Tag: notícias Flamengo

Flamengo

Flamengo da atual temporada tem segunda pior defesa da década

O Flamengo vive uma temporada em 2020 para se esquecer. Não que a equipe não tenha conquistado algo, porém o desempenho em campo foi patético em comparação ao que se esperava. A grande verdade é que um título brasileiro, caso viesse, seria uma “benção” em meio a uma temporada tão fraca. O início foi até empolgante com Jesus. Título do estadual seguindo de título da Recopa e da Supercopa do Brasil. Porém, após a saída de Jorge Jesus, tudo mudou. Hoje, o Flamengo é um barco perdido no oceano. Primeiro com Domenec, agora com Rogério Ceni. As atuações coletivas e individuais não chegam sequer perto das de 2019, ou até de algumas com Jesus em 2020. Mas o fator que chama  mais a atenção, negativamente, se dá na defesa. Nessa temporada, já foram disputadas 60 partidas. Assim, durante elas, o Flamengo sofreu nada menos que 69 gols. Ou seja, média superior a de um por jogo, mais especificamente, 1,15 gols. Porém se “esquecermos” do período de Jesus na temporada e olharmos o desempenho de Domenec e Rogério Ceni, a coisa fica ainda mais assustadora. Com Jesus no comando em 2020, o Flamengo sofreu 11 gols em 18 jogos, média de 0,61 gols por jogo. Já com Domenec o Flamengo sofreu 38 gols em 26 jogos, média de 1,46 gols sofridos por jogo. Com Rogério Ceni, são 17 gols sofridos em 12 jogos, média de 1,41 gols por jogo. Assim, se contarmos apenas a época de Dome ou Rogério, o Flamengo tem hoje, a pior defesa da década.

Confira os números

Confira abaixo os números dos últimos anos: 2020 – 69 gols sofridos em 60 jogos – 1,15 2019 – 64 gols sofridos em 74 jogos – 0,86 2018 – 46 gols sofridos em 67 jogos – 0,69 2017 – 73 gols sofridos em 83 jogos – 0,88 2016 – 59 gols sofridos em 66 jogos – 0,89 2015 – 67 gols sofridos em 62 jogos – 1,08 2014 – 83 gols sofridos em 69 jogos – 1,20 2013 – 69 gols sofridos em 68 jogos – 1,01 2012 – 72 gols sofridos em 63 jogos – 1,14 2011 – 70 gols sofridos em 67 jogos – 1,04 É importante dizer que o estadual está incluso. Caso o tirássemos dos cálculos, deixando apenas o Brasileirão (campeonato no qual o Flamengo ainda compete), a média de gols sofridos é de 1,39 por jogo. Sendo assim, a quarta pior defesa do Brasileirão. Apesar dos números, o Flamengo tem um elenco considerado ótimo por muitos. Aliás, o time titular no inicio do ano era até invejado. Rodrigo Caio, Diego Alves, Filipe Luís e Isla são jogadores de respeito na posição. Mais a frente, Arão e Gérson na marcação, com o ótimo Thiago Maia no banco. A situação atual remete a torcida a péssimo treinamento defensivo, ou até problemas internos entre os jogadores. Leia também: Flamenguistas escolhem torcer pro Santos na final da Liberta Veja também: Sesc RJ Flamengo recebe o Pinheiros pela Superliga feminina de vôlei
flamengo

Opinião: A “estranha” reação de alguns jogadores

Não sei se você percebeu, mas desde que a notícia sobre as panelas no Flamengo foi divulgada no jornal “O Globo”, apenas os jogadores de um grupo se manifestaram nas redes sociais. Foram justamente Filipe Luís, Diego Ribas, Diego Alves e Rafinha, “donos” da geração 85, que vieram a público e se incomodaram, por assim dizer. É muito delicado apontar dedos e dizer que alguém é culpado. Porém, é praticamente impossível não concordar que algo errado está acontecendo. Afinal, é impossível imaginar uma queda tão vertiginosa de desempenho de um time campeão de tudo em 2019. Mas principalmente, é muito raro cair tanto animicamente. Do ponto de vista tático, a queda é normal, afinal mudanças de treinadores aconteceram, e com filosofias diferentes. Mas, nada justifica a diferença de ímpeto, intensidade. Qualquer outro jogador das outras “panelinhas” vieram a público. Nenhum negou qualquer informação. Nenhum se deu o trabalho de “detalhar” o dia a dia do clube. Portanto, parece que a matéria doeu bastante em Diego e os outros mais experientes. É até natural que isso aconteça, afinal a matéria comenta sobre uma possível “preferência” aos mais experientes. Porém, se tudo isso fosse uma grande mentira, os outros não se pronunciariam? Fica uma sensação de que a matéria não está de toda errada. E se formos observar algumas decisões de Ceni, elas parecem ainda mais claras.

Desempenho de todos é baixo

O desempenho dos jogadores em campo é patético. Tanto pelo lado individual da coisa quanto pelo lado coletivo, o Flamengo simplesmente não joga bola. Não é visível em campo que algum problema interno exista. Porém a matéria não cita brigas internas, cita que alguns jogadores se sentem incomodados com a preferência aos experientes. Mas que isso não chegou a uma discussão mais aprofundada no elenco. Na últimas partida, uma decisão de Ceni chamou muita atenção. César foi o titular da partida diante do Ceará, e falhou. Apesar do potencial, César nunca foi considerado grande goleiro, diferentemente de Hugo Souza, que mostra muitos bons predicados. Predicados esses que César nunca teve. A matéria destaca que César pertence ao grupo mais protegido, enquanto Hugo Souza pertence ao grupo dos jovens. E sinceramente, essa seria a única explicação plausível para Hugo Souza ser reserva de César. Não consigo identificar nada na escolha que faça sentido. E é graças a ela e algumas outras, que a torcida acaba ficando, no mínimo, com uma pulguinha atrás da orelha, de que a matéria, diz muita verdade. Leia também: Em vídeo, Diego rebate acusações de “panela” no clube; assista Veja também: Sub-17 vence o Sport por 2 a 1 e está na semifinal da Copa do Brasil
Flamengo

Em vídeo, Diego rebate acusações de “panela” no clube; assista

Na tarde desta quarta-feira o meia Diego Ribas veio a público em suas redes sociais, por meio de um vídeo, para comentar as matérias recentes do jornal O Globo, onde situações dentro do elenco do Flamengo, como a famosa “panelinha” foram expostas. Diego desprezou o possível vazamento de informações e detalhou o dia a dia no Ninho. “Se essa fonte tivesse caráter, ela não seria uma fonte, ela seria leal e traria os problemas para serem resolvidos no dia a dia, o que fazemos constantemente neste clube. Esse grupo é muito melhor do que vocês pensam que ele é. O esforço que cada jogador faz, reconhecimento, humildade, jogadores se cuidam depois do treino, alimentação, dormem cedo, fazem trabalho extra. Estamos falando de homens de caráter.”, comentou Diego. Nos comentários das redes sociais é fácil perceber que o torcedor não está feliz. A maioria das manifestações são de críticas aos jogadores e de crença na matéria do O Globo. A informação foi de Vene Casagrande, já famoso entre os torcedores por acertar várias informações internas. Assim, foi colocado em cheque nos últimos dias a estrutura do departamento de futebol por inteiro. Confira abaixo o vídeo:

Resultados justificam “pulga atrás da orelha”

O torcedor do Flamengo não se conforma com tamanha diferença de desempenho. Ainda mais levando em consideração ser os mesmos jogadores, portanto, nesse cenário, é natural acreditar que algo a mais está acontecendo. Assim, sob forte pressão, Rogério tenta trabalhar para conseguir fazer algo que até então, não conseguiu. O Flamengo soma tropeços e futebol de pouca qualidade, sendo assim impossível passar confiança. Porém, Marcos Braz e Rodolfo Landim caminham em direção oposta a da torcida. Pelo menos por enquanto. Assim, Rogério segue no comando. Diante do Goiás na próxima segunda feira, o Flamengo busca reabilitação. O jogo marca a última partida da rodada. Portanto, o Flamengo terá a “vantagem” de saber os resultados dos rivais antes. Não que isso signifique muito, já que nas duas últimas rodadas, o Fla perdeu quando o São Paulo perdeu também. Leia também: Ex-presidente do Flamengo crítica liberdade de BAP na direção Veja também: Sesc RJ Flamengo vence na estreia do returno da Superliga feminina de vôlei
Flamengo

Ex-presidente do Flamengo crítica liberdade de BAP na direção

O Flamengo vive dentro de campo sua pior fase com a atual diretoria. Rogério o Ceni parece não conseguir tirar o melhor dos jogadores e os próprios jogadores não respondem em campo como em tempos anteriores. A crise inevitavelmente bateu na porta do Flamengo. Inúmeras criticas a jogadores, comissão e diretoria chegaram das redes sociais, mas também do público, que foi ao CT cobrar. Internamente, existe um desconforto com relação a forma como parte da diretoria trabalha. Márcio Braga, ex-presidente do Flamengo, por exemplo, acha inaceitável o silêncio de Landim diante da situação, além da forma como Luiz Eduardo Baptista, o BAP, tem comando no futebol. Para Márcio Braga, o Flamengo hoje não tem comando nenhum. “Falei com Landim na segunda-feira. Ele falou: “Saí de lá (Maracanã) e fui embora para casa”. Eu disse para ele: “Você tem que falar alguma coisa.” E ele me disse que não era do estilo dele. Expliquei que não é questão de estilo: “Você foi ao eleitorado pedir votos, então, o estilo tem que ter uma satisfação para o torcedor. Você vai deixar o técnico ou vai manter o técnico?” disparou.

Disputa por poder no futebol

Márcio Braga vê também uma disputa por poder dentro do departamento de futebol do Flamengo. Segundo ele, Marcos Braz e BAP fazem sua guerra política dentro da pasta. Porém, BAP não faz parte do futebol e não deveria ter voz ativa. “O que disse para ele (Landim) é: “Faz alguma coisa, demite o técnico, não demite. Conversa com o vice-presidente.” Encontraram um ponto de equilíbrio que encobre as ações deletérias do Bap e ficam escondidos. Já elegemos o Braz como grande benemérito merecidamente. É um elemento importante do Flamengo. Se o Bap quer mandar, bota ele como vice-presidente de Futebol, bota a luz do sol”, finalizou. Em meio a crise dentro e fora de campo, Rogério precisa encontrar formas de se recuperar antes de uma demissão. Contra o Goiás, o Flamengo terá mais um adversário com obrigação de vitória, o problema é que ultimamente, essa obrigação tem ficado apenas fora dos campo. Dentro dele, apenas resultados decepcionantes. Leia também: Em reunião com jogadores, Landim garante permanência de Ceni  
Flamengo

Em reunião com jogadores, Landim garante permanência de Ceni

A sequência de resultados ruins bateu forte no Flamengo. A pressão da torcida que antes era nas redes sociais, passou para o “presencial” na tarde desta terça. Irados com o desempenho do time, torcida questionou jogadores, comissão técnica, diretoria e Rogério Ceni. Porém, apesar da pressão, pelo menos em um primeiro momento, o treinador fica no time. Em reunião de aproximadamente 30 minutos, Landim bateu um papo com o elenco e garantiu a permanência do treinador. A reunião foi definitivamente entre jogadores e diretoria, já que até a comissão de Rogério ficou de fora. Após a conversa, os jogadores voltaram as suas atividades normais no CT. A informação da reunião foi divulgada pelo jornal O Globo. Assim, com o respaldo de Landim e Marcos Braz, Rogério, contra a vontade da torcida, fica.

Em dez jogos, Flamengo precisa se provar em campo

Ainda faltam dez partidas para acabar o Campeonato Brasileiro. Matematicamente ainda existem chances do Flamengo ser campeão, aliás, seria totalmente possível. O problema do Flamengo não é a “matemática”, e sim o desempenho. O time de Rogério Ceni não consegue convencer em nenhum setor de campo. Defensivamente a equipe apresenta grandes espaçamentos. No meio, muitas vezes, a marcação parece frouxa, e até na criação com Arrascaeta e Everton Ribeiro as coisas estão mal. Logo, o desempenho do ataque todo cai. A fase é tão ruim que até jogadores como Pedro, que em 2020 jogou muita bola, tem atuações abaixo da média como contra o Ceará. Diante de tal cenário há aqueles que se preocupam com o Flamengo na Libertadores. Isso porque adversários da parte de baixo da tabela se aproximam. Portanto, o Flamengo precisa pontuar não apenas pela chance ao título, e sim para garantir vaga. Uma não classificação poderia ser considerada crítica, tanto para o futebol quanto para o lado financeiro. Boa parte do orçamento de 2021 está relacionado ao bom desempenho na Libertadores. Caso queira permanecer, Rogério precisa resgatar o futebol do time. Mas para isso, precisa primeiro resgatar a harmonia no elenco, o foco, e automaticamente, alguns jogadores, tecnicamente. Leia também: Torcida do Fla pede a contratação de Gallardo e mais um craque do River Veja também: Com recursos do CBC, Flamengo investe em equipamentos para os esportes olímpicos  
flamengo

Apresentador detona Ceni no Flamengo

O Flamengo vem colecionando partidas ridículas dentro de campo. Depois de Fortaleza, foi a vez de partidas decepcionantes diante de Fluminense e Ceará, duas derrotas amargas e de um time mal treinado, sem tesão em vencer, um time que o torcedor não aceita e que se desacostumou a ver em campo. Diante dos últimos jogos, o apresentados Benjamim Back não poupou críticas a Ceni. Para ele, o semblante de Ceni após o segundo gol do Ceará mostra bem o momento que vive o Flamengo e quanto o treinador está perdido. “O Flamengo não está jogando nada. É um time que não tem mais vibração, não tem intensidade. Parece um time nervoso dentro de campo. Aquele semblante do Rogério Ceni na hora do segundo gol do Ceará é o retrato deste Flamengo. Alguma coisa está acontecendo. O retrato do desespero.”, comentou. Ainda, segundo o comentarista, o Flamengo segue caminho para fora da briga pelo título: “O Flamengo está começando a dar adeus ao título. Não só pela pontuação, mas pelo futebol que o time não tem jogado”, finalizou.

