Tag: Sport

Pedro Flamengo

Pedro e Gérson voando, Arão mal; Confira as notas da partida

O Flamengo venceu o Sport pela décima quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Com gols de Pedro (2) e Gustavo Henrique, a equipe de Domenec fez o resultado no segundo tempo, e garantiu mais três pontos na competição. O Flamengo fica momentaneamente na vice liderança. Com bastante dificuldade para criar jogadas no primeiro tempo. O rubro negro furou a retranca de Jair Ventura no segundo, e para isso, contou com excelentes atuações individuais. Confira agora as notas da partida.

Neneca – 7,0

Preciso absolutamente todas as vezes que a bola chegou nele. Neneca é um achado da base, na noite de hoje não complicou nas saídas de bola. Na bola aérea também se destacou bem, até pela altura e maior condição de jogo, adquirida em campo;

Maurício Isla – 6,5

Bem no apoio, Isla fez uma partida consistente apesar de em alguns momentos ser afobado e gerar espaços na defesa. Deu uma grande assistência para Pedro no primeiro tempo, mas o goleiro do Sport defendeu;

Gustavo Henrique – 7,0

Em campo especialmente por conta da bola aérea, Gustavo Henrique justificou a confiança com um gol de cabeça e vitória na maioria das bola aéreas na defesa do Flamengo. Com a defesa mais encaixada, não sofreu tanto pelos ataques em velocidade do adversário;

Natan – 7,5

Natan não aparenta ter a idade que possui de fato. Joga de forma muito segura, mas segura em um ponto de impressionar até os mais experientes. Perfeito por baixo, bem por cima e de saída de bola regular para boa durante a partida. Suas arrancadas da linha de defesa para o meio de campo chamam a atenção também, pela segunda partida seguida;

Filipe Luís – 7,0

Mais um que fez partida sólida. Filipe Luís chegou bem na frente, mais pelo centro de campo como sempre. Tentou dar mais qualidade e criatividade pelo meio, e em alguns momentos conseguiu fazer bem isso. Na defesa esteve bem, nenhuma jogada aconteceu em suas costas;

Arão – 5,5

Desatento no jogo, Arão por vezes parecia perdido no sistema. Hoje teoricamente ele tinha mais liberdade para descer, já que Thiago Maia era o primeiro volante. O Arão de dois anos atrás descia bem, mas o de hoje parece ter perdido essa virtude. Não conseguiu fazer nem um, nem outro;

Thiago Maia – 7,5

Ao contrário de seu companheiro de “volancia”, Thiago Maia fez grande partida. Conseguiu auxiliar o meio de campo na criação de jogadas e ao mesmo tempo fez boa atuação defensiva. Foram incontáveis roubadas de bola, duas delas em contra ataques perigosos do Sport;

Gérson – 8,0

Gérson é um “deboche”. Partida monumental, tanto na frente quanto atrás, Gérson mais uma vez parecia onipresente em campo. Foi fundamental para o time na criação das jogadas, além disso consegue ditar muito bem o ritmo do jogo, como em momentos que precisa segurar mais a bola. Talvez tenha pecado inclusive, por reter ela demais no primeiro tempo, mas nada prejudicial;

Diego – 6,5

O responsável por fazer a bola rodar com velocidade, Diego não conseguiu fazer isso no primeiro tempo. Muito pelo contrário, mais uma vez o meia acaba pecando pela demora em soltar a bola e pelo tempo que fica com ela em seus pés. Falta uma tomada mais rápida de decisões. Mas sua avaliação melhora no segundo tempo, quando aí sim, começa a soltar a bola com maior velocidade e a equipe sobe a produção. Diego é útil demais para o elenco se compreender que precisa prender menos a bola;

Bruno Henrique – 7,0

Bruno tentou jogadas de velocidade, entrada na área com toques de bola e entradas na área para cabeceio, mas no primeiro tempo nada feito. Já no segundo seu rendimento subiu, assim como o de todo time. E ele pôde aproveitar de um meio de campo mais “vivo”. Preocupado apenas em atacar e não em criar…Bruno conseguiu dar assistências, irônico não? Em duas delas, Pedro balançou as redes;

