Tag: Ceni

Ceni Flamengo

Mesmo após fim de Junho, o Flamengo continua com grandes desfalques para a partida de hoje (07)

Nesta quarta-feira (07), o Flamengo enfrenta o Atlético Mineiro na rodada efetiva da 10ª rodada do Campeonato Brasileiro, às 19h. O time Rubro-Negro, comandado por Rogério Ceni, estar em busca da vitória, mas terá ausências no jogo contra o Galo.

Em geral, dois dos grandes desfalques: Gabigol e Everton Ribeiro; estarão na disputa final pela Copa América 2021; desse modo, não poderá jogar pelo clube carioca. No caso do capitão Diego e o goleiro Cesar, os mesmos estão se recuperando de lesões. Já Vitinho ficou fora por suspensão e Hugo Souza, por questões pessoais.

Uma grande pressão é colocada após a derrota pelo Fluminense na Neo Química Arena; contudo, o Flamengo ainda poderá repetir a mesma escalação em cima do Atlético Mineiro: Diego Alves; Isla; Rodrigo Caio; Gustavo Henrique e Filipe Luís; Willian Arão; João Gomes; Arrascaeta e Michael; Bruno Henrique e Pedro.

Rogério Ceni queimado na Gávea: Desgaste do treinador é enorme - Prisma -  R7 Cosme Rímoli
Foto: Flamengo

ATLÉTICO MINEIRO X FLAMENGO

Data: 7 de julho de 2021;
Horário: às 19h;
Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte;
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior, do PR;
Assistentes: Bruno Boschilia e Rafael Trombeta, do PR;
Árbitro de vídeo: Adriano Milczvski, do PR.

Escalação do Atlético Mineiro: Everson; Mariano; Igor Rabello; Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan; Tchê Tchê e Zaracho; Savarino; Eduardo Vargas, Hyoran ou Marrony e Hulk.

Escalação do Flamengo: Diego Alves; Isla; Rodrigo Caio; Gustavo Henrique e Filipe Luís; Willian Arão; João Gomes; Arrascaeta e Michael; Bruno Henrique e Pedro.

Ceni Diretoria

Rogério Ceni passa pelo momento mais delicado no Flamengo, e risco de troca é avaliado

Insatisfeito. Diante dessa situação, Rogério Ceni voltou ao Rio de Janeiro depois de um revés por 2 a 1 no campo do Atlético-MG, e viu a corda do flamenco esticar sob pressão crescente.

O presidente Rodolfo Landim e o vice-presidente de Futebol Marcos Braz exigiram que a pressão para a mudança de comando fosse transferida da rede social para o corredor da Gávea, mas o Rubro-Negro aceitou as críticas pelas redes sociais.

O treinador queimou alguns créditos na cúpula com sua atuação recente, mas o Flamengo entendeu que os jogadores que ainda estão na Copa América são derrotas irreparáveis para o treinador e viu seu time novamente desmembrado.

“Compreendo todas as críticas, entendo o torcedor. Não é natural, é importante vencer. O trabalho vem sendo feito, os jogadores vêm se empenhando ao máximo. É o nono jogo com ausências importantes. Entendo todas as críticas, mas sigo meu trabalho. Temos que ganhar os jogos para dar ânimo”, comenta Ceni.

Ceni Flamengo
Foto: Flamengo

Diretoria em ação

A administração também descobriu que a escassez no mercado era um obstáculo. Se não houver muitas opções disponíveis, uma conversão sem importância agora pode prejudicar o plano para esta temporada. Outro ponto que o rubro-negros considera é o calendário. Como os libertadores estão próximos, as pessoas temem que a mudança final no comando seja fatal.

“Minha relação e o trabalho com os atletas é o mesmo desde o primeiro dia. Eu os trato da mesma maneira e sinto o retorno de cada um. Lógico que quem joga está mais feliz. Isso é natural”, pontua o técnico.

De toda forma; as conversas estão muito forte nos bastidores do Flamengo; tentando melhorar de todas as formas, gerando assim uma quinta-feira longa e muito dura pela frente. Nesse clima, que o elenco se prepara para enfrentar a Chapecoense, no domingo (11), às 18:15, no Maracanã.

Flamengo jogo

Flamengo joga com o Atlético-MG (07), em clima decisivo para o time e Ceni

A derrota por 0-1 para o Fluminense pressionou muito o Flamengo. Sob acirrada troca de tiros do técnico Rogério Ceni, o atual campeão joga contra o Atlético-MG pelo Campeonato Brasileiro no Mineirão às 19h de hoje (07) e tomou a decisão com antecedência.

Longe do consenso entre os fãs, o Ceni tem visto um aumento significativo nas críticas a cada viagem. Além dos contratempos nos clássicos, o comandante viu um aumento no volume do alto-falante devido às mudanças suspeitas e ao tom acima na entrevista coletiva.

Na Gávea, o clima não é totalmente leve, mas a cúpula vermelha e preta entende a necessidade de cautela neste momento. Depois que o clube conquistou três títulos de campeonato, Cheney ainda tem algum crédito no topo do futebol, mas ele também sabe que a lupa sob seu trabalho ficará cada vez maior.

Atlético-MG x Flamengo: prováveis times, onde ver, desfalques e palpites |  LANCE!
Foto: André Melo de Andrade

A propósito, parte do crédito foi queimado por sua atuação no Fla-Flu, tanto dentro quanto fora da quadra. Nos últimos cinco jogos, o Brasil marcou três derrotas e duas vitórias.

Outras causas

“Toda derrota, principalmente se tratando de Flamengo, compromete. O Flamengo sempre entra em campo com objetivo de vencer”, comenta o treinador.