Um time que não inspira

O Flamengo virou um time “meio de tabela” do brasileiro. Porém tem elenco e folha salarial de time campeão com sobras. O cenário do ponto de vista de desempenho no time é inadmissível. Seria até normal imaginar que após saída de Jesus a equipe teria problemas de adaptação tática, principalmente com Dome, que propôs sistema de jogo diferente. Porém, o que se vê com Ceni é uma tentativa de “cópia” ao trabalho de Jesus, mas com uma enorme diferença: a apatia de alguns jogadores, seguido de um time espaçado em campo. Hoje é impossível apontar um jogador do elenco que esteja jogando bem. Mais do que natural, quando o coletivo não funciona, aos poucos as individualidades “somem”. Esse é um ponto de debate, afinal, mesmo mal, a equipe de Dome ainda conseguia encontrar virtudes em alguns jogadores. Com Ceni, todos parecem mal, nada funciona. Enquanto Braz banca o treinador, a única saída parece ser sua demissão. Mesmo que para isso seja necessária a contratação de alguém pensando na próxima temporada. Leia também: Sob forte pressão, Marcos Braz banca Ceni “até o fim” Veja também: Sesc RJ Flamengo estreia no segundo turno da Superliga feminina de vôlei
flamengo

Opinião: Matéria do Extra é um tapa na cara do torcedor

O Extra soltou matéria na tarde desta segunda, detalhando o dia a dia no departamento de futebol do Flamengo. A matéria, apesar de curta, é preocupante sob vários aspectos. Primeiro, pelo óbvio, o Flamengo hoje é um barco a deriva, os jogadores tomam conta do departamento e a direção parece não ter condições nenhumas de reassumir o controle. Mas a matéria serve também para refletirmos sobre o que vem acontecendo com o time nos últimos meses. E quando paramos para pensar, a conclusão pode ser decepcionante. Se de fato, o departamento de futebol hoje é comandado pelos jogadores, a ponto deles escolherem profissionais e horários de treino, o que imaginar do que foi feito com Domenec? Aliás, você se lembra do catalão? Provavelmente sim. Preste atenção, não estou dizendo que o Domenec é bom ou é ruim, se o rodízio funciona ou não, nada disso. Eu quero apenas que você pense, em um clube sem comando, com os jogadores mandando em tudo, eles deixariam no comando um treinador que propõe dar oportunidades a todos os jogadores? Que não se submete a apenas um grupo? Então, aí que vem o ponto mais preocupante. Independentemente de quem seja o técnico, o que esperar de vencedor nesse cenário? Jorge Jesus tinha o comando de tudo, mandava em tudo, e os jogadores não tinham liberdade para questionar ou escolher algo, a voz do português era firme. Porém, tanto Dome quanto Ceni são “pequenininhos” diante dos ídolos vencedores da Libertadores e Brasileirão. O cenário é de jogadores “grandões”, que possuem a confiança da torcida. Ou seja, a corda sempre vai estourar no treinador.

Não podemos confundir as coisas

Perceba que não quero colocar os jogadores como grandes vilões da história, acredito que esse tipo de situação seja até natural, a briga de egos é comum no mundo, em qualquer meio. Porém, caberia a diretoria intervir, mas ela parece amadora nesse ponto. Mas, tudo que vem acontecendo serve como aprendizado para a torcida. Precisamos aprender a criticar todos, e parar de escolher bodes expiatórios. Os problemas que cercam o Flamengo hoje são muito maiores que um nome ou outro, é um conjunto de fatores negativos. E hoje, os treinadores que assumirem o clube, parecem estar perdidos. O time precisa de alguém “pesado” no comando. Tanto na diretoria, quanto no comando técnico.

Leia também: Diretoria do Flamengo está perdida diante de crise no futebol

Veja também: Sub-17 vence o Sport por 2 a 1 e está na semifinal da Copa do Brasil
flamengo

Criticado, Rogério se defende: “Meus treinamentos são bons”

A derrota do Flamengo diante do Ceará definitivamente acabou com a confiança que o torcedor tinha em relação ao trabalho de Rogério Ceni. O antes já questionado treinador, agora tem sua cabeça pedida pelo torcedor nas redes sociais. Escolhas confusas dentro de campo ajudam a explicar as críticas. Afinal, na tarde de ontem, o Flamengo no segundo tempo teve por grande período Diego de primeiro volante, Vitinho na lateral direita, Arão na zaga e César, questionado, no gol. Diante de decisões tão questionáveis, Rogério se vê pressionado. Assim, de alguma forma, o treinador tentou buscar formas de defender seu trabalho. Que apesar dos elogios dos jogadores, não tem apresentado resultado positivo algum. “Meus treinamentos são bons mesmo. Estudei muito para poder colocar em prática no dia a dia. As pessoas de alto nível querem saber para que estão fazendo as coisas e é preciso explicar, criar novas atividades para motivar. Não sei, talvez a maior culpa seja minha por não conseguir fazer que o time execute, dentro de campo, tudo que executa no treinamento. A seriedade com que eles trabalham, eu prefiro assumir para mim essa responsabilidade”, comentou o treinador. Em números, Rogério já se tornou o segundo pior treinador do Flamengo na década. “Perdendo” apenas para Ney Franco em 2014, Rogério tem apenas 44% de aproveitamento. O treinador tem apenas 44% de aproveitamento e fica na frente de nomes como Cristóvão Borges (46%), Oswaldo de Oliveira (50%) e Mano Menezes (50%).

O restante da temporada

A passagem de Ceni até aqui tem sido tão ruim, que mesmo se vencer algumas partidas fica difícil imaginar sua permanência. Portanto, o treinador precisaria mudar o time da água para o vinho caso queira algo maior. Aliás, talvez apenas o título brasileiro salve no cargo, e como sabemos, essa façanha é quase impossível para o treinador no momento. Principalmente analisando a crescente de times como Palmeiras, Grêmio e até Internacional de Abel Braga. A tabela tranquila de Atlético-MG e a vantagem em pontos do São Paulo também pesa. Rogério mais uma vez, tende a fracassar em uma equipe grande. Leia também: Dá para acreditar? Confira tabela dos time na disputa pelo título Veja também: Sub-17 vence o Sport por 2 a 1 e está na semifinal da Copa do Brasil
flamengo

Dá para acreditar? Confira tabela dos time na disputa pelo título

Depois de mais uma derrota no Campeonato Brasileiro e um futebol fraco, fica difícil acreditar que o Flamengo consiga dar a volta por cima na competição. O “problema”, é que enquanto o Flamengo tropeça, seus adversários fazem o mesmo. Assim, o “sonho” acaba não sendo totalmente eliminado da cabeça dos torcedores. Mas para isso, uma mudança completa de postura e de organização tática deveria acontecer. Fato que parece praticamente impossível com Rogério Ceni. Mas, torcedor que é torcedor, nunca abre mão da luta pelo título, certo? Confira então os confrontos que o Flamengo e seus rivais tem pela frente.