Pedro – 8,5

O melhor em campo mais uma vez, Pedro é um bom problema para Domenec quando Gabigol voltar. O centroavante tem muita presença de área e fede a gol. Mas não é só isso, fez o pivô com muita qualidade e tem condições técnicas de sair da área para criar jogadas. Fez hoje uma atuação espetacular, mesmo no primeiro tempo, fez o que foi possível; Os atletas que entraram no segundo tempo (Matheusinho, Renê, Pepê, Lincoln e Vitinho) tiveram pouco tempo, fecham sem nota.

Domenec Torrent – 7,5

Não inventou, manteve a estrutura do time com os dois meia abertos e dois volantes. Teve inteligência para no intervalo não trocar peças, e sim como elas se moviam em campo, e isso trouxe um Flamengo totalmente diferente para o segundo tempo. Demorou para alterar no segundo tempo, e poderia ter aproveitado melhor o contra ataque com Michael, Pedro Rocha ou Guilherme Bala. Leia também: Após atuação impecável de Pedro, torcida manda recado para Gabigol  
flamengo e sport

Confira o pré-jogo de Flamengo e Sport

O Flamengo entra em campo daqui a pouco para enfrentar o Sport pela décima quarta rodada do Campeonato Brasileiro. O rubro negro carioca tem atualmente 21 pontos no campeonato, 6 a menos que o líder Atlético-MG. Se quiser encostar ainda mais ou ao menos manter a distância, vencer em casa se torna crucial. Sem Arrascaeta, Everton Ribeiro e Rodrigo Caio, convocados por suas seleções, o Flamengo vem desfalcado. A maior preocupação se dá no meio de campo, já que o “cérebro” do time se dá por alí. Para diminuir essa dificuldade, Domenec pensou em Gérson pela esquerda mais adiantado, posição que jogou contra o Palmeiras e foi muito bem. Quem completa o meio com ele é Diego Ribas. Confira a escalação abaixo: Isla conseguiu sua liberação da Federação Chilena e pode entrar em campo. Notícia boa para o Flamengo, mas a tendência é que na segunda partida do Chile, Isla possa jogar pela seleção, e assim, Matheusinho deverá entrar. Mais uma vez o gramado do Maracanã tem sido alvo de reclamações por conta dos torcedores. O Gabigol recentemente teve lesão por conta de uma pisada em falso no gramado. Nenhuma medida mais definitiva em relação ao estado do gramado foi feita. Confira abaixo o pré-jogo da partida pela FlaTV: O Sport entra em campo com vários jogadores que já passaram pelo Flamengo. Dentre eles estão Thiago Neves, Lucas Mugni e Hernani Brocador, ambos serão titulares hoje. Leia também: Profissional do Fla recebe proposta do Japão  

Diretoria do Flamengo nega conversas com Sport sobre empréstimo de João Lucas

No dia 9 de maio deste ano, Flamengo contratou João Lucas, lateral-direito que estava no Bangu. O reforço, no entanto, ocorreu para fortificar o elenco para as principais competições de 2019, mas João foi pouco utilizado. O jogador foi especulado no Sport, mas a diretoria do Rubro-Negro negou qualquer tipo de conversa. A informação foi divulgada pelo jornalista Venê Casagrande, do portal O Dia.

Aos 21 anos, João Lucas foi considerado como terceiro reserva na posição, atrás de Rafinha e Rodinei, com isso, Flamengo poderia viabilizar o empréstimo do atleta para extrair experiência. No começo do ano, o jovem jogador fez boas aparições no Campeonato Brasileiro, e o Mais Querido, todavia, concretizou a compra.

FOTO: ALEXANDRE VIDAL / FLAMENGO

Nesta edição do Campeonato Brasileiro, João Lucas entrou em campo cinco vezes, sendo autor de nove desarmes e um cartão amarelo. A partida mais regular do lateral-direito no Flamengo ocorreu diante do Ceará, na vitória por 3×0, confronto válido pela 16º rodada do Brasileirão.