No entanto, o calendário levou a um aumento cauteloso de vermelho e preto. Com o fim dos últimos 16 jogos da Copa Libertadores, a avaliação é que mudanças no comando podem afetar a ordem deste ano.

O rubro-negro ainda está incompleta devido à convocação da Copa América, o que é bom para Ceni. Em Belo Horizonte, com a volta de Isla e Arrascaeta, o treinador deu um suspiro de alívio, esses dois nomes personificam um time que vem sofrendo com a falta de peças e a consequente queda física.

“Nós sempre propusemos o jogo e tivemos a iniciativa, desde que chegamos aqui. Sempre criamos grandes oportunidades e, nem sempre concluir em gols. Temos vários jogadores na Seleção, esse é o sétimo jogo que fazemos com um elenco bem reduzido, curto.

Diante do retorno de Gabigol e Everton Ribeiro, eles vão disputar a final da Liga dos Campeões e logo o Flamengo vai dar tudo de si. No entanto, a devolução dos reforços deve ser acompanhada pela vitória.

Renato Flamengo

Renato Maurício afirma que já existe insatisfação com Rogério Ceni dentro do Flamengo

A derrota do Flamengo para o Fluminense no Derby no domingo (04), deixou alguns torcedores ainda mais insatisfeitos com o trabalho do técnico Rogério Ceni. Em outra partida, o time criou “A” oportunidade foi perdida, mas a oportunidade não se transformou em gol .

O time rubro-negro luta pelo campeonato brasileiro amanhã contra o Atlético-MG. Renato Maurício Prado, ao participar de um noticiário esportivo do UOL com Domitila Becker, disse que, mesmo na vitória, Ceni incomodava a torcida.

E hoje na Gávea o empresário e o técnico estão insatisfeitos com ele e ele também está chateado com eles. Além disso, o repórter lembrou que seu antecessor, Domènec Torrent, perdeu o emprego no ano passado em um fiasco na derrota para Galo.

Ceni Flamengo
Foto: Flamengo

Renato Maurício

“Eu acho até que ele corre um sério risco se ele perder feio para o Atlético-MG agora no meio de semana, não custa lembrar que foi exatamente depois de uma goleada sofrida diante do Atlético-MG que o Domènec Torrent, o antecessor dele, foi demitido. Já existe um clima de muita insatisfação dentro do clube com ele, dele com os dirigentes, inclusive”, começa Renato.

“Ele acha que os dirigentes já deveriam ter atendido os pedidos de reforços dele e dos dirigentes com ele pelo trabalho, pelas substituições mal feitas, pela dificuldade de enxergar o jogo e até por uma certa arrogância nas entrevistas, você vai ver as entrevistas do Rogério Ceni e ele não parece um técnico incomodado com a derrota,

ele está muito mais preocupado em se justificar em dizer que ele treina as finalizações, que os jogadores perdem, enfim, transferindo a culpa, e isso, decididamente, não está caindo muito bem na avaliação do pessoal lá da Gávea”, continua sua explicação.

Renato também citou a insatisfação da torcida com a atuação do Flamengo contra o Fluminense, ao avaliar que o técnico errou na substituição.

“Contra o Fluminense mais uma vez dominou, dominou, chutou sei lá eu, 21 bolas, na verdade, dessas 21 só duas foram realmente perigosas, um chute do Bruno Henrique que o Marcos Felipe espalmou e uma cabeçada do Gustavo Henrique na trave e depois, nos últimos 15, 20 minutos, o Roger mexeu no time, melhorou o Fluminense e o Rogério Ceni mexeu no time e piorou o Flamengo, e aí ganhou o Fluminense”, fala por último, finalizando seu ponto.

Flamengo Ceni

Ceni fala sobre o momento delicado que vive o Flamengo e entende as críticas

Depois de perder para o Atlético de Madrid por 2 a 1, o Flamengo ficou sob maior pressão. O técnico Rogério Ceni defendeu seu trabalho e mais uma vez destacou a falta de times nos jogadores da Copa América.

O comandante do Rubro Negro afirmou compreender a insatisfação dos torcedores com os momentos de oscilação da equipe, duas vitórias e quatro derrotas nos últimos seis jogos. O mesmo volta a afirmar que confia que a torcida anime com a volta das vitórias.

“Compreendo todas as críticas, entendo o torcedor. Não é natural, é importante vencer. O trabalho vem sendo feito, os jogadores vêm se empenhando ao máximo. É o nono jogo com ausências importantes. Entendo todas as críticas, mas sigo meu trabalho. Temos que ganhar os jogos para dar ânimo”, disse ele, que negou problemas de relacionamento:

Ceni Flamengo
Foto: Flamengo

“Minha relação e o trabalho com os atletas é o mesmo desde o primeiro dia. Eu os trato da mesma maneira e sinto o retorno de cada um. Lógico que quem joga está mais feliz. Isso é natural.

Após o fracasso que foi a 10° rodada do Brasileirão; o Flamengo ocupa a 11° posição na tabela. Mas vale ressaltar que, o clube carioca tem dois jogos a menos que a maioria dos outros times. Para a próxima rodada, o jogo será domingo (11), tendo o rival a Chapecoense, às 18h15, no Maracanã.

Rogério Ceni

Rogério Mücke Ceni, mais conhecido apenas como Rogério Ceni é um técnico e ex-futebolista brasileiro que atuava como goleiro. Atualmente comanda o Flamengo. Revelado em 1990 pelo Sinop, do Mato Grosso, foi contratado no mesmo ano pelo São Paulo, equipe da qual foi titular de 1997 até 2015.