São Paulo

Athletico-PR x São Paulo – 30ª rodada São Paulo x Internacional – 31ª rodada São Paulo x Coritiba – 32ª rodada Atlético-GO x São Paulo – 33ª rodada São Paulo x Palmeiras – 34ª rodada São Paulo x Ceará – 35ª rodada Grêmio x São Paulo – 36ª rodada Botafogo x São Paulo – 37ª rodada São Paulo x Flamengo – 38ª rodada O São Paulo tem cinco jogos dentro de sua casa, e quatro fora. A tabela dos paulistas, apesar de ter times da parte de baixo, tem também “pedreiras”. Internacional, Athletico, Palmeiras, Grêmio e o Flamengo prometem ser adversários duros.

Atlético-MG

Red Bull Bragantino x Atlético-MG – 29ª rodada Atlético-MG x Atlético-GO – 30ª rodada Grêmio x Atlético-MG – 31ª rodada Vasco x Atlético-MG – 32ª rodada Atlético-MG x Santos – 28ª rodada Atlético-MG x Fortaleza – 33ª rodada Goiás x Atlético-MG – 34ª rodada Fluminense x Atlético-MG – 35ª rodada Atlético-MG x Bahia – 36ª rodada Sport x Atlético-MG – 37ª rodada Atlético-MG x Palmeiras – 38ª rodada De todos os concorrentes, o Atlético-MG é o que tem mais jogos a disputar. A equipe de Sampaoli ainda entra no grama em onze oportunidades. Olhando a dificuldade dos adversários, podemos considerar a tabela do Atlético-MG consideravelmente mais tranquila que a do São Paulo. Porém, o time de Sampaoli já tropeçou para times da parte de baixo na tabela.

Flamengo

Goiás x Flamengo – 30ª rodada Flamengo x Palmeiras – 31ª rodada Athletico-PR x Flamengo – 32ª rodada Grêmio x Flamengo – 23ª rodada Sport x Flamengo – 33ª rodada Flamengo x Vasco – 34ª rodada Red Bull Bragantino x Flamengo – 35ª rodada Flamengo x Corinthians – 36ª rodada Flamengo x Internacional – 37ª rodada São Paulo x Flamengo – 38ª rodada A tabela do Flamengo, assim como a do São Paulo, tem adversários “pesados”. Com exceção do Sport, RB Bragantino e Vasco, os adversários figuram a parte de cima da tabela.

Grêmio

Palmeiras x Grêmio – 30ª rodada Grêmio x Atlético-MG – 31ª rodada Internacional x Grêmio – 32ª rodada Grêmio x Flamengo – 23ª rodada Coritiba x Grêmio – 33ª rodada Grêmio x Santos – 34ª rodada Botafogo x Grêmio – 35ª rodada Grêmio x São Paulo – 36ª rodada Grêmio x Athletico-PR – 37ª rodada Red Bull Bragantino x Grêmio – 38ª rodada Se tem um time que pode definir o título, esse é o Grêmio, a equipe de Renato Gaúcho enfrenta todos os adversários da parte de cima da tabela. Na final da Copa do Brasil, o Grêmio poderá ter atenções divididas, porém tem tabela pesado e ao mesmo tempo, interessante.

Internacional

Internacional x Fortaleza – 30ª rodada São Paulo x Internacional – 31ª rodada Internacional x Grêmio – 32ª rodada Internacional x Red Bull Bragantino – 33ª rodada Athletico-PR x Internacional – 34ª rodada Internacional x Sport – 35ª rodada Vasco x Internacional – 36ª rodada Flamengo x Internacional – 37ª rodada Internacional x Corinthians – 38ª rodada A tabela do Inter é ligeiramente mais tranquila que a do Flamengo. Mas ainda sim, a equipe de Abel Braga vai enfrentar alguns adversários complicados.

Palmeiras

Palmeiras x Grêmio – 30ª rodada Palmeiras x Corinthians – 28ª rodada Flamengo x Palmeiras – 31ª rodada Ceará x Palmeiras – 32ª rodada Palmeiras x Vasco – 1ª rodada Palmeiras x Botafogo – 33ª rodada São Paulo x Palmeiras – 34ª rodada Coritiba x Palmeiras – 35ª rodada Palmeiras x Fortaleza – 36ª rodada Palmeiras x Atlético-GO – 37ª rodada Atlético-MG x Palmeiras – 38ª rodada O Palmeiras, junto do Atlético-MG, é a equipe com o maior número de jogos a disputar. Apesar das três próximas rodadas serem pesadas para o time de São Paulo, o restante da tabela trás adversários relativamente tranquilos. Não é absurdo imaginar que o Palmeiras possa repetir o feito do Flamengo em 2019. Leia também: Esperando notícias do Flamengo sobre possível saída de Ceni; torcedores sugerem nomes Veja também: Flamengo perde por 2 a 0 para o Ceará, no Maracanã, pelo Brasileirão
flamengo

Sem Maracanã, Flamengo poderá enfrentar Palmeiras no Mané Garrincha

Em partida válida pela rodada 31 do Campeonato Brasileiro, o Flamengo não poderá usar o Maracanã. Isso porque o estádio estará vetado para preparativos da final da Libertadores, que será disputada no tempo. Assim, o Flamengo já pensa em soluções. Afinal, nesta rodada é mandante diante do Palmeiras, e assim, precisa encontrar um estádio para essa partida, pontual. O estádio Nilton Santos seria uma opção simples e próxima. Mas a chance do jogo acontecer lá é praticamente zero. Do ponto de vista de logística, o Mané Garrincha surgiu como opção válida. Afinal, o Flamengo enfrenta o Goiás em Goiânia, três dias antes de enfrentar o Palmeiras. Brasília fica ao lado, tornando a viagem tranquila para a comissão. Assim, o time sairia de Goiânia direto para Brasília, sem passar pelo Rio. Além da proximidade, conta positivamente o fato da diretoria ter boa relação com o governo federal e com a cidade. Onde por sinal, fica a sede da atual patrocinadora master do clube. Portanto, mesmo sem público, o Mané Garrincha deverá novamente ser utilizado pelo Flamengo.