Por: Coluna do Fla

João Lucas-Flamengo

Flamengo estuda empréstimo de João Lucas ao Sport

Na reta final do ano, Flamengo projeta algumas mudanças no elenco, sejam elas em contratações, vendas e até empréstimos de jogadores. O Mais Querido pretende emprestar João Lucas, lateral-direito do Mengão para o Sport, de Recife. A informação foi divulgada pelo jornalista Venê Casagrande, do portal O Dia.

Considerado um terceiro reserva na posição, o empréstimo do jogador consiste em alguns fatores, o mais relevante dentre eles é a possível ‘rodagem’ do lateral no futebol brasileiro, sendo assim, acumulando experiência. O atleta está com 21 anos de idade e Flamengo é o segundo clube em sua carreira.

FOTO: ALEXANDRE VIDAL / FLAMENGO

Destaque do Campeonato Carioca pelo Bangu, João Lucas chegou ao time comandado por Jorge Jesus no dia 9 de maio deste ano. Pelo Rubro-Negro, o jovem lateral disputou cinco jogos no Brasileirão, desarmou seis vezes na competição nacional e levou um cartão amarelo. O atleta do Mais Querido possui contrato com o clube até 2021.

Por: Coluna do Fla

Ex-jogador do Sport critica Zico por título de 87: “Fica quieto”

O Flamengo se tornou heptacampeão brasileiro no último domingo (24), após o Palmeiras perder de 2 a 1 para o Grêmio. A partir do título do Rubro-Negro, uma velha polêmica deu início: o time carioca tem seis ou sete títulos?. Para a grande maioria das pessoas, não há dúvidas, o Fla é hepta. Isso, no entanto, desagrada os ex-jogadores do Sport.

Recentemente, Zico reafirmou que o Flamengo é o campeão brasileiro de 1987. Por isso, em entrevista ao portal Uol Esporte, o ex-zagueiro do Sport, Estevam Soares, resolveu desabafar. Estevam criticou a postura do Galinho de Quintino e também do Maestro Júnior. Além disso, o ex-jogador pediu para que seus ex-companheiros de profissão ficassem calados quanto ao assunto.

FOTO: DIVULGAÇÃO

— O que eu me aborreço e me aborreci uns tempos atrás é ver um ex-jogador que é um ídolo nosso, o Zico, declarando: ‘eu sou o campeão brasileiro de 87’. Não, meu irmão, espere aí. É por isso que estamos aonde nós estamos, por isso que acontece o que acontece [no Brasil], por conta dessas coisas. Desculpa meu desabafo, e pode até pôr ‘o meu desabafo’, porque fica esse negócio… ‘Ah, porque eu sou Hepta’. Os torcedores… Agora, os caras de dentro falarem isso? Presidente, Zico, Junior, os caras que defenderam a seleção brasileira, defenderam o país… Fica quieto, meu! Por mais que você não concorde, não fala nada -, disparou Estevam Soares, que ainda prosseguiu:

— Não tem outro campeão brasileiro de 87 a não ser o Sport, infelizmente para eles e felizmente para nós, torcida do Sport, e felizmente para mim, que fui o primeiro capitão a levantar a Taça das Bolinhas, tive e tenho essa honra. A foto não é de graça, tenho a foto levantando e tenho orgulho de ser o primeiro capitão a levantar a Taça das Bolinhas, então pronto, o que os caras querem falar? -, acrescentou o ex-zagueiro.

Por: Coluna do Fla

Presidente do Sport diz que vai processar o Flamengo após conquista do Brasileirão

Após anos de reestruturação e finanças controladas, o Flamengo passou a colher os frutos do trabalho no futebol. No último fim de semana, o Rubro-Negro entrou para a história, vencendo os dois títulos mais importantes disputados na temporada: o do Brasileirão e da Copa Libertadores da América. As conquistas irritaram os torcedores rivais, porém, até mesmo dirigentes de outros clubes perderam a linha com o triunfo rubro-negro. Esse foi o caso de Milton Bivar, presidente do Sport.