Ceni Flamengo

Flamengo continua em fase ruim, sem conseguir que seus melhores atletas se destaquem

Rogério Ceni, vem fazendo algumas apostas, para que consiga suprir com a falta de suas principais peças; contudo essas mudanças não vem surgindo efeito, ficando pior após a derrota Atlético-MG; saindo com a derrota e alguns de suas chaves lesionadas; o seu meio de atuação fica cada vez mais comprometido, o que gera um péssimo rendimento.

O clube não tem no momento Everton Ribeiro e nem Gabigol; que estão cedidos para a Seleção Brasileira, duas peças chaves que estão sem substitutos. Tudo piorou com a saída de Gerson em conjunto com a lesão de Diego; o Flamengo conseguiu reverter com Willian Arão; indo para sua posição de origem. Com tudo isso somado, fica cada vez mais difícil do time encontrar saídas; o que complica sua passagem por esses momentos mais delicados.

“Compreendo todas as críticas, entendo o torcedor. Não é natural, é importante vencer. O trabalho vem sendo feito, os jogadores vêm se empenhando ao máximo. É o nono jogo com ausências importantes. Entendo todas as críticas, mas sigo meu trabalho. Temos que ganhar os jogos para dar ânimo”, comenta Ceni.

Flamengo Ceni
Foto: Flamengo

Cenário Conturbado

Para muitos, isso vem sendo causado por causa dos grandes desfalques que o time vem enfrentando; que a longo prazo está causando sérios problemas. Desde o começo dos desfalques, o clube carioca somou 5 vitórias e 4 derrotas; mesmo sendo o atual campeão do Brasileirão, sua atual colocação na tabela estar lá em baixo.

Com toda movimentação que vem acontecendo em cima de Ceni; a organização do Flamengo que esfriar essa movimentação; para conseguir pensar nos riscos de uma troca a essa altura do campeonato. Sendo assim, Ceni continua em uma grande berlinda, pois o mesmo não tem todo o seu time e nem tão cedo terá; o que deixa mais complicado seus dias.

Por fim, hoje (09), toro o elenco do Flamengo se reapresenta para começar o treinamento para enfrentar o rival da próxima rodada, a Chapecoense; jogo que será no domingo (11), às 18h15, no Maracanã; sendo esse, um jogo muito importante para o clube carioca.

Mauro Flamengo

Mauro Cezar se posicionam a respeito da pressão em Ceni

O Flamengo sofreu a quarta derrota no Brasileiro de Mineração ontem (07). O alvo das críticas dos torcedores foi mais uma vez o técnico Rogério Ceni. Ele ainda teve a chance apesar dos momentos turbulentos. O apoio da diretoria, os resultados e o importante ausência de times devido à Copa América.

Ao participar do programa UOL Notícias Esporte com Domitila Becker, Mauro Cezar Pereira acreditou que o tom do treinador era exagerado, enquanto os jogadores e a diretoria passavam ilesos e destacou que essa questão é um reflexo do que está acontecendo nas redes sociais hoje.

“Existe todo um contexto, de um time totalmente mutilado pelo calendário da CBF e isso está sendo ignorado pelos críticos do treinador, desempenho ruim de jogadores, uma diretoria que não se pronuncia, que não vem a público, que deixa o técnico sozinho entregue a esse ódio das redes sociais”, Mauro Cezar começa pontuando.

“Nenhum dirigente vai a público dizer, por exemplo, por que o Flamengo não contratou jogadores para recompor o elenco nesse momento em que várias baixas já se sabia que iriam acontecer por conta da Copa América? Não tem dinheiro? Até tem dinheiro, mas tem que equilibrar as finanças e a prioridade não é contratar jogador, mas manter as contas do clube em dia.

Mauro Cezar diz que trabalho de Valentim foi "um horror" e intensifica:  "Botafogo tem que agradecer ao Fluminense"
Foto: Divulgação

Perfeito, eu acho corretíssimo isso. Alguém tem que chegar e falar, ‘o time está desfalcado e vai ser esse mesmo porque o clube não pode contratar agora. Primeiro a gente vai organizar a casa, manter a casa em ordem, não vamos fazer nenhuma loucura’. Tudo bem, então de quem é a responsabilidade pelo enfraquecimento da equipe? É da situação, mas está tudo em cima do técnico”, continua falando.

Mauro disse que há uma ilusão de que a demissão de técnicos pode resolver todos os problemas, mas lembra que mesmo a saída do Ceni não será tão simples, pois trará custos para o atual comandante da equipe, e será no nacional mercado. Alguns momentos difíceis de escolha e moeda, porque o euro de hoje tem valor superior ao que foi comprado Jorge Jesus em 2019.

“O euro continua girando na casa dos R$ 6, quando o Jorge Jesus foi contratado era R$ 3, 4, agora perto dos R$ 6 e já chegou a R$ 6,50, R$ 6,60. É inviável contratar um técnico até do nível do Jorge Jesus, então vai contratar quem na Europa? Muito difícil nesse momento embora a temporada europeia ainda vá começar. No Brasil qual o técnico disponível?

Alguns lunáticos pedem o Renato Portaluppi porque certamente não viram o péssimo trabalho dele nos dois últimos anos no Grêmio. Pode até dar certo, mas ele não se credenciou e aí vem uma outra questão, o Renato era, se não o mais bem pago, um dos mais bem pagos técnicos do país”, continua Mauro.

“Dentro da diretoria há forte resistência ao nome do Renato. Se o Ceni for demitido daqui uma semana e o Renato for o novo técnico, pode anotar, vai ser um sapo engolido por alguns dirigentes que não gostariam de vê-lo no Flamengo, enorme sapo, e vai ser para colocar um escudo para os próprios cartolas. Essa crise no Flamengo é uma crise absolutamente tacanha”, completa por fim.