As próximas partidas do Flamengo

Se quiser ter ainda alguma chance de título, o Flamengo precisará vencer seus próximos adversários. Neste domingo enfrenta o Ceará, no Maracanã. Depois dessa partida, volta a campo apenas na segunda, dia 18, para enfrentar o Goiás. Na quinta, dia 21, enfrenta o Palmeiras, depois o Athletico-PR, na Arena da Baixada. Por fim, no dia 28 enfrenta o Grêmio, em Porto Alegre. Ou seja, das próximas cinco partidas do Flamengo, três serão fora de casa. E mesmo com mando, apenas uma no Maracanã. É bem verdade que mando de campo teve sua “força” diminuída durante a pandemia. Com estádios vazios, o aproveitamento dos mandantes não é o mesmo, e a pressão nos adversários muito menos. Mesmo assim, as viagens em um prazo curto de tempo obrigam o Flamengo se ajustar para entrar na maratona mais do que pronto. Novos tropeços, sacramentam o fim da disputa pelo título. Leia também: Mesmo mal em campo, departamento de futebol gosta de trabalho de Ceni Veja também: Sub-17 vence o Sport fora de casa e abre vantagem nas quartas de final da Copa do Brasil
Flamengo

Mesmo mal em campo, departamento de futebol gosta de trabalho de Ceni

A derrota de virada no clássico diante do Fluminense serviu para a torcida expressar de vez seu descontentamento com o trabalho de Rogério Ceni. O treinador já vinha sendo questionado há algum tempo, mesmo com resultados positivos, mas que eram apertados. O torcedor entende que a equipe não rende sequer perto do que poderia. Pesa contra o treinador o fato dele ser o comandante durante as eliminações na Libertadores e na Copa do Brasil. Porém, enquanto a pressão externa é forte por sua queda, a interna é mais amena. Pelo menos não dentro do departamento de futebol. Segundo jornalista Rodrigo Mattos, Rogério segue muito elogiado pelo departamento de futebol do Flamengo. Na análise do departamento, os treinos de Rogério são baseados no futebol moderno, com ideias poderosas e condizentes com o que o Flamengo imagina para seu futuro. A alta intensidade dos treinos táticos também são muito elogiados. Além de várias jogadas trabalhadas. Para o departamento, os resultados em campo não fazem jus ao trabalho que vem sendo feito nos treinamentos, considerados ótimos. O repórter Vene Casagrande conversou com outro dirigente do clube, de fora do departamento de futebol. Na análise dele, “treino é treino, e jogo é jogo”, assim, de nada adianta ir bem nos treinamentos, se o resultado não chegar em campo. E de fato, o Flamengo tem apresentado notória falta de criatividade na frente, além de um sistema defensivo espaçado e falho. O que se vê em campo não passa perto do que dizem ver nos treinamentos.

Fase final determina sua permanência

Rogério não pode reclamar de falta de tempo, como Dome. Com as eliminações, o treinador teve semanas disponíveis para treinar e preparar o time da melhor maneira que achou possível. Até por isso as críticas são intensas. Rogério não consegue em jogo entregar um time diferente dos de Dome. Ambos cometem os mesmos erros, e isso incomoda. Diante do Ceará, a chance de começar a mudar esse cenário. Afinal, a reta final do campeonato será determinante para Rogério permanecer ou não. Leia também: Em busca de ritmo, Rogério deverá repetir time contra Ceará Veja também: Sesc RJ Flamengo encara o Fluminense para fechar primeiro turno da Superliga feminina de vôlei no G4
flamengo

Provável escalação do Flamengo contra o Ceará

Neste sábado, o Flamengo encerra seus preparativos para enfrentar o Ceará, no domingo. A partida válida pela vigésima nona rodada do Brasileirão, marca mais um confronto do Flamengo onde a expectativa é de vitória. Afinal, quem quer ser campeão, precisa vencer adversários da parte de baixo da tabela. Além de vitória, o torcedor espera rendimento, desempenho. Assim, Rogério aposta na sequência do time, para dar ritmo. Pensando assim, é provável que a mesma escalação de quarta, vá a campo amanhã. Como Diego Alves não foi ao treinamento, Rogério deverá colocar a campo novamente, Hugo Souza. Assim, o time que deverá ir a campo é: Hugo Souza; Isla, Rodrigo Caio, Nathan e Filipe Luís; Arão, Gérson, Arrascaeta e Everton Ribeiro; Bruno Henrique e Gabigol. Assim, Rogério frustra determinadas expectativas dos torcedores, em um time modificado. A torcida tem visto, principalmente em Felipe Luís e Everton Ribeiro, um rendimento muito abaixo do esperado. Dessa forma, existe pedidos de que ambos vão para o banco de reservas. Mas Rogério não partilha da ideia.

Quem poderia entrar?

Do ponto de vista do torcedor, Ramon, lateral esquerdo jovem da base, poderia ser colocado em campo. Porém é praticamente impossível pensar nessa possibilidade levando em consideração de que Rogério nunca usou o jogador. O jovem inclusive voltou para o elenco do sub-20, onde disputa o Brasileirão da categoria. Assim, o reserva de Filipe seria na verdade Renê. Portanto, ofensivamente, nada mudaria. Já no ataque a opção pode ser considerada de maior realidade. Afinal, diferentemente de Ramon, Pedro não é aposta. O jogador é considerado por muitos o melhor do time na temporada. Assim, Pedro poderia entrar no time. Mas na vaga de quem? Na opinião da torcida, Everton Ribeiro poderia ceder essa vaga. Deixando o time com três atacantes. Gabigol já jogou pela ponta direita, não seria problema. Porém vale dizer que enquanto esteve por ali, o jogador não fez grandes atuações. Nesse sistema, o Flamengo também passaria a ser mais dependente de Arrascaeta, que seria o único meia mais avançado, com ajuda de Gérson vindo de trás. Opções que agradam a torcida, mas que aparentemente não passam pela cabeça de Rogério, que aposta na sequência. Leia também: Gabigol comemora 2 anos de Fla com vídeo emocionante Veja também: Museu do Flamengo ficará fechado até o dia 24 de janeiro  
Flamengo

Confira as opções de Rogério Ceni para o time titular do Flamengo

O Flamengo não tem se apresentado bem em campo. As últimas partidas diante do Fortaleza e do Fluminense foram desanimadoras até para o mais otimista. Assim, preparamos algumas opções para todas as posições do time. Então, confira a seguir:

Defesa

Se pensarmos na defesa do Flamengo, é meio óbvio dizer que na dupla de zaga e no go, as opções não são muitas. Apesar de ainda não ter emplacado, a dupla Nathan e Rodrigo Caio parece a “menos pior”. Apesar disso, fica clara a necessidade de reposicionar jogadores. O Flamengo tem dado muito espaço no meio e deixa a dupla desprotegida, precisando sair o tempo todo de suas posições. Por isso aqui, a aposta mais correta parece ser em um time mais compacto, na melhora tática, e não na mudança de nomes. O cenário pode ser visto um pouco diferente nas laterais, em especial do lado esquerdo. Enquanto Isla é de longe o melhor pela direita, Filipe Luís é hoje muito questionado. E não apenas pela falha diante do Fluminense, mas pelo desempenho geral. O lateral apoia pouco e por vezes perde em vigor físico e velocidade dos adversários. Assim, a presença de Ramon seria extremamente interessante. Porém Ceni prefere Renê como reserva direto. Um erro, afinal preparar Ramon para a posição seria ótimo para o clube. Mesmo que não fosse titular, mas ao menos a reserva.