O mandatário da equipe pernambucana não escondeu a irritação com o fato de o Flamengo ser considerado heptacampeão nacional. Isso porque, segundo ele, o Sport deve ser considerado o vencedor do Brasileirão de 1987, mesmo que a principal divisão (Copa União) tenha sido conquistada pelo Fla, após bater o Internacional de Porto Alegre na decisão.

FOTO: ANDERSON STEVENS/SPORT CLUB DO RECIFE)

– Esse negócio do Flamengo… há 32 anos que fomos campeões e o Flamengo fica querendo dizer que é dele. Eu não preciso dizer. E não será porque o Flamengo vem todo ano com essa historinha que eu vou precisar dizer. Todo ano tem algo e isso terá que parar. Tem uma ação lá em Brasília, que eu estou gastando R$ 200 mil com advogados e uma hora isso terá que parar. Vou entrar com um processo para reaver esse custo, porque não posso toda hora ficar pagando por isso -, disse Milton, em entrevista ao Globoesporte.com.

Em 1987, o Sport conquistou o módulo amarelo, considerado como ‘segunda divisão’ do futebol nacional, após a CBF abrir mão de organizar o campeonato. Desde então, há briga judicial para definir quem foi o verdadeiro campeão. Vale destacar que, à época, o Flamengo, bem como mídia e torcida, consideração a equipe carioca como vencedora do Brasileirão.

Por: Coluna do Fla

CTs de Sport e Náutico também não estão regularizados

Como não poderia ser diferente, a tragédia ocorrida no Ninho do Urubu ecoou por todo o Brasil. Procedimentos e alojamentos em Centros de Treinamento do País começam a ser revistos e a precaução é a pauta da vez. No Recife, Sport e Náutico também possuem CTs. E ambos não possuem o atestado de regularidade do Corpo de Bombeiros. Entretanto, não há motivos para preocupação, pois os dois espaços têm estruturas consideravelmente diferentes em relação ao do Flamengo. Já o Santa Cruz ainda está construindo o seu CT. O Arruda conta com alojamento para as categorias de base do Tricolor.

“Tanto o CT do Sport quanto o do Náutico, hoje, não possuem um atestado de regularidade. Mas isso não quer dizer, de manheira nenhuma, que eles ofereçam risco a quem ocupa aquele espaço ali. Eles estão buscando a regularidade. Muitas vezes não conseguem ter o atestado, tanto uma empresa quanto um clube, por conta de correções que ainda vão fazer, que pode ir desde iluminação de emergência, sinalização, altura de corrimão, enfim… são detalhes”, afirma o tenente-coronel Dantas, do Corpo de Bombeiros de Pernambuco.

De acordo com o especialista, a situação ocorrida no Rio é praticamente impossível de se repetir por aqui. “Não há de se comparar a estrutura daqui com a do Flamengo. Os CTs de Sport e Náutico são isolados, são recentes, são casos totalmente distintos. Até porque, no ato da vistoria, se for constatado qualquer risco iminente, o bombeiro adota a providência de imediato. Mesmo não dando o atestado, ele adota as providências. A providência, por enquanto, é de não dar o atestado, até que eles cumpram as exigências em sua totalidade”, explica.

Segundo o vice-presidente do Náutico, Diógenes Braga, o CT alvirrubro é capacitado para alojar garotos. “Nossa estrutura mudou um pouco nos últimos anos e o local está passando por algumas reformas. A estrutura foi construída especificamente para receber atletas, com refeitório, parte de recreação, dormitório…Poderíamos ter até 45 atletas no alojamento, mas não usamos o espaço em toda a capacidade. Não por falta de estrutura, mas sim por questões financeiras. Preferimos acomodar um grupo menor, mas dando todas as condições”, detalha.