Ceni Flamengo

Rogério Ceni passa sufoco no Flamengo, com a chegada de reforços ele pode se tranquilizar

O Flamengo nesse final de semana, teve uma derrota em um jogo clássico com o Fluminense; dessa forma, a torcida reclamou bastante, esquentando a temperatura da comissão técnica do time; subindo ainda a pressão para o atual técnico Rogério Ceni.

De acordo com informações, o cargo de Ceni não esta ameaçado; contudo ele perdeu o grande prestígio que tinha com a diretoria do clube-rubro. O que aconteceu é que no jogo, o técnico fez algumas alterações que deixou o time mais fraco; fazendo que o rival ganhassem mais espaço no meio de campo.

Todavia, mesmo com toda a pressão, Ceni tem ao seu favor alguns títulos recém conquistados, em conjunto com a boa avaliação que tem do departamento de futebol; a dificuldade vem sendo justificada pelos grandes desfalques que teve no mês de junho.

Ceni
Foto: Flamengo

Posicionamento de Ceni

“Temos muitos jogadores na seleção. Jogávamos com quatro [camisas] dez no meio. Um foi vendido [Gerson], outro se machucou [Diego] e dois estão na Copa América [Arrascaeta e Everton Ribeiro]. Tivemos que mudar a maneira de jogar”, pontua Ceni.

Com os grandes desfalques, que muitos ainda não voltaram por causa dos seus compromissos com a seleção. Sendo assim, Rogério Ceni tem que aguardar para ter suas peças fundamentais de volta; sabendo driblar os problemas.

Dessa forma, toda a comissão técnica do clube tenta preservar as peças que tem disponível, para que a situação não piore. Mesmo não tendo negociações oficiais, Thiago Mendes, Renato Augusto e Kenedy seguem na lista do clube, tendo a tendência de que as conversas avancem nas próximas semanas.

“Queremos sempre vencer. Nem fazemos contas dos jogadores fora, dos desfalques ou não. O Flamengo quer sempre vencer. No ano passado, ganhamos o campeonato por um ponto e cada ponto deixado para trás é muito importante. Dominamos o jogo mais uma vez, tocando bem a bola e chutando a gol”, conclui o técnico.

Ceni

Opções à disposição de Ceni faz Flamengo mudar suas características

Durante a vitória do Flamengo diante do Cuiabá na última quinta, muito se questionou o péssimo desempenho durante o segundo tempo, principalmente com o time não conseguindo manter a posse de bola e assumindo uma função de contra ataque, e não de domínio como vem sendo visto no rubro-negro nos últimos anos.

Porém não é muito difícil perceber o motivo da mudança repentina de característica do time, e isso não acontece necessariamente por uma vontade de Rogério Ceni, e sim pela circunstância que o Flamengo vive.

A carência do elenco no meio de campo já é algo sabido por todos. O clube nunca teve meias reservas para Arrascaeta e Everton Ribeiro. Gerson assumia a construção e várias partidas sem um dos dois meias, ou quando eles estavam mal, porém Gerson não está mais no elenco. Aliás, do meio campo titular rubro negro, apenas Diego Ribas estava em campo nos últimos jogos, mas não estará mais após a lesão no joelho.

Tendo menos meias e mais atacantes, quatro mais especificamente, é óbvio que esse time perderá a capacidade de reter a posse de bola e de ser dominante em campo. E é óbvio também que com tantos atacantes de velocidade, Rogério apostará em velocidade, em contra-ataque. E não há nada de tão errado nisso, pelo menos por agora.

Essa postura faz sentido enquanto o clube estiver tão desfigurado como está, Rogério busca uma opção com as peças que tem. Se é a melhor opção ou não, é assunto para se debater, mas é uma escolha de acordo com os jogadores, de fato.

Antes de mais nada, a diretoria rubro negra precisa mostrar serviço, entregando as opções de elenco que o time tanto precisa. Aí sim poderemos cobrar uma postura de domínio seja lá com que peça for. Caso contrário, isso será frequente.

Veja também: Maracanã recebe doações para Mães da Favela

Ceni

Ceni explica motivo de não ter feito muitas mudanças na equipe diante do Bragantino

O Flamengo perdeu na noite de ontem para o Bragantino de virado por 3 a 2. A partida marcou mais uma grande exibição de Rodrigo Muniz, que marcou dois gols, um deles de bicicleta. Porém, sua exibição ficou comprometida pelo resultado.

Chamou a atenção dos torcedores, além de Muniz, o fato de Rogério Ceni não promover muitas alterações no segundo tempo. Na verdade foi apenas uma, com a entrada de Maxi na posição de Michael. Após o jogo o treinador explicou por sua escolha.

“É natural que eles sintam cansaço já no fim do jogo. Eu queria ganhar o jogo. Defensivamente eu tinha várias substituições para fazer, mas nesse momento onde todos os times – não só o Flamengo – tem jogadores importantes na seleção brasileira, nós tínhamos três garotos no banco. O Muniz estava bem no jogo, com confiança, achei que não era o momento de colocar o Ryan. O Michael, que já vinha de dois jogos seguidos jogando o jogo todo, tentamos colocar o Maxi para dar amplitude naquele lado e o Werton praticamente ainda não teve muitos minutos no profissional”, comentou Rogério, que ainda completou:

“Era um risco muito grande fazer essas alterações. Ou fazia alterações defensivas. Tentamos com o Maxi sabendo que todos já estavam um pouquinho desgastados, mas acho que era o melhor time para manter em campo no momento”

O Flamengo terá que conviver mais alguns dias sem seus principais jogadores. Afinal, a Copa América segue e os desfalques, com exceção de Pedro, voltam apenas em Julho. Aliás, Rogério terá problemas mais à frente, pois com o retorno de Pedro, será possível ter ele e Muniz juntos? É válido tirar Muniz do time nesse momento?