Meio de campo

No meio de campo, Arão é como sempre, questionado. Para alguns ele marca menos do que deveria, para outros, é uma peça fundamental. Assim, Arão acaba sendo polêmico entre os torcedores. Porém, importante sim, em todas conquistas recentes. Caso pense em mudar, Ceni poderia colocar João Gomes. O garoto apesar de muito novo, mostra qualidade extrema no passe e na marcação. Muito técnico, João consegue descer como meia armador e chegar bem na área. Nos desarmes esteve bem também, mas acaba perdendo na bola aérea. Gérson parece sem incontestável na posição. Dita muitas vezes o ritmo do time e é um jogador “empolgante”. Além disso, Diego que seria uma opção, não entra tão bem a ponto de pegar a vaga. Everton Ribeiro tem sido muito questionado, e não é a toa, o jogador está muito mal. Assim, poderia perder a vaga por exemplo para um Gabigol mais aberto, dando espaço no time para Pedro. A aposta em três atacantes é válida, ainda mais eles sendo Bruno Henrique, Gabigol e Pedro. Nessa brincadeira, Everton Ribeiro poderia rodar pelo que está jogando. Arrascaeta, apesar de também não viver o melhor momento, ainda apresenta melhor futebol. E convenhamos, é insubstituível.

Ataque

Como dizemos, Pedro entrar no time se mostra crucial. Porém o elenco ainda tem Vitinho e Michael. Ambos não se mostram confiáveis, mas a entrada de um deles em algum momento pode servir para tirar Gabigol e Bruno Henrique da zona de conforto. Afinal, é para isso que se monta elenco, certo? Das posições, o ataque é o que parece mais estabelecido e sem maiores necessidades. Isso muito pela falta de qualidade apresentada pelos reservas. Leia também: Para Leonardo Bertozzi, Flamengo deveria confiar em Ceni Veja também: Sesc RJ Flamengo encara o Fluminense para fechar primeiro turno da Superliga feminina de vôlei no G4
Flamengo

Mauro Cezar: Chegou a hora de medalhões irem para o banco

O jornalista Mauro César Pereira comentou sobre as últimas atuações do Flamengo em seu podcast. Mais especificamente para o comentarista, a atuação de alguns medalhões surpreende pela falta de intensidade e qualidade, e por isso, Rogério deveria repensar o time. Enquanto o jornalista defende essa ideia, a torcida parece partida para a mesma direção, afinal, nas redes sociais, se pede o fim de uma espécie de “panelinha” criada por Ceni. De fato, Ceni tem dado, sobretudo, aos cascudos do elenco de 2019, maior prioridade. Mesmo que para isso, eventualmente, tenha colocado jogadores em fase ruim. O maior exemplo dessa priorização é Pedro, ainda reserva. E Mauro César comentou sobre isso: “Me parece que sim, é o momento de alguns titulares perderem espaço no time. Cabe ao técnico avaliar criteriosamente e contar com o respaldo da diretoria. Caso isso não aconteça, pode se repetir no Flamengo o que Ceni enfrentou no Cruzeiro, em que tentou fazer mudanças necessárias, não teve respaldo e acabou saindo”, compara Mauro Cezar, que no entanto avalia que, no Rubro-Negro”, que ainda completou: “Ceni precisa ser um pouco mais crítico em relação ao seu próprio trabalho e também ao de seus atletas. Muitos erros individuais aconteceram [contra o Fluminense], não só de Filipe Luís no segundo gol sofrido, mas também de Arão, Nathan, até Gabigol, que perdeu um gol logo no primeiro minuto. É o momento de uma mexida um pouco mais pesada no time”

Everton Ribeiro e Filipe Luís muito questionados

A torcida tem usado as redes sociais para questionar o futebol recente de Everton Ribeiro e Filipe Luís. Segundo a torcida, ambos tem estado muito abaixo da média do time. Filipe em especial é criticado pela falta de intensidade e chegada no ataque, característica também criticada em seu reserva Renê. Assim, Ramon é citado pelo torcedor como opção, porém ainda não experimentada por Ceni. Diante de tantas críticas, no domingo o Flamengo terá a chance de começar a responde bem. Não existe outra possibilidade que não seja a vitória diante do Ceará. Acreditando inclusive em novos tropeços do São Paulo. Afinal, o time de Diniz sempre foi bastante instável. Leia também: Diego Alves não treina e segue sendo dúvida Veja também: Sesc RJ Flamengo encara o Fluminense para fechar primeiro turno da Superliga feminina de vôlei no G4  
flamengo

Opinião: Flamengo não pode ser considerado candidato ao título

O Flamengo na noite de ontem perdeu mais uma partida, desta vez diante do Fluminense. Mas não podemos ser oportunistas em relação ao resultado, o que vou dizer aqui não se dá pelo resultado de ontem, e sim pelo “conjunto da obra”. O Flamengo não é mais candidato ao título brasileiro de 2020. Frase forte, provavelmente você mais otimista vai salvar isso para quem sabe, tirar um sarro. Porém, nada leva a crer ninguém do contrário. Afinal, o que o Flamengo apresenta de um time campeão? Um time campeão mostra raça, organização tática, bom sistema defensivo, ofensivo, posse de bola objetiva, intensidade, força mental. O Flamengo hoje consegue não ter nenhuma destas características, mesmo tendo várias delas em 2019. É uma mágica, o time simplesmente desaprendeu a jogar como campeão. Voltando a falar sobre raça e intensidade, quem vê o Flamengo de 2019 e vê o time de ontem, se espanta. É inacreditável, não pode ser o mesmo time, os mesmos jogadores. O Flamengo faz uma pressão inicial no Fluminense e depois morre em campo. Sorte do rubro negro que o tricolor jogou como pequeno no primeiro tempo. Porque caso atacasse, como o fez no segundo tempo, conseguiria placar mais elástico. Assim, o que temos é um time fraco na defesa, uma transição em vários momentos lenta do meio para o ataque, e um ataque por incrível que pareça tem acumulado muitos gols perdidos e até falta de inspiração. Um time com tantos erros não pode ser considerado candidato ao título.

Até que ponto a culpa é do treinador?

Rogério Ceni tem sido trucidado, em especial depois de coletiva de pós-jogo simplesmente inacreditável. Tanto ele quanto Dome tiveram motivos de sobra para serem criticados, erraram muito. Porém até que ponto a incompetência deles explica o rendimento ruim? Falta ao time consistência tática, isso é total do treinador. Mas o que explica o fato dos jogadores em vários momentos do jogo serem tão apáticos? Assim, fica difícil colocar a culpa apenas em uma pessoa. Jogadores individualmente mal em todas as funções, time desorganizado e falta de entrega. Os problemas do Flamengo englobam a todos, todos merecem críticas. Caso contrário cometeremos o mesmo erro que com Dome, colocando a culpa apenas nele e esquecendo do resto. Inclusive diretoria. Leia também: Ceni não explica erros e é detonado pela torcida após entrevista Veja também: Flamengo fecha acordo com mais duas famílias de vítimas do incêndio do CT  
flamengo