Já Carlos Frederico, vice-presidente do Sport, alega que o CT leonino ainda não está finalizado. “Precisamos esclarecer que o nosso Centro de Treinamento não é uma estrutura concluída. É algo que está em constante reforma e até mesmo construção. Por exemplo, acabamos apenas no ano passado o módulo de hotel dos profissionais. Não se pode ter um laudo final se você não tem conclusão da obra. Em tese, é isso que está acontecendo: todos os órgãos nos acompanham todo ano, nos fiscalizando para que a obra esteja concluída”, garante o dirigente.

Por: FOLHA PE

Sport vai negociar a permanência de Gabriel

A temporada 2018 passou longe de ser feliz para o Sport. Afundado na crise financeira, o Leão teve inúmeros problemas ao longo do ano, que culminou com o rebaixamento para a Série B do futebol nacional.

Com o orçamento mais enxuto, o clube não deve segurar a grande parte do elenco, mas faz um esforço para segurar alguns jogadores. Entre os cotados para ficar está o meia Gabriel, que pertence ao Flamengo, mas sem espaço na Gávea, deve tentar acordo com o time da Ilha do Retiro. No dia 18 de dezembro, o Leão decide o seu novo presidente e as duas chapas concorrentes querem a permanência do atleta. A avaliação interna é que Gabriel foi um dos poucos que conseguiram se destacar ao longo do ano e pode ser uma peça fundamental na Série B. Coringa Versátil dentro de campo, o jogador consegue cumprir inúmeras funções no setor ofensivo, como armador ou atacante pelos lados. Nesta temporada, até de goleiro Gabriel atuou. No duelo contra o Atlético-PR, o goleiro Magrão precisou sair e o time já tinha realizado as três alterações. O atleta foi para o gol, mas não teve o que fazer na derrota por 4 a 0. Fonte: Lance!

Goiás reclama de ‘altos valores’ pedidos pelo Flamengo por Gabriel

A reformulação no elenco do Flamengo já não é novidade. Por isso, jogadores como Gabriel e Miguel Trauco procuram novos rumos em suas carreiras. O Goiás, aliás, surge como o grande interessado e possível destino. Em entrevista exclusiva, ao Esporte 24 Horas, Mauro Machado, vice-presidente goiano, comenta a negociação do Esmeraldino com os jogadores. De acordo com o dirigente, as conversas com o atacante rubro-negro já foram iniciadas. Porém, no momento, o alto valor é o principal desafio da negociação.

“Procuramos o Gabriel, estamos com uma certa dificuldade pelos altos valores que estão sendo pedidos, mas entendemos que toda negociação começa assim”, afirmou Mauro Machado.

A confiança do Goiás em um desfecho feliz se justifica pela necessidade de uma recolocação no mercado por parte do jogador. Por isso, o clube estuda também uma investida em Miguel Trauco. Informado de que não vai seguir no Flamengo, o peruano busca um novo clube para a próxima temporada. Neste momento, seu empresário tenta arrumar uma proposta no futebol do Estados Unidos. Segundo Mauro Machado, o nome do lateral é apenas estudado internamente.

“Falamos internamente o nome dele mas não iniciamos conversações”, revelou o dirigente.

Flamengo vai arcar?

O Goiás, por sua vez, sabe que para concretizar as negociações vai precisar subir de patamar financeiro. Principalmente, após o retorno à Série A do Brasileirão. Neste momento, o clube é visto como concorrente dos principais clubes. A realidade, aliás, extingue a possibilidade de uma divisão no pagamento dos salários dos rubro-negros.  De acordo com Mauro Machado, atualmente, os clubes não estão dispostos a fazer esse tipo de negócio.

“Os clubes não estão dispostos a fazer esse tipo de parceria, principalmente depois que subimos para a Série A”, concluiu o vice-presidente.

Em busca de solução, Goiás espera a ajuda de um conhecido ex-rubro-negro: Maurício Barbieri. O treinador foi o responsável por indicar Gabriel e Trauco ao seu novo clube. Ainda que sua relação com o lateral tenha sido de altos e baixos, Barbieri acredita na consolidação do peruano com a camisa do Esmeraldino. No entanto, as negociações ainda estão em estágio inicial. Em breve, a possibilidade deve ganhar novos capítulos.