São problemas para Rogério nos próximos jogos. Começando diante do Fortaleza, no Maracanã nesta quarta, às 19h.

Veja também: O Defensor do Ano fica! Premiado e multicampeão, Rafael Mineiro renova com o Flamengo

Gols Marcantes de Bruno Henrique no Flamengo

Ataque do Flamengo sem novos convocados é um desafio para Ceni

No mundo do futebol, há uma expressão assim: “em time que está ganhando, não se mexe”, realmente funciona; mas não será aplicável para Rogério Ceni. O clube do Flamengo, tem um dos melhores ataques desta temporada de 2021, todavia, o técnico se vê em uma saia justa; tendo que achar soluções para os desfalques em decorrência da Data Fifa.

Tendo isso em mente, Ceni terá que ir adequando o time, pensa em usar a formação que deu certo no Campeonato Carioca, um jovem corre por fora. Com tudo, ele teme que isso não seja o suficiente, já que de uma vez só, ele perdeu: Arrascaeta, Everton Ribeiro e Gabigol, sendo todos eles titulares; e Pedro, que vem ultimamente jogando como 12° jogador.

Flamengo Ceni Ataque
Foto: Reprodução

Desfalques de Ceni

De todos esses desfalques, o primeiro foi convocado para a Seleção Uruguaia, pois nasceu no país; porém está afastado por ter vindo a testa positivo para a covid-19. Falando agora, dos atletas Everton Ribeiro e Gabigol, os dois estão no comando da seleção brasileira principalmente, já seu colega de time, Pedro, está no comando da seleção olímpica.

Mesmo quando tudo fica fechado, Ceni ainda tem a sorte de ter tempo para estudar cada opção para cobrir os desfalques do clube. Sendo assim, o técnico recebeu dez dias para trabalhar entre a vitória em cima do Palmeiras, para a estreia do Campeonato Brasileiro, e também, o jogo de ida contra o Coritiba, pela Copa Brasil.

Contudo, para a partida contra o time do Grêmio, que aconteceria nesse final de semana, a CBF veio, e adiou o mesmo. Bruno Henrique, chamado de “Último dos moicanos”, que integra o quarteto titular, poderá ser usado como uma espécie de “falso 9”, mesmo não sendo sua posição frequente, ele já tem bastante experiência na mesma. Bruno Henrique, no jogo contra o Palmeiras, foi responsável pela assistência que levou ao gol da vitória do Flamengo.

Opções do Flamengo

O atleta, estava emprestado ao Coritiba, porém retornou ao time a pedido de Ceni; o artilheiro teve um bom (re)começo no Carioca e chegou a ser artilheiro da competição. Por causa de seu enorme desempenho em tão pouco tempo, os olhos belgas caíram sobre ele, mas não teve nenhum avanço.

“Se não contarmos com Pedro e com o Gabigol por conta da seleção brasileira, vamos trabalhar com esta opção. É possível. Serve como um atenuante durante a Copa América. Tem também o caso do Muniz, que não sabemos o futuro dele. São jogadores importantes. Não estamos falando apenas do Gabigol e do Pedro. Tem o Arrascaeta, não sabemos a situação do Gérson… Isso impacta na formação do time”, disse o treinador, momento antes do acerto da venda de Gerson para o Olympique de Marselha.

Os atletas Michael e Vitinho, voltaram a ganhar espaço no elenco, no começo da competição do estadual, por isso, tem grandes chances dos dois suprirem a necessidade nas pontas. Vale lembrar que, os dois saíram do banco na estreia no Brasileirão e têm uma forte confiança do técnico.

aérea

Bola aérea defensiva é o grande problema de Ceni

Flamengo e Fluminense se enfrentaram no último sábado pela primeira partida da final do Campeonato Carioca. O resultado foi de empate, 1 a 1, mesmo com um Flamengo totalmente dominante no  primeiro tempo e que ainda no equilíbrio do segundo, criou algumas boas oportunidades. Mas, como já vem sendo de costume no trabalho de Rogério Ceni no Flamengo, o que chama a atenção é o número de bola sofridos de bola aérea. Essa mais uma vez foi a tônica no sábado, domina, cria, desperdiça chances e a defesa falha na bola aérea. E os números são assustadores nesse sentido, desde que estreou na temporada 2021, o Flamengo de Ceni jogou 13 partidas, e em 7 delas sofreu ao menos um gol proveniente de um escanteio. Ou seja, em mais da metade dos jogos que disputa o rubro negro sofre gols vindos de escanteio, sem contar outras oportunidades de bola aérea que não são de bola parada. Antes do gol sofrido diante do Fluminense sábado, o Fla já tinha sofrido gols diante do La Calera e da LDU, nas mesmas condições pela Libertadores.