Fluminense vence o Flamengo, que mais uma vez decepciona

O Flamengo venceu o Fluminense na noite de hoje por AS X AS no Maracanã. A partida foi fundamental para o Flamengo, afinal o São Paulo tropeçou para o Bragantino. A partida começou com o Flamengo pra cima do tricolor. Logo com um minuto de jogo, Gabigol teve chance clara de abrir o placar, mas acabou finalizando por cima do gol. Poucos minutos depois foi a vez de Rodrigo Caio acertar lindo cabeceio, que o goleiro Marcos Felipe voou para pegar. Após essas duas boas chances, o Flamengo se viu em situação parecida com a partida diante do Fortaleza. Tinha muito a posse de bola, circulava com vários passes, as vezes criava boas chances, porém ainda assim, ficava aquém do que podia. O Fluminense, por outro lado, era um time pragmático demais, defensivo demais, e que quase não aproveitava as chances de puxada em contra-ataque. Assim, diante de um adversário que se absteve de atacar, o Flamengo conseguiu encontrar  seu gol no final do primeiro tempo, com Arrascaeta. Após boa jogada de Everton Ribeiro pela ponta direita, o meia cruzou, Matheus Ferraz cortou para cima e a bola sobrou limpa, para o uruguaio cabecear no fundo do gol. Flamengo 1 a 0. De forma geral o primeiro tempo pode ser definido como um grande ataque contra defesa. Se por um lado o Fluminense não demonstrou nenhum poder de fogo, de outros o Flamengo teve boas tramas, mas ainda demonstrou problemas quando encontra adversários muito recuados. Apesar disso, o desempenho foi consideravelmente melhor do que contra o Fortaleza. No primeiro tempo ainda, nos poucos momentos que o Fluminense tentou buscar o jogo, conseguiu incomodar. Portanto, o sistema defensivo é ainda um problema.

O segundo tempo

O início do segundo tempo se apresentou um pouco diferente do primeiro. O Fluminense ficou mais tempo com a bola sob seu controle e o Flamengo buscou chegar em contra-ataques. O Flamengo teve suas chances nessas jogadas, porém o jogo se apresentou mais perigoso que no primeiro tempo, e longe do que se espera para o Flamengo. Nathan de cabeça, aos nove minutos, perdeu grande chance de ampliar o placar. Aos dez minutos do segundo tempo, foi a chance do Fluminense, também de cabeça. Porém dessa vez, o zagueiro do Fluminense foi mais efetivo e guardou, empate do Fluminense, 1 a 1. O primeiro tempo já mostrava um time que defensivamente não passava confiança, além de um sistema ofensivo que pecava na fase final, seja na finalização ou no passe final. O segundo tempo, com um Fluminense melhor, veio apenas para provar todos os defeitos que o time de Rogério Ceni tem. Aos 16 minutos do segundo tempo o Fluminense quase virou o jogo. Michel Araújo fez o que quis no ridículo sistema defensivo do Flamengo, e chutou na trave. O jogo se apresentou a seguir com um Fluminense muito mais vivo em campo. Enquanto o Flamengo era lento na saída de bola a ponto de parecer desinteressado pelo jogo. Rogério então mudou o time, colocando Pedro e Diego em campo, nos lugares de Nathan e Gabigol. O tempo passou e o Flamengo aos poucos foi ganhando terreno novamente. O Fluminense recuou e deu a bola para o Flamengo, que teve enormes dificuldades para furar a retranca tricolor.

Derrota e chance jogada no lixo

Como se não bastasse as falhas do time, o Flamengo conseguiu a façanha de perder o jogo. Em falha de Filipe Luís o Fluminense virou e marcou, 2 a 1. O São Paulo perdeu por 4 a 1 para o Bragantino, era a chance do Flamengo se aproximar, jogada no lixo. Leia também: Campeão pelo Fla, Amaral voltará a disputar o Carioca Veja também: Sub-17 vence o Sport fora de casa e abre vantagem nas quartas de final da Copa do Brasil
Léo Pereira

Léo Pereira se machuca e vira desfalque para clássico

O Flamengo entra em campo nesta quarta-feira em partida importante do Campeonato Brasileiro. Ainda em perseguição ao líder São Paulo, que na última rodada abriu 7 pontos de vantagem, o Flamengo não pode mais pensar em tropeços. Ainda mais levando em consideração que já estamos na vigésima oitava rodada da competição. Assim, a preparação foi forte para o clássico desta quarta, e o clube pode comemorar o fato de não haver lesões no elenco, salvo algumas exceções, como Diego Alves e Thiago Maia. Porém, uma lesão de última hora acabou pegando a todos de surpresa. Léo Pereira sentiu problema no adutor da coxa direita e está fora do clássico. O zagueiro não seria titular da equipe, já que Rogério tem mantido Rodrigo Caio e Nathan na dupla de zaga. Mas Léo é visto como boa opção para o elenco e possível substituição. Assim, o jogador vira um desfalque. As opções par ao banco de reservas na posição então ficam entre Thuler e Gustavo Henrique. Caso Rogério queira, Noga também poderá complementar o banco. A passagem de Léo Pereira pelo Flamengo até aqui não é das melhores. O jogador é muito criticado por atuações fracas e falhas sistemáticas. Mesmo com o apoio da comissão técnica, foi inevitável que Léo e Gustavo Henrique fossem para o banco de reservar, devido as más atuações. Cabe a diretoria agora analisar para a próxima temporada, se vale a pena persistir nos jogadores, ou buscar um novo clube.

Mercado mais difícil para o Flamengo

O orçamento de 2021 é curto. Assim, é muito improvável que se tenha dinheiro para investir em algum zagueiro. Segundo o orçamento, o Flamengo deverá, para contratar jogadores, propor contratos por empréstimo ou partir em jogadores livres no mercado. Ou seja, investimentos baixos, custeando apenas o salário. Porém, caso venda alguns de seus zagueiros a bom valor, o dinheiro poderá ser convertido para a compra de outro jogador de mesma posição. A questão é justamente chegar uma boa proposta por dois jogadores que foram tão desvalorizados. Flamengo e Fluminense entram em campo hoje, às 21h30 no Maracanã. Partida transmitida pelo Premiere. Leia também: Mauro Cezar analisa cenário político no Flamengo Veja também: Flamengo encerra preparação para o jogo contra o Fluminense, pelo Brasileirão
flamengo

Mauro Cezar analisa cenário político no Flamengo; confira

O ano de 2021 reserva “duas temporadas”, sendo uma delas o fim da de 2020 e o de 2021. Os resultados dentro de campo impactam em outro “evento” do ano, as eleições no clube. O clima já é mais tenso e de leves alfinetadas, que podem direcionar escolhas para o próximo pleito. Assim, para Mauro Cezar Pereira o jogo político no clube já começou, porém, ele ainda é muito incerto, devida as várias possibilidades ainda em aberto. Segundo Mauro, ainda existe a possibilidade de Landim ser candidato. Porém, a tendência da chapa é que Rodrigo Dunshee seja o escolhido. Dessa forma, Landim iria passar o bastão para o seu atual vice. Mauro acredita que os últimos meses para Landim foram um tapa de realidade sobre diferenças de se comandar um meio corporativo em relação a um clube, como o Flamengo. “O cenário é de muita indefinição, a situação não lançou ainda um candidato, o Landim, em tese, não será. Fala-se muito de um acordo que teria sido feito lá atrás para que o Rodrigo Dunshee, que é o vice geral fosse o candidato ao final do mandato do Landim, mas isso nunca foi confirmado, até hoje não foi confirmado. Pode surgir um outro nome, pode ser que o Landim tente a reeleição, não sei se vai tentar “ comentou Mauro.