Fonte: ESPORTE 24 HORAS: Jorge Abel Costa

André Rocha: “Copa União 1987: acaba, enfim, o longo recibo que o Flamengo passou à CBF”

Pronto! O STF decreta o Sport campeão brasileiro de 1987, ratificando decisões das outras instâncias, e o Flamengo não pode mais recorrer.

Um recibo de 31 anos que o clube passou à CBF suplicando o reconhecimento ou divisão do título da competição que deveria ter sido um marco para o futebol brasileiro. Dando poder a quem tem história, torcida e paixão. Não uma caneta para definir quem é campeão ou não.

Ricardo Teixeira usou como barganha o quanto pôde para ter o clube de maior torcida do país como aliado. Depois o Fla recorreu à Justiça gastando tempo e energia que deveria ter sido direcionada à liderança de um movimento de ruptura, criando de fato uma liga de clubes para organizar os principais campeonatos do país. Não passou da falida Primeira Liga.

E pior: com essa luta para ostentar oficialmente o título de campeão brasileiro, o Flamengo desvalorizou sua própria conquista. Uma das mais memoráveis do clube, não só pela reunião de estrelas na equipe, mas pela incrível recuperação no torneio – ali, sim, o ”deixou chegar…” se fez presente como em outras poucas oportunidades.

Se só valia se fosse com o rótulo de campeão brasileiro, o que restou agora do esforço de Zé Carlos, Jorginho, Leandro, Edinho, Leonardo, Andrade, Aílton, Zinho, Zico, Renato Gaúcho, Bebeto, do treinador Carlinhos e dos demais que participaram da conquista?

Bastava manter a coerência de 1988: se não disputou o quadrangular por não reconhecer na entidade a autoridade para decretar o campeão brasileiro do ano anterior, bastava seguir na mesma linha e dar ao torneio que conquistou o peso que tinha na época. Os dirigentes preferiram o caminho do populismo, de fazer média. Com a torcida e com a CBF. Bem feito…

Pelo menos agora esse tema morre de vez. É o que se espera. Quem sabe com o Fla enfim acordando para a grande lição de 1987: a CBF é o grande obstáculo para o crescimento do futebol brasileiro.

Reprodução: Blog do André Rocha

Jornalista engrandece Fla de 87 e dispara: “CBF é o grande obstáculo para o crescimento do futebol brasileiro”

No último sábado, o STF definiu o Sport como único campeão brasileiro de 1987. Como era de se esperar, a polêmica sobre o título voltou à tona, e o jornalista André Rocha se posicionou sobre o caso. André fez questão de enaltecer a conquista do Fla em campo e também criticar a CBF, que não foi capaz que organizar o campeonato brasileiro naquele ano. Em trecho, André escreve: “com essa luta para ostentar oficialmente o título de campeão brasileiro, o Flamengo desvalorizou sua própria conquista. Uma das mais memoráveis do clube, não só pela reunião de estrelas na equipe, mas pela incrível recuperação no torneio – ali, sim, o ”deixou chegar…” se fez presente como em outras poucas oportunidades.” Em seguida cita craques do elenco rubro-negro naquele ano: “se só valia se fosse com o rótulo de campeão brasileiro, o que restou agora do esforço de Zé Carlos, Jorginho, Leandro, Edinho, Leonardo, Andrade, Aílton, Zinho, Zico, Renato Gaúcho, Bebeto, do treinador Carlinhos e dos demais que participaram da conquista?” E a crítica à CBF: “Quem sabe com o Fla enfim acordando para a grande lição de 1987: a CBF é o grande obstáculo para o crescimento do futebol brasileiro.” O Superior Tribunal Federal (STF), deu ganho de causa aos pernambucanos, arquivou o processo e declarou o Sport como o vencedor. A assessoria de imprensa do Flamengo afirmou que a briga está longe de terminar e que apelará para a entidade máxima do futebol.

© Copyright 20 Fla Hoje. Todos os direitos reservados
Website desenvolvido por Azarod