Desempenho defensivo ruim independente de bola aérea

Mas de forma geral, o sistema defensivo do Flamengo não tem correspondido, seja por atuações individuais ou pelo posicionamento em campo, as coisas não funcionam. O Flamengo (titular) estreou diante do Bangu no Carioca vencendo por 3 a 0, após isso, fez 12 partidas e sofreu 18 gols, uma média de 1,5 por jogo. Haja sistema ofensivo forte para dar conta heim? Rogério não tem opção, precisa rever seus conceitos defensivos, e o Flamengo precisa estudar o mercado em busca de opções. Apesar das falhas de posicionamento, as individuais dos zagueiros também são gritantes. O rubro negro errou nas escolhas de contratação para a posição. Leia também: Flamengo Ainda Estuda O Que Fazer Com Jogadores Convocados Veja também: Flamengo vence série contra o Paulistano por 3 a 0 e está na final do NBB
Everton Ribeiro

Jornalista “nova posição” de Everton Ribeiro no Flamengo

Everton Ribeiro tem recebido algumas críticas da torcida do Flamengo por não ser tão efetivo ofensivamente. Porém na última terça, o meia voltou a fazer ótima atuação e mostrou aquele Everton que nos acostumamos. Para algumas pessoas, essa mudança de rendimento se dá a má fase, para outros, o jogador mudou seu posicionamento e liberdade em campo, o que justifica a queda. Para Cahê Mota, setorista rubro negro no Globo Esporte, Everton Ribeiro tem hoje menos liberdade ofensiva que antes. Segundo análise de Cahê, Everton precisa cumprir uma função tática mais disciplinada. E essa função, acaba deixando o meia com “menos perna” e liberdade para chegar na frente e desenvolver sua parte ofensiva. “Foram mudanças de posição que afetaram diretamente o agora ex-volante e ex-meia. Não é bem assim. Discretamente e sem muito alarde Everton Ribeiro se viu obrigado a sacrificar o fôlego para ações ofensivas em prol do equilíbrio defensivo”, comentou Cahê, que ainda destacou: “A equação é simples: por mudança tática, Ribeiro se desgasta mais na parte física e tem menos perna e liberdade para desenvolver a técnica com a bola nos pés. Simples, mas muitas vezes (quase sempre) ignorado. Pois bem, estamos aqui para exemplificar em fatos e fotos. Literalmente.”, Cahê por fim, comentou: “Sem a eficiência de Willian Arão na cobertura dos laterais como primeiro volante, Ribeiro e Arrascaeta têm exigências defensivas muito maiores fechando o corredor e auxiliando Diego e Gerson. A réplica de que o uruguaio não teve impacto em seu rendimento é óbvia, mas também é óbvio que Filipe Luís oferece menos espaços a serem cobertos do que Isla do outro lado”

Escolha tática de Ceni

Desta forma, ainda para Cahê Mota, no momento que Rogério escolhe Everton Ribeiro como uma peça de recomposição e de ajuda na saída de bola, a parte física fica defasada na parte ofensiva. Mas isso tem sido compensado em diminuição de erros de passe e um rendimento ofensivo que ainda é forte. Leia também: Mauro Cezar Elogia “Calma” De Pedro Na Reserva Do Flamengo Veja também: Nação BRB Fla atinge a marca de 500 mil contas
Ceni

Como o Flamengo deverá entrar em campo na noite de hoje

O Flamengo joga hoje a noite em partida importante na Libertadores. O confronto contra a LDU é tida por muitos como a mais difícil da competição, tanto a altitude quanto as qualidades do time equatoriano são pontos a serem considerados. Mas o Flamengo tem mostrado muito preparo e Ceni tem algumas decisões para tomar hoje. Uma notícia ruim acabou chegando para os torcedores no último sábado. Gerson sentiu lesão na coxa esquerda e ficou de fora hoje. Um desfalque e tanto, porém João Gomes, da base, tem demonstrado grandes qualidades e pode conseguir entregar em campo um bom desempenho. A dupla de zaga poderá ser alterada hoje outra vez. Após atuação segura diante do Volta Redonda, Rogério Ceni poderá manter Gustavo Henrique como titular. Caso essa seja a escolha, Gustavo Henrique e Arão formariam a dupla de zaga. Bruno Viana porém não foi descartado. E principalmente, analisando do ponto de vista a altitude, ter talvez um zagueiro mais rápido, seja a melhor opção. Do meio para frente, Ceni não deverá surpreender ninguém. O treinador irá repetir a escalação que considera ideal. Portanto Diego, Everton Ribeiro, Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol seguem no time titular. Assim, Pedro, Michael e Vitinho começam no banco e podem entrar durante a partida.

Escalação

O Flamengo deverá entrar em campo na noite de hoje com a seguinte escalação:
  • Diego Alves
  • Isla
  • Gustavo Henrique
  • Arão
  • Filipe Luís
  • João Gomes
  • Diego
  • Everton Ribeiro
  • Arrascaeta
  • Bruno Henrique
  • Gabigol
A partida de hoje é de extrema importância e Ceni sabe disso. Uma vitória pode colocar o rubro negro em situação muito confortável na tabela. Um empate também seria um placar a ser valorizado, o mais importante é não perder para um adversário direto. Leia também: Gerson No Barcelona? Time Espanhol Pode Pagar Uma Bolada Pelo Jogador Veja também: No Equador, Flamengo faz últimos ajustes antes da partida contra a LDU
Ceni