Presidente demorou a entender o tamanho da repercussão de Flamengo

Mauro destacou ainda, uma característica de Landim que parece ter marcado sua gestão. Para o comentarista, o presidente se surpreendeu em vários momentos com a relação que precisava ter com o torcedor e a imprensa. Afinal, no meio corporativo, esses “fatores” não existem. “Ele é um presidente que me parece às vezes que se surpreendeu um pouquinho com a relação que tem que ter com a imprensa e consequentemente com o torcedor quando no cargo. Acostumado ao mundo corporativo, onde você toma as decisões e os questionamentos geralmente não acontecem porque você é o chefe, você é o dono, você é quem tem a caneta, no futebol é diferente porque o maior acionista é o torcedor e o torcedor cobra, e a imprensa questiona. Nenhuma grande empresa multinacional tem torcida”, finalizou. As eleições estão distantes, logo, a maior preocupação deve ser em campo. Nesta quarta tem Fla-Flu importante pelo Brasileirão. O jogo começa às 21h30 com transmissão do Premiere. Leia também: Flamengo vem de cara nova para o clássico; Confira escalação Veja também: Flamengo encerra preparação para o jogo contra o Fluminense, pelo Brasileirão
Flamengo

Flamengo vem de cara nova para o clássico; Confira escalação

O Maracanã será palco de mais um clássico na noite desta quarta-feira (6). Em partida pela décima oitava rodada da competição, Flamengo e Fluminense duelam pela parte de cima da tabela. Enquanto o tricolor busca voltar ao G4 da competição, o Flamengo busca chegar mais próximo do líder São Paulo, hoje com sete pontos de vantagem. Rogério Ceni terá mudanças importantes no time. O atacante Gabigol que cumpriu sua inacreditável suspensão diante do Fortaleza , agora volta aos gramados. Filipe Luís é outro que retorna a equipe, também após cumprir suspensão. Por outro lado, Diego Alves não se recuperou e de fato, está fora do clássico. Assim, Rogério tem em Hugo Souza, seu goleiro. Além disso, vive com a dúvida de ter Pedro titular ou não. O centroavante faz por onde, porém a competitividade é alta. Gabigol e Bruno Henrique também tem feito partidas boas. Diferentemente de Arrascaeta e Everton Ribeiro. Porém, no meio de campo, Ceni deverá seguir a estrutura do time de Jorge Jesus. A provável escalação do Flamengo para amanhã: Hugo Souza, Isla, Rodrigo Caio, Natan e Filipe Luis; Willian Arão, Gerson, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol.

No rival, Nenê foi barrado

Marcão parece mais preocupado em se defender do que atacar na partida de amanhã. Assim, nos treinamentos da semana, o treinador desenhou um Fluminense sem Nenê e com três volantes. Além do meia, Marcos Paulo, jovem jogador e destaque do time, também ficaria de fora. Obviamente que a escalação é uma tendência, não tendo nada de oficial até a partida de amanhã. Caso se confirme, Marcão deverá colocar em campo: Marcos Felipe, Calegari, Matheus Ferraz, Luccas Claro e Danilo Barcelos; Yuri, Yago e Hudson; Michel Araújo, Wellington Silva e Fred. Marcão não poderá estar entre os reservas, devido ao teste positivo para covid-19. Dessa forma, ele será o único “desfalque” da equipe. Flamengo e Fluminense se enfrentam amanhã, às 21h30 no Maracanã. A transmissão fica por conta do Premiere para todo o Brasil. Leia também: Diego Alves não se recupera e fica de fora do Fla-Flu Veja também: Sub-20 elimina o Fluminense dentro das Laranjeiras e está na semifinal do Campeonato Brasileiro
Jogo do Flamengo hoje ao vivo

Se quiser ser campeão, Flamengo tem obrigação de vencer clássico

Flamengo e Fluminense se enfrentam amanhã pelo Campeonato Brasileiro. O rubro negro não precisa vencer apenas por pontuar após empate decepcionante com o Fortaleza, ele precisa vencer, convencer e passar um recado. Mas que recado é esse? Simples, o recado de que está na disputa, de que irá passar por cima dos adversários mais limitados, e de que irá fazer o máximo para alcançar o São Paulo. As vitórias recentes do Flamengo com Rogério Ceni foram todas na “conta do chá”. Praticamente nenhuma foi considerável, inquestionável, sempre houve um porém. E isso faz com que sequer o São Paulo se preocupe. São Paulo que por sinal, diferentemente do Flamengo, venceu jogos difíceis de maneira convincente. O próprio Fluminense, no Rio, o São Paulo venceu na última rodada. Assim, é difícil imaginar que um time tão seguro, irá se curvar apenas por uma eliminação na Copa do Brasil. Enfim, o Flamengo precisará entrar na disputa do título, se quiser de fato brigar pelo título. Amanhã o rubro negro enfrenta um adversário que vem mal depois da saída de Odair. Um time que com Marcão não se encontrou. Assim, por mais que seja clássico, o placar precisa ser favorável. Poderia ser até mais extremista e dizer que se não vencermos amanhã, o Brasileirão passa a ser impossível. Não apenas pela pontuação, mas pelo rendimento.

Jogadores precisam responder em campo

Desde a eliminação na Libertadores, a palavra “pacto” foi usada para destacar o empenho dos jogadores em ganhar o Brasileirão. Porém, o desempenho em campo de alguns deles, segue sendo decepcionante. Enquanto Bruno Henrique timidamente parece voltar com seu futebol, Everton Ribeiro e Arrascaeta tem sumido no gramado. Rogério Ceni tem responsabilidade, afinal, ele é o treinador e o responsável por fazer o time render. Mas os jogadores também tem culpa, sempre. O desempenho de Everton Ribeiro tem sido abaixo da crítica desde que voltou da seleção. Aliás, ir a seleção não parece algo tão vantajoso para o Flamengo, afinal, os jogadores costumam voltar mal ou lesionados. Arrascaeta tem produzido muito pouco ou nada. Se o Flamengo realmente tiver a intenção de vencer o Brasileirão, precisará de uma vez por todas corrigir suas falhas de 2020, apresentar um futebol competitivo e estável e vencer bem, adversários como o Fluminense. Amanhã poderemos ter a resposta “final” desse time, que seja positiva. Leia também: Diego Alves não se recupera e fica de fora do Fla-Flu Veja também: Sub-20 elimina o Fluminense dentro das Laranjeiras e está na semifinal do Campeonato Brasileiro

© Copyright 20 Fla Hoje. Todos os direitos reservados
Website desenvolvido por Azarod