sexta-feira, setembro 25, 2020
Início Notícias Vai começar o que realmente interessa.

Vai começar o que realmente interessa.

Flamengo
RJ – Amigos rubro-negros, vamos enfim, após 4 meses, começar o campeonato mais
importante do irracional calendário do futebol brasileiro.

Considero
o Campeonato Brasileiro o melhor do mundo. Não por questões técnicas, mas pelo
aspecto da emoção, da rivalidade e da disputa. É o único campeonato nacional no
mundo, no qual ao menos 10 times entram querendo brigar pelo título. Prova
disso é que nos últimos 10 anos tivemos 5 diferentes campeões (Flamengo,
Fluminense, Corinthians, São Paulo e Cruzeiro), enquanto na Alemanha 4 (Bayern
de Munique, Borussia Dortmund, Wolfsburg e Stuttgart) e 3 na Espanha
(Barcelona, Real Madrid e Atlético Madrid), na Inglaterra (Manchester United,
Manchester City e Chelsea) e na Itália 3 (Juventus, Milan e Internazionale).
Este
ano, como temos 1 time considerado grande (Botafogo) na Série B, teremos 11
times grandes almejando o título ou uma das 4 vagas para a Copa Libertadores
2016, deixando os outros 9 times com o papel de coadjuvantes nesta disputa. Nos
últimos 10 anos, tivemos apenas 2 times (Goiás em 2005 e Atlético-PR em 2013)
entre os 4 primeiros do campeonato que não fossem os 12 times grandes.
Num
exercício de futurologia, e deixando um pouco a paixão de lado, divido estes 11
times em 4 grupos em função de estrutura, perfil do técnico, elenco e mando de
campo. No primeiro grupo, estariam Internacional, Palmeiras e Corinthians como
times que certamente brigarão pelo título. Num segundo grupo estão São Paulo,
Cruzeiro e Atlético-MG, um pouco abaixo do primeiro grupo, mas que certamente
estarão na briga pelas 4 vagas na Libertadores e podem entrar na briga pelo
título. Num terceiro grupo estão Flamengo, Santos e Grêmio que podem disputar
vaga na Libertadores, mas que dificilmente brigarão pelo título. No último
grupo, estão Vasco e Fluminense que acredito não brigarão nem por título nem
por vaga na Libertadores e se não abrirem os olhos desde o início podem brigar
para não cair.
Antes
que eu seja apedrejado nos comentários da coluna ao não colocar o Flamengo na
disputa pelo título, quero registrar que torço muito para estar errado ao nos
colocar no terceiro grupo. Gostaria de errar e ver o nosso time no primeiro
grupo, lutando pelo título até o fim, mas para isso acontecer precisaríamos de
uma conjunção de fatores, um alinhamento de planetas, possível mas  improvável de acontecer.
Como
já disse várias e várias vezes, nosso elenco é bom, formado por muitos bons
jogadores, mas ainda falta a cereja, ou as cerejas, do bolo. Com o perfil deste
time, me arriscaria até a dizer que teremos mais dificuldades em jogar em casa,
quando nossos adversários tendem a jogar mais fechados, do que fora, quando
devem sair para o jogo. Talvez aí estejam nossas maiores chances. Ganhar de 1 x
0 no sufoco em casa e surpreender fora nos contra-ataques do nosso veloz time,
mas que encontra dificuldades em furar bloqueios defensivos, justamente pela
carência de criação no meio-de-campo.
Em se
tratando de Flamengo, creio que a melhor estratégia seja estar próximo dos
primeiros colocados no primeiro terço do campeonato, aproveitando-se do fato de
que alguns times estarão com foco na Libertadores 2015, conseguir trazer  dois bons reforços que se encaixem rápido no
time para poder brigar em cima no restante do campeonato .
O que
me deixa um pouco mais otimista é o nosso técnico. Apesar de alguns equívocos,
na minha modesta opinião de torcedor, na reta final do Estadual, Luxemburgo é
um técnico voltado para competições de pontos corridos. Ele sabe muito bem como
administrar uma competição desta, dividindo-a em pequenos campeonatos com metas
intermediárias. Para os esquecidos, o “ultrapassado” Profexô, nas duas últimas
vezes em que dirigiu um time desde o início em campeonatos brasileiros foi
quarto com o Flamengo em 2011 (61 pontos ou 54% de aproveitamento) e terceiro
com o Grêmio em 2013 (71 pontos ou 62% de aproveitamento), sem ter digamos
assim um elenco galático às mãos.
Com
60% de aproveitamento, certamente estaremos com a vaga na Libertadores 2016.
Um
outro fator que também me anima é a nossa torcida. Se comprar o barulho, se
chegar junto nos estádios, será sim um grande diferencial nosso. Já soube de
movimentos na torcida em lotar o Maraca já na segunda rodada contra o genérico
do Recife. Para isso é fundamental que a torcida sinta dedicação e união do
time.
Tudo
que escrevi acima pode ir por água abaixo porque futebol não tem lógica. Além
disso, a tal janela de transferência pode enfraquecer alguns times e fortalecer
outros.
Como
escrevi na coluna passada para mim neste processo de reconstrução do nosso
clube, o mais importante é que tenhamos uma campanha longe da zona de
rebaixamento de modo a não jogar querosene na fogueira política que viverá o
clube com as eleições no final do ano. Se vier o título ou mesmo uma vaguinha
na Libertadores 2016 será ótimo e servirá para fechar com chave de ouro este
ciclo de três anos dos blues à frente do clube.
Vamos
torcer. Muito !!!!!!!!!!
Saudações
rubro-negras
Márcio
Neves

MAIS LIDOS

Conmebol nega pedido do Fla para inscrever mais dez atletas na Libertadores

O Flamengo sofre com o surto de contaminação pelo novo coronavírus instalado no clube. 16 jogadores pegaram Covid-19 nos últimos dias e a equipe...

Jair Ventura pede atacante do Flamengo pagando 100% do salário

O Flamengo possui um dos times mais qualificados do futebol sul-americano. Com tamanha qualidade técnica, é certo que muitos jovens atletas não terão a...

Cada um pensando em seu próprio umbigo

Muito do que tem acontecido nas últimas horas no futebol brasileiro serve para reforçar algo que já é histórico em relação a nossos dirigentes:...

Dirigente espera poder contar com atletas infectados na quarta

O Flamengo está passando por um surto de covid-19 em seu elenco. Ao todo, são 23 casos, inclusive entre comissão técnica e dirigentes. O...