Ceni traça estratégia para vencer maratona de jogos

O Flamengo tem vivido nos últimos dias uma maratona de jogos. E essa será a tônica da temporada, apertada pela pandemia. Ceni tem se saído bem até aqui em moldar o elenco e colocar em determinados momentos os titulares e reservas. No sábado por exemplo, venceu o Volta Redonda por 3 a 0 e praticamente garantiu a classificação a final. Dos onze escalados no time de Ceni, apenas três jogaram diante do La Calera: Diego Alves, Arão e Everton Ribeiro. Todo o restante da equipe foi poupada, dando tempo de jogo para vários jogadores reservas. E deu certo. João Gomes já tinha se destacado em 2020, e em 2021 fez boas atuações com a camisa do Flamengo. Hugo Moura, que no ano passado estava no Coritiba, é outro que se destacou. Michael e Vitinho estão indo de criticados para elogiados pelo torcedor, ambos tem participado muito bem do jogo, e ajudado. Pedro é um caso à parte, o centroavante não precisa provar nada, é craque. O jogador entra e resolve para o Flamengo, e Ceni valoriza isso. Assim, bons nomes tem surgido das experimentações de elenco durante a temporada. E isso pode ser crucial em momentos mais complicados na temporada. “Em determinados momentos vamos fazer trocas, alterações de um jogo para outro. Vamos jogar com uma equipe mesclada, e vamos conseguir bons resultados. É importante para jogadores como Michael e Vitinho. Michael fez duas jogadas com assistência para gol. Observamos jovens como Hugo Moura, que entrou hoje, o João Gomes fez boa partida. Matheuzinho e Renê vêm jogando mais. Isso serve para que eles tenham ritmo de jogo e, para no momento em que precisarmos, eles estejam prontos para fazer bons jogos como fizeram hoje.”, comentou Rogério sobre a rotatividade do elenco.

Próximos jogos do Flamengo

Em maio o Flamengo irá ter sequência de jogos enorme, são nove, sem contar o do último sábado. Assim, o Mengão terá os seguintes jogos pela frente:
  • 04/05 – LDU x Flamengo – 3ª rodada da Libertadores
  • 08/05 – Flamengo x Volta Redonda – Semifinal do Carioca
  • 11/05 – Unión La Calera x Flamengo – 4ª rodada da Libertadores
  • 15/05 – Final do Carioca*
  • 19/05 – Flamengo x LDU – 5ª rodada da Libertadores
  • 22/05 – Final do Carioca*
  • 27/05 – Flamengo x Vélez Sarsfield – 6ª rodada da Libertadores
  • 30/05 – Flamengo x Palmeiras – 1ª rodada do Brasileirão
Leia também: Dois Jogadores Ganham Espaço Com Ceni E Podem Virar Titulares Veja também: Flamengo ENS encerra seletiva olímpica com 13 medalhas e atletas cotadas para Tóquio
flamengo

Dois jogadores ganham espaço com Ceni e podem virar titulares

O quarteto ofensivo do Flamengo com Arrascaeta, Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol é considerado por muitos insubstituível. Porém nas últimas partidas alguns jogadores do banco de reservas tem se destacado e buscado vaga no time titular. Rogério Ceni tem dado espaço para Pedro e Michael, além de Vitinho. Enquanto Pedro no último sábado fez três gols, Michael deu duas assistências apenas no sábado, mas chegou a sua sexta assistência na temporada. Hoje o Flamengo de Ceni tem Michael como o líder no elenco em assistências, mesmo não sendo titular. Portanto, as opções ofensivas aumentam para o treinador. “Não tenho essa palavra reserva. Raramente eu repito 100% a equipe. O Michael cresceu nos últimos jogos, conseguiu fazer boas jogadas. Ele se apresentou mais cedo para iniciar o Campeonato Carioca. Com isso vai ganhando confiança. O Pedro está acostumadíssimo a essa função. Fazemos muitos treinos, eles estão sempre juntos, e isso ajuda. Eles têm entrosamento natural do dia a dia do treinamento”, comentou Rogério Ceni.

Pedro segue em evolução com Ceni

Se por um lado Michael mostra evolução em 2021, Pedro já é velho conhecido da torcida. O jogador fez ótimo ano de 2020, que o credenciou a ser contratado pela diretoria. Neste ano, Pedro está em grande nível e é impossível para Ceni não ter a pressão de o colocar como titular e pensar na possibilidade. “Pedro, para mim, é titular. Aquele futebol dos 11 que jogam todos os jogos acabou faz tempo. Nos últimos três jogos, ele jogou 90 minutos em dois. Considero o Pedro, não pelos gols de hoje, mas pelo talento que tem, titular”, destacou. Com boas opções, o Flamengo volta a campo na próxima terça, diante da LDU na altitude de Quito. A partida é dada como a mais complexa da fase de grupos do rubro-negro. Leia também: Amazon No Flamengo É O Sonho Dos Dirigentes Veja também: FlaBasquete vence o Mogi por 77 a 67 e se classifica para as semifinais do NBB
Alexandre Vidal/Flamengo

Provável escalação do Flamengo contra o LDU

Escalação do Flamengo diante do LDU, no Equador, já vem sendo trabalhava por Rogério Ceni faz alguns dias. O treinador espera ter um time forte, competitivo e entrosado contra o LDU. Veja os detalhes da provável escalação do Flamengo na Libertadores da América.

PROVÁVEL ESCALAÇÃO DO FLAMENGO

O Flamengo está trabalhando para escolher o substituto e Gerson para o jogo. O camisa 8 flamenguista não irá atuar por conta de uma lesão na coxa esquerda. Por conta isso, Rogério Ceni tem pelo menos três nomes que poderão ser o substituto o jogador: Arão, João Gomes e Hugo Moura.

Se Arão for escolhido por Ceni para ser o substituto de Gerson, Bruno Viana e Gustavo Henrique deverão fazer a dupla de zaga do Flamengo no confronto. Se Arão for zagueiro, João Gome e Hugo Moura brigam pelo espaço.

Veja a provável escalação do Flamengo para este jogo da Libertadores da América.

