16 a 15. Para terminar a rodada em primeiro, o Rubro-Negro tem que
torcer por um tropeço do Botafogo diante da Cabofriense.
Veja abaixo a coletiva na íntegra
Treino
tático aberto
É um trabalho de momento. Cada momento é um
momento. Abrimos o treinamento hoje, e o time que vai jogar é esse. Também
coloquei o Everton e o Arthur para analisarmos. Amanhã vamos avaliar novamente.
Se tiverem tranquilos, vão para o jogo, relacionados para o banco de reservas.
Vamos usar quando for necessário. Sobre o treino, quando tem que abrir, abre.
Quando não tem que abrir, vocês têm que entender também.
Entrevistas
exclusivas antes do clássico
Isso é uma coisa que nós trabalhamos e que tem
que ter uma reciprocidade de respeito. Por que eu tenho que deixar um atleta
meu fazer uma matéria em que o meu adversário pode ter uma vantagem por alguma
informação? Lá no Vasco, vocês nem entram no treinamento. Eu respeito isso. E
tem que ser respeitado esse tipo de comportamento das pessoas. Eu estou atento
para preservar meus jogadores. É um trabalho que tem que ser respeitado.
Campeonato
à parte para Eurico Miranda
O outro lado não me interessa. Me interessa o
lado de cá. Encaramos como um clássico que tem uma rivalidade tamanha. Queremos
ganhar o Campeonato Carioca. Nesse campeonato, está inserido o Vasco, o
Fluminense, o Botafogo e times pequenos. Essa rivalidade vai existir, é claro,
e não pode ficar morta.
Paulinho
na reserva
As pessoas não entendem o que acontece aqui
dentro. O Paulinho não está totalmente preparado para iniciar jogando. Mais
para frente, de repente, em outra situação. Com as lesões dos jogadores e a
formação tática que eu quero, são as opções de momento. Não é preferência por
esse ou aquele. É o momento da equipe.
Posição
do Cirino e do Alecsandro
Eu já coloquei assim uma porção de vezes. Já
disse algumas vezes que posso usar o Marcelo por dentro ou por fora. Eu prefiro
o Marcelo por dentro, mas agora estou usando por fora. Venho fazendo isso
alternadas vezes. Eu tenho um elenco que tem jogadores lesionados. Para o
momento, a melhor situação é essa.
Números
Eu não me prendo aos números. Cada jogo é
diferente. Acho legal esse tipo de discussão, de quanto tempo não vence e tudo
mais, torcedor sacaneando o outro. Mas sabemos que futebol é dentro dos 90
minutos. Essas coisas não entram dentro de campo.
Doriva
Ele está começando bem para caramba. Já ganhou
um paulista. Ele tem que começar novo mesmo. Quando comecei como técnico, na
minha frente tinha Telê Santana, Evaristo… O cara que está começando não tem
uma experiência como o mais velho, é claro. Mas ele pode ser jovem e
competente. As pessoas confundem competência com experiência.
Jogo
decisivo
Tem decisão sim. Se ganharmos, vamos encostar
no Vasco e a partir daí só dependemos de nós. Tem a Taça Guanabara também.
Temos primeiro que buscar a classificação para disputar o quadrangular final.
Vasco
evoluiu nesse ano?
O Vasco lá de Manaus já é um Vasco diferente
hoje. É totalmente diferente, está liderando a competição. Tem jogos que o time
joga bem, tem jogos que não. Contratou o Dagoberto, que é um jogador de
referência, de conquista. O Vasco está preparado. Tudo o que está sendo falado
faz parte de uma rivalidade muito grande de Vasco e Flamengo.
Sensações
por causa do clássico
Mexe comigo. O dia que não mexer, eu tenho que
me aposentar. Ainda sinto frio na barriga. Tudo isso faz parte do meu contexto.
Um cara que vive um Vasco e Flamengo, um Atlético Mineiro e Cruzeiro, um Inter
e Grêmio e não se sente diferente, não posso entender.
Importância
do jogo
Envolve Vasco e Flamengo. O Vasco veio de um
ano ruim. Subiu, mas ficou aquela desconfiança. Agora chega na liderança da
competição. É um clássico que mexe muito com as pessoas e com os torcedores.
Estamos preparados para essa rivalidade.
Rivalidade
no Rio

É a maior rivalidade. Encontro porteiro do
prédio que fala que não pode perder para o Vasco. O presidente do Vasco se
envolve muito. É a maior rivalidade do Rio de Janeiro.
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.