Com isso, a provável escalação do Flamengo para este jogo é essa: Diego Alves; Isla, Arão, Gustavo Henrique (Bruno Viana) e Filipe Luís; João Gomes (Hugo Moura), Diego, Éverton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol. Hoje, nomes como Pedro e Michael vem jogando muito bem, dupla que poderá ganhar mais espaço com Ceni no jogo de amanhã, principalmente na segunda etapa do confronto.+

O Flamengo conseguiu duas grandes vitórias na Libertadores da América até o momento. Após vencer o Vélez e La Calera, o Flamengo busca fazer mais três pontos e praticamente encaminhar a classificação para a fase seguinte da Libertadores.

A provável escalação do Flamengo mostra o poder do elenco do Fla. O Rubro-negro tem tudo para voltar a vencer e ficar numa situação bastante tranquila em relação a busca pela vaga na fase seguinte.

flamengo

Diretoria decide o futuro de Rogério Ceni

O Flamengo foi derrotado pelo Ceará neste domingo, em jogo válido pela 29ª rodada do Brasileirão. Com a derrota, a pressão sobre o trabalho que vem sendo desenvolvido por Rogério Ceni no Flamengo é cada vez maior. Nesta segunda-feira, houve muitas especulações de que o Flamengo iria anunciar a qualquer momento a demissão de Ceni. Porém, isso não vai ocorrer. Segundo informações da ESPN Brasil, após reuniões importantes hoje, os dirigentes resolveram dar mais um voto de confiança em Ceni. Os dirigentes optaram por dar tempo para Ceni fazer o seu trabalho no Flamengo. Um dos principais motivos para ele não ser demitido é que os dirigentes não entendem que o treinador é o único motivo pro Flamengo não está jogando bem. Como se falta 9 jogos para acabar o Brasileirão, vale mais a pena manter o técnico.  

Dome tem aproveitamento melhor do que Ceni mesmo com pouco tempo livre

O Flamengo está decepcionando a sua torcida em campo na atual temporada. Os dirigentes erraram, contrataram errado e hoje o Rubro-negro paga a conta. A aposta final foi investir em Rogério Ceni, treinador que só conseguiu fazer bons trabalhos até o momento no comando do Fortaleza. Porém, o mesmo desempenho não é visto com a camisa do Flamengo. Mesmo possuindo um elenco repleto de grandes jogadores, o desempenho do time dentro de campo está muito abaixo. A última prova disso foi no jogo contra o Fluminense, onde o Rubro-negro acabou sendo derrotado por 2 a 1, algo que irritou bastante os torcedores. Rogério Ceni foi contratado em novembro para substituir Dome Torrent. O treinador catalão até que conseguiu bons resultados, porém, não estava conseguindo corrigir os problemas defensivos. Com a chegada de Ceni, as goleadas pararam de acontecer, entretanto, a defesa continua sendo uma das mais fracas do Campeonato Brasileiro. Segundo números dos Sofascore, nos 1 jogos de Ceni no comando do Flamengo até o momento foram quatro vitórias, quatro empates e três derrotas, com um aproveitamento de 48,5% dos pontos. Vale lembrar que Ceni teve muito mais dias para treinar se comparado com a equipe de Dome. Já Dome Torrent disputou 11 jogos praticamente quarta-domingo, com 5 vitórias, dois empates e 4 derrotas. O aproveitamento de Dome neste período foi de 51,5%. Ceni pegou o Flamengo em uma posição confortável e vivo em todas as competições. Em pouco tempo deu adeus a Copa do Brasil e Libertadores. A distância quer era de apenas um ponto para o líder hoje está em 7 pontos. Vale lembrar que o Fla tem um jogo a menos em relação ao São Paulo, podendo ver essa diferença diminuir para 4 pontos.  

Rogério Ceni defende o seu trabalho no Fla: “4 vitórias em 6 jogos´´

O Flamengo jogou e empatou na noite deste sábado diante do Fortaleza, em jogo que aconteceu no estádio do Castelão. O Rubro-negro empatou o jogo em 0 a 0, resultado que acabou dando a oportunidade ao São Paulo aumentar ainda mais a distância na ponta da tabela de classificação. Rogério Ceni foi muito criticado nas redes sociais. Durante a entrevista coletiva, os torcedores queriam que Rogério Ceni mostrasse as respostas para todos os questionamentos. Um deles foi ao futebol sonolento do time durante o segundo tempo. Um dos jogadores mais criticados foi o Everton Ribeiro. O jogador teve uma queda brusca de desempenho desde da sua convocação para a seleção brasileira. Nas redes sociais, ele foi um dos mais criticados e muitos sugeriram que ele vá para o banco de reservas já nos próximos jogos. Entretanto, Ceni defendeu o jogador. “É um jogador de criatividade, a função dele é fazer a bola andar… o lado dele vem sendo um pouco prejudicado. O jogo tem acontecido mais pelo lado esquerdo, o Gerson cai mais pela esquerda. Talvez tenhamos que colocar mais um jogador lá”, disse Ceni. Além disso, Rogério Ceni foi perguntado sobre a avaliação do seu trabalho no clube. O Rubro-negro só volta a campo em 2021 e terá de cara um clássico contra o Fluminense.  
  ”Muito difícil avaliar o próprio trabalho. Chegamos com um jogo logo em seguida, tentamos resgatar a parte física, crescer, no Brasileirão são seis jogos com quatro vitórias e dois empates. Vamos lutar até o fim. Faço meu melhor todos os dias, isso eu garanto…”O Flamengo é um time que foi feito pra vencer sempre, foi acostumado com grandes vitórias e quando não se vence é natural a chateação. A produção foi um pouco abaixo, mas vamos continuar trabalhando e tentar continuar na briga. Não vamos desistir”, disse.
  • 1
  • 2

© Copyright 20 Fla Hoje. Todos os direitos reservados
Website desenvolvido por Azarod